terça-feira, 1 de setembro de 2015

Rita Guedes:
“Já recusei seis pedidos de casamento"
A atriz fala de seu retorno ao Brasil depois de passar oito anos morando em Los Angeles, nos Estados Unidos

Por Bia Amorim
Ao encerrar um ciclo na vida, é natural que uma pessoa se abra para novos acontecimentos.
 E é exatamente assim, com sede de novidade, que Rita Guedes retorna ao Brasil depois de passar oito anos morando em Los Angeles, nos Estados Unidos. 
“Todo ator tem inseguranças, defesas. Esse tempo de distanciamento e estudos foi libertador. Estou preparada para me jogar”, diz a atriz, que aos 43 anos conserva o corpão – e a cara de menina.
 Com mais de duas décadas de carreira, 14 novelas, 13 filmes e dezenas de peças no currículo, Rita ainda quer conquistar muita coisa na profissão, mas seu principal foco desta vez é a vida pessoal.
“Já recusei seis pedidos de casamento. Agora, voltei com vontade de me casar e ter filhos”, afirma ela. 
Cheia de fôlego, a atriz abriu a Guedes Filmes e coproduziu seu primeiro longa, Mar Inquieto – no filme, que tem direção de Fernando Mantelli, ela interpreta uma ex-viciada em drogas pesadas que cai nas mãos de um marido violento.
 O lançamento está previsto para o início de 2016. Segura para bancar seus sonhos, a paulista de Catanduva já começou a escrever o roteiro de um novo trabalho. “Quero colocar de vez os dois pés no cinema”, planeja.
Desembarque
“Como eu costumava alternar temporadas americanas com brasileiras, as pessoas ainda não se ligaram que voltei de vez, que moro no Rio. Fiz tudo o que tinha de fazer em Los Angles e, agora, me sinto pronta para um novo ciclo.”

Vida comum
“Vendi um apartamento para bancar meu sonho. Meu cotidiano lá fora era como o de qualquer pessoa: pagava as contas, lavava a roupa, arrumava a casa e fazia comida. Frequentava um mercado onde tudo era orgânico, da pasta de dente ao papel higiênico.”

Imersão
“Quanto mais experiências um ator tem, mais compreende os conflitos dos seus personagens. Fiz cursos de cinema e estudei com coaches de atores como Johnny Depp, Anthony Hopkins, Halle Berry e Jack Nicholson. Leslie Kahn, coach da Jennifer Aniston, usou o teste de interpretação que fiz como exemplo para os alunos de seu curso.”

Preconceito
“Sempre escolhi turmas nas quais o inglês era a primeira língua dos alunos. Como eu tinha sotaque, sentia que me deixavam de lado na divisão dos grupos. Até que eu subia ao palco e muitas vezes fazia a melhor apresentação da turma. Eu sempre tinha um feedback positivo do professor. Então tudo se invertia! O desafio traz uma adrenalina superpositiva, mexe com coisas dentro de mim, estimula e acorda meu lado criativo.”

Superação
“Durante a temporada americana, superei a perda de um grande amor. George Mundin (empresário morto há cinco anos devido a complicações renais causadas pelo diabetes) foi meu primeiro namorado quando mudei de Catanduva para o Rio. Entre términos e recomeços, decidimos nos casar. Mas aí ele foi internado, entrou em coma e morreu. Os médicos sempre diziam que ele ia ficar bem. Eu terminava um curso para voltar para o Brasil. Mas não deu tempo. Hoje compreendo que tinha de ser assim, mas fiquei mal durante um tempo, porque nunca havia perdido alguém que eu amasse tanto. Entendi que precisava dar continuidade à minha história.”

Casamento
“Nunca tive o desejo de me casar e ter filhos, mas agora quero. Fui pedida em casamento seis vezes. Já podia ser tipo uma Elizabeth Taylor (risos)! Mas não há nada de que eu me arrependa. Agora busco algo que me prenda, não quero mais namorar por namorar. Não tenho mais 20 anos. Bateu a vontade de ter alguém para o resto da vida. Não faz muito tempo que dei um beijo na boca, mas só beijinho não quer dizer compromisso, né?”

Filhos
“Meus pais cobravam netos, mas sossegaram. Se eu quiser ter um filho biológico sei que o prazo é menor, mas no último check-up meus óvulos estavam bombando. Adotado ou gerado não faz diferença. Na minha família há muitos casos de adoção e eu tenho essa vontade. Se é meu filho, vai chegar a mim, mesmo que outra pessoa faça o ‘delivery’. Amor não é um fator biológico.”

Mulherão
“A fase dos 40 anos é a mais bacana da minha vida, mesmo sabendo que o passar do tempo leva a uma mudança física. Por isso me cuido, faço exercício e me alimento bem. Odeio cirurgia, passo mal ao tomar injeção. A única plástica que fiz foi para colocar uma prótese de 195 mililitros de silicone. Não gosto de exageros. E não me acho sexy, minhas personagens é que são – e, talvez, esse seja o registro que tenha ficado para o público. Nunca me incomodei de fazer a gostosona na TV, mas rótulo é um fator limitador.”

FONTE\QUEM
Rappin Hood sobre sua estreia no Rock in Rio:
 "O show vai ser estouro"
Rapper subirá ao palco acompanhado da banda Ira! e Toni Tornado no primeiro dia do festival, 18 de setembro

Por Marina Paschoal
Estreando no Rock in Rio, o rapper Rappin Hood se apresentará no palco Sunset no primeiro dia de festival, 18 de setembro, acompanhado do Ira! e Toni Tornado. "Vai ser uma honra pra mim representar o rap e o hip hop no Rock in Rio", comentou.
Os ensaios para a apresentação já começaram e a sintonia parece estar boa. "A vibe e energia estão sensacionais nos ensaios, eles são ótimos parceiros. Vamos fazer um show pesado!", ele conta.
Rappin Hood nunca foi ao Rock in Rio e não será dessa vez que poderá assistir ao festival. Por conta da sua agenda de trabalhos, o rapper terá que ir embora logo após sua apresentação.
 Apesar de lamentar, ele confessa: "infelizmente não vou poder curtir ao vivo, mas com certeza vou acompanhar o show do John Legend pela TV. Vai ser um show monstro!!".
Com projeto novo em andamento e previsto para meados de outubro ou novembro, pela Som Livre, Rappin Hood faz suspense. "Pretendo viajar o Brasil inteiro para divulgar meu CD novo 'Sujeito Homem 3', mas não vou dar  mais detalhes pra não estragar a surpresa", disse.

FONTE\QUEM
Gloria Pires sobre 'Babilônia': 
"Devo essa personagem a drag queen RuPaul"
Atriz se despede de Beatriz, diz que ainda não vai tirar férias e fala da relação com a filha Antonia Morais

Por Carolina Farias
Os olhares e gestos trocados entre Gloria Pires e Antonia Morais mostram que ali a relação é de muito amor e confiança.
 Se na vida real o afeto é explícito, na ficção pode ser diferente. A dupla está na comédia Linda de Morrer, que entrou em cartaz dia 20, na qual interpretam mãe e filha que não se entendem.
 “Sou uma mãe amorosa e cuidadosa”, diz Gloria, ao lado de Antonia, em conversa com QUEM em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro.
"Crescemos superbem. Dá para ver, cada um de nós segue um caminho”, completa a atriz e cantora de 23 anos, irmã de Ana, de 15, e Bento, de 10 – todos filhos do casamento de 28 anos de Gloria com o músico Orlando Morais, de 53 –, e de Cleo Pires, de 32.
Antonia contracena pela primeira vez com a mãe. As duas fizeram parte do remake de Guerra dos Sexos (2013), mas não dividiram cenas.
 “É diferente do convívio em casa. Cheguei a ficar preocupada”, diz Gloria, que está na reta final de Babilônia na pele de Beatriz, e esbanja boa forma e beleza aos 52 anos. 
“Os anos me trouxeram muita coisa boa”, afirma a atriz, exemplo para a filha. “Minha mãe é linda”, derrete-se Antonia.
 É a primeira vez que vocês atuam juntas. Como foi?
Gloria Pires: Nunca sabemos como será o processo de trabalho. É diferente do convívio em casa. Cheguei a ficar preocupada. Meus filhos são independentes. Não gosto de ser invasiva, mas às vezes sou sem querer.
Antonia Morais: Nunca senti essa sua invasão. Me incomodaria. Não dá para pensar com seu cérebro se há pessoas tomando esse cuidado por você. Tem que tentar fazer sozinha.

 Como foi a experiência para você, Antonia?
 Foi engraçada e muito legal também. Eu estava isolada por um ano preparando as músicas do meu novo trabalho (Milagros). Quando surgiu o filme, vi uma oportunidade de voltar a trabalhar em grupo e exercitar meu lado atriz, que eu não queria deixar parado.

  A relação de mãe e filha no filme é conflituosa. Mas você, Gloria, é mais amorosa, não?
 É difícil falar de si sem se ver de fora. Sou uma mãe amorosa e cuidadosa. Eu e Orlando incentivamos a independência para nossos filhos tomarem o caminho que quiserem, seja tatuar, fazer música, pichar o quarto... o que os inspirar.

 Quando você vê suas filhas interpretando, é mais crítica ou coruja?
 Não me acho coruja (Antonia ri). Realmente tem uma emoção. Ver um filho em ação é aquele momento em que penso: “A vida segue, eles estão aí buscando, se encontrando”. Tem a vibração com essa expectativa, essa novidade, a pureza que se manifesta é muito poética. Fico emocionada (os olhos de Gloria se enchem d’água e ela faz um carinho em Antonia).

  Antonia, você se acha mais parecida com seu pai ou sua mãe?
 Sou parecida com ele. Mas quando vejo uns vídeos de Dancin’ Days (1978), acho que sou igual a ela. É bom porque minha mãe é linda! E o meu pai também! Peguei um pouco dos dois, graças a Deus!

 Vale qualquer sacrifício pela beleza?
AM: Para mim não vale.
GP: Hoje todo mundo tem uma questão com a autoimagem, as pessoas se veem mais, se fotografam mais. A foto tem uma proporção absurda. Não é fácil lidar com a ideia que as pessoas têm de você e como você se enxerga. São coisas distintas. Isso era um problema que só artistas e modelos sentiam. Hoje a autoexposição é geral, é muito grande. É natural que essas questões ganhem uma proporção descomunal. 

 O filme fala sobre a busca da beleza. Você já fez algum procedimento estético, Gloria?
 Já fiz várias coisas, mas o essencial é ter bom senso. Cada um sabe de sua necessidade. Eu, por exemplo, não sou consumista. Nunca vou às compras quando estou deprimida. Só compro quando preciso. Penso, olho e se tenho dúvida não compro. Até que ponto vale buscar toda essa tecnologia e o conforto que temos hoje? Temos autonomia para dizer: “Agora chega, quero desligar meu celular”.

 E você consegue?
 Durmo de celular desligado!

Como mãe, já sentiu culpa e pensou: “Devia trabalhar menos”?
GP: Já tive muito esse questionamento. Pensava em diminuir, mas no começo da carreira é preciso marcar seu espaço. A maturidade e a vivência com os filhos e com o marido, que também é workaholic, ajudaram.
AM: Crescemos superbem. Dá para ver, cada um de nós segue um caminho.
GP: Tem dado certo. O Marcos Palmeira compartilhou no grupo de WhatsApp da novela uma mensagem do papa Francisco muito bacana: “Não existe família perfeita, não existem os pais perfeitos, os filhos perfeitos, porque ninguém é perfeito”. Isso é obvio, mas a gente é tão prepotente em achar que comanda a vida, que faz as escolhas. Na verdade, agimos de acordo com o que temos à mão. Se só há a opção de precisar trabalhar, tem que trabalhar.

E como está a vida depois dos 50 anos?
Minha vida toda melhorou. Não só depois dos 50, mas com o passar dos anos, que foram me trazendo paz, segurança, conhecimento. Colho os frutos e o resultado de crenças e ideias realizadas. Os anos me trouxeram muita coisa boa. A idade é uma aliada.

  Dá para desacelerar e curtir as conquistas?
 É o plano. Orlando e eu estamos trabalhando nisso, de como usufruir mais. Trabalho muito, mas curto bastante também. Cada pequeno momento, cada pequena felicidade para mim conta: em um set de filmagem, em um almoço, na sauna ou na academia... Uma troca de mensagem importa.

  Orlando ainda se divide entre Rio e Paris? Você já se acostumou ou ainda sente?
 Sim, e eu ainda sinto. Quando não estou trabalhando, vou também. Quando estou aqui é complicado. Estamos conseguindo levar, mas é difícil. O resultado para ele está sendo muito bom. Mas estamos trabalhando na ideia de tentar nos organizar para curtir mais tempo juntos.

Ainda pede netos?
AM: Agora ela pede para mim (Gloria ri).
GP: Pedi para o Bento e ele disse que quer ter um monte de filhos...
AM: Eu também quero, mas estou só com 23 anos!

  Está namorando, Antonia? Pensa em se casar?
AM: Sim, namoro o Romeu (Bentes-Montenegro, de 23, estudante). Mas ainda não penso em me casar.

 Quando Babilônia acabar, vai descansar?
As férias vão esperar um pouco. Só poderei pensar nisso no fim do ano porque tenho uma participação em um filme.

  O que podemos esperar para o fim da Beatriz?
 Não tenho a menor dica. Tudo o que não fizeram na novela inteira estão fazendo agora. Cada capítulo é uma reviravolta, como se a novela estivesse começando. Isso é ótimo porque é surpreendente. Mas não tenho a menor ideia do que vai acontecer, já tentei saber.

 O visual da Beatriz está entre os mais pedidos na Central de Atendimento ao Telespectador da TV Globo. Isso a deixa lisonjeada?
 Claro, porque a ideia era fazer essa mulher icônica. E criar um ícone é diferente de copiá-lo. É muito bom ver que tenham comprado a ideia, concordado com os detalhes que formam essa vilã sedutora.

  Você se sente sedutora e sexy como ela?
 Não. Esse foi um grande desafio. Devo essa personagem a RuPaul (drag queen, modelo e cantor americano). Sou louca por ele! O programa RuPaul’s Drag Race (uma competição entre drag queens) me ajudou a encarar essa história. Assisti às seis temporadas. Mas não sou a Beatriz. Em casa  Gloria é Gloria, aleluia (risos).

FONTE\QUEM
Giovanna Antonelli sobre boa forma: 
"Trabalho com medidas"
Atriz diz que teve se cuidar para viver vilã Atena, na novela "A Regra do Jogo"

Giovanna Antonelli contou ao jornal “O Dia”que para viver Atena, sua personagem em “A Regra do Jogo”, novela das 9 da TV Globo que estreia amanhã, não podia estar acima do peso.
 “As roupas dela necessitavam de uma mulher magra porque são decotadas, com pouco pano”, explicou a atriz, que não liga para o número na balança. 
“Não trabalho com peso, trabalho com medidas. Mas me alimento bem, faço crosssfit”, disse.
Ela, que sempre faz personagens que lançam moda, antecipou o que vem por aí com a novela:
 “Atena tem muita personalidade, vai trazer muita novidade para todo tipo de mulher como acessórios, capinhas de celular, sapatos, unhas”. 
Conhecida pelos negócios – Giovanna tem linhas de esmaltes, bijuterias e óculos, além de ser sócia de um restaurante -, ela jurou ser pé no chão. 
“Não sou consumista. Sou conservadora. Gasto para viver com o mínimo de conforto.”

FONTE\QUEM

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Paolla Oliveira:
‘Estou sujeita à indústria de fofocas’
Por Leo Dias
Na pele da vilã Melissa, em ‘Além do Tempo’, Paolla Oliveira tem dividido opiniões. 
Há quem acredite que todas as maldades da personagem são justificáveis por conta do amor que ela sente pelo Conde Felipe, papel de Rafael Cardoso. 
Mas também há quem fique contra a personagem quando ela desconta a sua ira nos empregados do casarão onde mora. 
Na entrevista a seguir, a atriz conta como é fazer uma vilã e acaba de uma vez com os boatos sobre sua vida amorosa.

‘Além do Tempo’ é uma obra-prima. E ainda tem você como vilã. Por tudo isso, é uma novela especial? 
Esta novela é um presente depois de ter saído de um trabalho tão incrível como foi ‘Felizes Para Sempre’. É maravilhoso estar em um trabalho tão poético quanto este.

Quantos anos vão se passar na mudança de fase?
Serão 50 anos. A gente renasce em outras vidas. Tem muito elemento novo. A gente agora vai para 2015, tempos atuais. Muda todo mundo, mas com seus carmas, suas novas chances… É interessante.

Você acredita em carma?
Eu acredito. Eu realmente acredito na frase que diz que o que a gente plantar é o que vai colher ali na frente.

O que você ouve nas ruas?
Ouço muito as pessoas dizerem que Melissa está fazendo o certo. As pessoas compram a Melissa de uma forma muito diferente. Fiquei surpresa com isso. As pessoas acham que ela faz tudo isso porque é apaixonada pelo Conde Felipe (Rafael Cardoso). E tem gente que fica brava porque ela desconta tudo nas criadas do casarão.

Você faz muito comercial de TV. Mas eu fico pensando que, depois de ‘Felizes para Sempre’, você deve ter recebido propostas de trabalho mais ousadas, não? Você recusou trabalhos de publicidade depois de ‘Felizes para Sempre’?
(Risos) Não… Acho que ganhei mais credibilidade em relação ao meu trabalho. Acho que ficou marcada a mudança da Paolla, que fazia papéis mais doces…

Você fez uma tatuagem aos 33 anos. Por que um sol?
Fiz um sol, mas já estou querendo mais. Diziam que fazer tatuagem vicia e eu não acreditava. Mas é verdade. Não tenho intenção de tatuar o corpo inteiro, mas pequenos símbolos fazem parte da vida. Eu desenhei um sol no pé esquerdo porque eu acho que a energia do sol é de vitalidade, de luz e eu gostaria que ele estivesse presente na minha caminhada. Parece clichê, mas é verdade.

Tem um significado ser no pé esquerdo?
Não… É o pé que eu gosto mais! (risos). Um outro símbolo que eu tenho muita vontade de fazer é uma pena, que é símbolo de força, poder, espiritualidade. São coisas que eu acredito que tenham que permear a nossa vida. Eu ainda vou fazer uma pena e mostro para você primeiro.

Você está muito magra, o braço está muito fino…
(Risos) Você gravou isso??? Mulher tem um problema com braço muito grande que eu não entendo! Mas é um problema mesmo (risos)! Porque a gente não consegue esconder. Tem lugar que dá para disfarçar, mas é beijo no ombro pro braço gordo.

Eu estava conversando com uma amiga e ela me disse que achava que você tinha feito lipo no braço. Existe lipo no braço?
Existe lipo em todos os lugares, Leo! Eu não fiz lipo no braço e nem faria. Não faz o menor cabimento. Mudei minha alimentação, meu jeito de viver, me exercito mais.

Por que a boataria de que você estaria namorando o ator Emílio Dantas e depois o diretor Rogério Gomes (Papinha) te deixou tão revoltada? É por causa do trabalho?
Não só isso. É como se jogassem várias coisas pra ver se uma delas acerta. É um bombardeamento de coisas inventadas com tanta rapidez que eu fico chocada. Na internet, as pessoas replicam. Eu sei que estou sujeita à indústria de fofocas. Não sou ingênua. Mas do jeito que fazem, vira uma informação jogada que não é verdadeira. E aí a outra parte fica sem força nenhuma.

Eu procurei sua empresária para saber e não publiquei diante da negativa. Não sei se ela te contou.
Pois é. Porque eram três coisas: a minha volta com o Joaquim (Lopes), o envolvimento com o Emílio e depois com o Papinha. É difícil rebater.

Mas você saiu com o Emílio em algum momento? Porque me disseram que você foi assistir a uma peça com ele no Theatro Net.
Sim. A gente foi assistir a uma peça com um grupo grande da novela. Fomos ver ‘Maria do Caritó’, que tem a Dani Barros, que também está no elenco de ‘Além do Tempo’. Inclusive, depois a gente foi jantar. É um prato cheio para fofoca. Mas eu acho que o mundo está cheio de gente infeliz e invejosa. Eu estou dizendo nas entrevistas que estou feliz no meu trabalho, estou feliz na minha condição de solteira, mas parece que isso não é suficiente. Mas eu acho que essas informações não geram tanta mídia.

Mas você conheceu outras pessoas depois que se separou, não?
Posso te falar? Eu estou sem domingo desde fevereiro. Que horas que eu vou conhecer alguém?

Como você vê a Paolla daqui a dez anos?
É tão difícil responder isso… Sou muito do dia a dia, do hoje.

Imaginei que você fosse dizer que estaria casada, com dois filhos, morando em São Paulo, fazendo uma novela a cada cinco anos…
(Risos) Para de palhaçada (mais risos)! Você nunca ouviria isso da minha boca. Eu não faço esses planos de fazer uma novela por ano porque, às vezes, a gente se decepciona com a gente mesmo. Quero que a Melissa possa de novo dar uma mexida nas pessoas. Será que ela é boa? Será que ela é má? E aí a gente se fala de novo em fevereiro…

FONTE\ODIA
João Baldasserini, apontado como affair de Paolla Oliveira, comenta repercussão: 
‘Foi assustador, de repente fiquei superpopular’
João Baldasserini vai fazer participação no início de “A regra do jogo” .
No início do ano, João Baldasserini viu sua vida pessoal ser assunto pela primeira vez ao ser apontado como affair de Paolla Oliveira, com quem trabalhou na série “Felizes para sempre?”.
 Mas a novidade não incomodou o ator. Muito pelo contrário.
“Foi uma loucura e assustador! De repente fiquei superpopular. Mas achei até divertido”, recorda ele, que só teve uma preocupação. 
“Não queria ser reconhecido por isso. Somos amigos”, comentou ele na festa de lançamento da novela “A regra do jogo”, na noite desta quinta.
Ele, que vai fazer uma participação nos primeiros capítulos da próxima novela das 21h, espera ainda ser seguido por paparazzi nos momentos de folga. 
“Acho que isso é uma consequência do reconhecimento do trabalho. Vou até achar bom”, diverte-se o ator.
Solteiro, João Baldasserini afirma ainda que não descarta um romance: “Não estou fechado para o amor”.
Alguém se candidata?

FONTE\EXTRA
Aos 44 anos, Luciana Vendramini posa sexy e diz que é contra plástica e retoques:
 ‘Sou 100% natural, como vim ao mundo’
Luciana Vendramini posa sexy e sem retoques aos 44 anos

Na última semana, Luciana Vendramini iniciou uma espécie de campanha pelas fotos sem retoque nas redes sociais.
A cada foto postada, um alerta “sem filtro ou Photoshop”. Símbolo sexual das décadas de 80 e 90, ela segue musa aos 44 anos e fala da ditadura da perfeição e da eterna juventude.
“Somos nós que vamos criando essas regras da perfeição. Aqui ninguém pode envelhecer, tem que ficar bela sempre.
Acho isso um horror, uma escravidão. Ficar refém da vaidade realmente é uma grande cilada”, diz Vendramini, que garante também nunca ter recorrido às plásticas:
“Tenho uma genética abençoada. Minha família toda aparenta mais jovem. Meu avô morreu com 90 anos sem uma ruga e minha avó também.
Nunca fiz uma limpeza de pele, acredita? Tenho pavor de injeção, não pretendo fazer nada, sou 100% natural, como vim ao mundo.
 Digamos que meu corpo é mais renascentista, não sou esquelética, como já fui antes. ”.
Luciana Vendramini posou duas vezes nua
A loira, que protagonizou dois ensaios para a “Playboy” (o primeiro, de 1987, é cultuado até hoje), começou a fotografar quando corrigir uma imagem era coisa rara: 
“Não sofri com problemas de retoques. Na época em que eu modelava, não existiam tantas ferramentas. Confesso que acho linda barriguinha tipo anos 80”.

FONTE\EXTRA
Alessandra Maestrini encontra vítimas de preconceito e alfineta: 
‘Quem pratica bullying contra gays passa atestado de enrustido’
Após assumir a sua bissexualidade, Alessandra Maestrini agora se dedica à luta contra o preconceito.
A atriz e cantora viajou a Londres para uma participação no show beneficente em prol da ONG RU Comingo Out, que cuida de homossexuais que sofrem bullying. 
“Quem pratica bullying contra gays está passando um atestado de enrustido”, afirma ela à revista "Contigo!".
A declaração sobre sua opção sexual foi dada em 2014. Segundo Alessandra, ela tem necessidade de falar sobre o assunto. 
“Porque é importante o outro saber que ele não está sozinho, que ninguém pode privá-lo de sua liberdade de expressão, de ser quem ele é”, diz ela, que avalia a resposta do público como positiva.
“Comecei a receber muitas cartas e e-mails de pessoas me agradecendo por eu ter falado tão abertamento da minha identidade sexual. 
Por causa de um filho, de um irmão... Essas pessoas se sentiram acolhidas por mim.
E eu por elas”.
Alessandra Maestrini recorda ainda que sofreu bullying na infância, mas por outro motivo: 
“Eu era tímida, gordinha, usava aparelho nos dentes, tinha muita espinha no rosto e me vestia com aquelas roupas hippies, sabe?
Pensando bem, eu também não colaborava muito”, brinca ela, que muda o tom ao falar sobre o trabalho da instituição.
 “Mas bullying é algo sério. Nessa ONG, há homossexuais que tentaram se matar porque acham que não merecem existir tamanho o incômodo que causam para aqueles que os atacam. Isso é horrível”.

FONTE\EXTRA
FOFOCANDO NA WEB

Fofoca 1
Um famoso apresentador está se achando demais, tudo porque seus assessores trabalham muito bem pela sua imagem...
Mas na verdade, ele não é nada daquilo que o "vendem"...
Ele NÃO é bom marido,bom amigo, bom cidadão e muito menos o pai perfeito.
Ele trai a esposa dedicada e ingênua com qualquer sub celebridade ou candidata a sub celebridade que aparece, dizem até que faz teste de sofá.
Paga de bom e exemplar cidadão mas não faz nada para ajudar o próximo, dizem que quando desliga as câmeras não deixa ninguém chegar perto e passa alcóol para desinfetar na frente das pessoas e que tudo que dá é ganho de terceiros, fora coisas que promete e não cumpre.
Trai suas amizades por beneficios próprios e usa algumas amizades internacionais para ganhar vantagens no Brasil. Fora que muitas ele nem é amigo, só conhecido.
Não para em casa, e quando está nem olha para a cara de seus filhos, só fica no celular e bebendo.
Xiii, pelo visto a máscara do bom moço dele começou a cair...
DETALHE:
Sua esposa já falou em separação 3 vezes mas ele a contorna porque não quer perder essa imagem de familia perfeita, pois isso lhe dá muita credibilidade.

Fofoca 2

Famosa cantora anda dando trabalho para sua assessora, tudo porque a moça não deixa um homem passar sem querer pegá-lo.
A musa que não é tão musa assim não pode ver um homem que fica louca, quando o cara não lhe dá bola ela chega até a dar carteraço para vê se o rapaz muda de ideia.
A pobre assessora já lhe avisou que não vai ficar arranjando e encobrindo encontros para ela.
Mas a musa que é meio ninfomaniaca, não está nem ai, só quer saber de sexo e bebidas...
Pelo jeito seu futuro será bem parecido com o daquela cantora internacional...

domingo, 30 de agosto de 2015

Alinne Moraes posa exuberante para revista de moda e fala sobre afastamento de novelas: 
“Poderia ser dona de casa”
A atriz estava afastada da televisão desde 2011.

Alinne Moraes, que está no ar como Lívia, em “Além do Tempo”, posou cheia de estilo e com um decote profundo para a revista “Estilo” de setembro.
Em entrevista, a atriz, que estava afastada da televisão desde 2011, disse que ficou sem fazer novelas para se dedicar ao filho Pedro, que nasceu em maio do ano passado.
“Gostei disso. Fazer essa pausa foi um privilégio. Acho até que poderia ser dona de casa, mas não seria inteiramente feliz sem o meu trabalho”, comentou.

FONTE\OSUL
Thiago Martins se declara para a amada, Paloma Bernardi:
 "Mulher mágica"
O ator de 'Babilônia' fala da eleita e recorda lições da infância

No ar em Babilônia como o atleta de salto ornamental Diogo, que vem chamando a atenção pelo seu corpo sarado — 81kg em 1,78m — e as cenas quentes com Beatriz, personagem de Gloria Pires (51), o ator Thiago Martins (26) guarda uma frase para sempre em sua vida. 
“Tudo o que tiver que ser meu vai ser, está escrito! Claro que desejo continuar tendo o reconhecimento do meu trabalho, fazendo bons personagens, alcançando objetivos. 

Mas a realização dos sonhos, isso deixo nas mãos de Deus”, conta o namorado de Paloma Bernardi (30), na Ilha de CARAS. Sua trajetória de sucesso na área artística começou aos 6 anos, no grupo teatral Nós do Morro, da comunidade carioca do Vidigal.
 “Lá aprendi a nunca desistir”, destaca. Há cerca de dois anos, Thiago deixou o local e mudou-se para o Itanhangá com a mãe, Maria Lúcia (47), e o irmão, o ator e produtor Carlos André (33). Porém, em breve, deve morar sozinho. 
“Mas não vou deixar de frequentar o Vidigal nunca, lá é a minha área, meu cais. Se aqui fora sou o Thiago Martins, ator, cantor, lá sou o Thiaguinho, moleque que todos veem de pés descalços, jogando futebol, fazendo um pagode, um churrasco”, diz.
 Quando o assunto é o coração, ele não poupa declarações apaixonadas a Paloma, com quem se relaciona há três anos. 
“Além de linda, é totalmente especial, foge de todos os padrões, de tudo. Paloma tem uma essência muito bacana, parecida com a minha.
 É uma mulher mágica, chegou para ser um ponto de equilíbrio”, derrete-se. Após o fim da trama das 9, ele dedica-se aos shows do primeiro disco solo, que leva seu nome. 
O álbum de pop brasileiro, com pitadas de samba rock, traz 15 faixas inéditas, algumas autorais. 
Na música Reprise, faz dueto com Ivete Sangalo (43). Para este semestre, aguarda também o lançamento do longa Operações Especiais, de Tomás Portella.

FONTE\CARAS
Cláudia Ohana declara: 
"Tenho uma onda zen"
Ela renuncia aos rótulos e mostra-se em ótima fase

O estilo de vida mais low profile de Cláudia Ohana (52), além das batas e dos vestidões que usa, renderam a ela a fama de hippie. 
A estrela, no entanto, rejeita esse rótulo. “As pessoas têm essa imagem minha. Só porque tenho cabelo crespo, que sou crespa, então sou hippie? 
Não é verdade. Eu como de tudo, adoro roupas boas...”, enfatiza Claudia, enquanto toma café e delicia-se com uma fatia de bolo, na Ilha de CARAS, sem nenhuma culpa.
 “Posso me dar ao luxo de comer rabada... O meu biótipo ajuda. Não sou histérica, mas não existe milagre para ser magra”, conta ela, praticante de yoga, com os mesmos 45kg, distribuídos em 1,60m, há anos.
Mãe da diretora Dandara Guerra (31), com o cineasta e poeta moçambicano Ruy Guerra (83), e avó de Martin (10) e Arto (2), Cláudia chega a ficar sem jeito ao escutar dos amigos que o tempo é seu aliado. 
No entanto, aponta que seu estado de espírito pode ajudá-la a manter-se sempre bem. “Fui ficando jovem de personalidade.
 Esse negócio de idade é relativo”, pondera a atriz, cheia de disposição aos 35 anos de uma carreira com sucessos como Vamp, de 1991, e A Próxima Vítima, de 1995. 
Atualmente, divide-se entre as gravações da segunda temporada da série da HBO Psi, as filmagens do longa Vale Tudo, no qual vive a mãe do lutador José Aldo (28), e os preparativos para apresentar o monólogo A Voz Humana, sem previsão de estreia.
 “Nesses momentos de trabalho, me poupo. Fico em casa nos dias de folga. Esse é o meu lado velho, talvez...”, analisa.
Não é hippie, mas é zen?
Tenho uma onda zen. Faço meditação transcendental, yoga, me alongo. Tenho rituais.

A jovialidade e a energia vêm do convívio com os netos?
Essa vibração fica na gente. Ao mesmo tempo, acredito que o artista não tem muita idade. Me identifico com uma pessoa de 20 e poucos anos ou mais velha.

Então, como acaba ficando sua relação com Dandara? Mais de mãe ou de amiga?
Em primeiro lugar, Dandara é filha, apesar de ser muito madura. Temos uma ligação forte. Meus melhores amigos são da minha família, trabalhamos no mesmo universo. É como acontece no circo.
Você também é meia-irmã do autor João Emanuel Carneiro. Fala-se muito de trabalho em casa?
Ah, isso é inevitável... E eu adoro reunir todo mundo para conversar. E também para fazer uma jogatina.

Você foi criada por uma tia. Queria logo ter sua família?
Acho que sim, só que não tinha muita consciência sobre isso. Com certeza, eu formei a minha família muito cedo.

Por que só teve a Dandara?
Não sei porque não aconteceu outro filho. Com a Dandara, fiquei quase dois anos parada, é preciso dedicar-se a um bebê. Mas pensei em ter mais uma criança na minha vida. Elas dão uma rejuvenescida, só que cansa. É um investimento a dois. Às vezes, acho que é loucura. Mas eu curto muito os meus netos.
Sente-se sortuda por sua filha ter dado a você dois menininhos como netos?
Gostei bastante. Na minha família, já tinha muita mulher. Eu adoro brincar de luta. Meninos são legais.

Está namorando?
Não, estou solteira!

É uma pessoa realizada?
Como mulher? Sim. Sinto-me satisfeita com bastante coisa. Eu sou uma pessoa legal e tenho uma família bacana.

Entre seus erros e acertos, mudaria algo?
Faria algumas coisas diferentes, mas todas as escolhas foram certas naquele momento. E é preciso aceitar isso. Sendo feliz ou não... Não sou ligada ao passado. Sou ligada ao futuro.
Então, não guarda rancor?
É muito difícil eu ter uma desavença, mas quando brigo, é sério. Acho que eu era zen até demais. Agora, faço terapia... 

FONTE\CARAS
Quarenta e seis quilos mais magro, Leandro Hassum faz aula de stand up paddle
Leandro Hassum  foi clicado às 6h, na praia, praticando o esporte. 
O artista, que  chegou a pesar 150 quilos, foi submetido a uma cirurgia bariátrica em novembro do ano passado  e aderiu a uma vida mais saudável. 
Parece que a perda de peso deixou mesmo Leandro Hassum com mais disposição: o ator está aproveitando para aprender novos esportes.
Ele esteve na Praia da Reserva, no Rio de Janeiro, às 6h, para praticar stand up paddle, e mostrou que tem equilíbrio sobre a prancha.
O ator foi submetido a uma cirurgia bariátrica em novembro do ano passado e já emagreceu 46 quilos. 
O artista, que chegou a pesar 150 quilos, disse que se sente com mais qualidade de vida e disposição até para levantar da cama quando acorda. 

FONTE\OSUL
Fiorella Mattheis fala sobre relação com Alexandre Pato e diz não se sentir casada
Vivendo no Rio e com o namorado em São Paulo, Fiorella Mattheis é presença frequente na ponte aérea.
Além de viajar para encontrar Alexandre Pato, a atriz ainda faz visitas frequentes à capital paulistana para trabalhar. E, quando está por lá, se hospeda na casa do amado.
Mas ela, que assumiu o romance em setembro do ano passado, diz que os dois se consideram namorados.
 “Não me sinto casada. Quando estou em SP, fico na casa dele, mas acabei de comprar o meu apartamento no Rio.
Não temos pressa para colocar um rótulo no que estamos vivendo”, afirma ela.

FONTE\OSUL

sábado, 29 de agosto de 2015

Doce lar da top Renata Kuerten em São Paulo
Ela celebra o êxito na TV e nas passarelas sem esquecer as origens

Ter os pés no chão, nunca esquecer de onde veio, não cobiçar as conquistas alheias e jamais ser desonesta. 
Com esses ensinamentos em mente, aprendidos com os pais, Lorena (54) e Nilton Kuerten (57), ainda na infância, a top e agora apresentadora do programa Chega Mais, da RedeTV!, Renata Kuerten (26) acredita ter alcançado o sucesso.
Linda e com uma carreira promissora, ela celebra a conquista de seu espaço na telinha, mas sem esquecer a origem humilde e jamais se deslumbrar.
 “Nada mudou. A diferença é que, agora, tenho uma continha mais gorda no banco, mas, de resto, continuo sendo a mesma caipirinha de sempre”, ressalta a catarinense, nascida na área rural de Braço do Norte, cidade de 10000 habitantes no interior de Santa Catarina, em seu luxuoso dúplex, em São Paulo, onde vive desde janeiro com o eleito, o empresário Alberto Senna (34), e os cães jack russell terrier Toro e Nikita.

Na infância, Renata e as irmãs ajudavam os pais na lavoura. A rotina consistia em fazer o almoço, ajudar a colher legumes e frutas e cuidar de uma granja.
 A casa onde vivia, conta ela, era bem simples, com uma TV em preto e branco e sem telefone. 
Ao ser descoberta por um olheiro na escola, por volta dos 14 anos, participou de um concurso e, vencedora, logo veio para a capital paulista. Daí, não parou mais: conquistou carreira internacional, morou na França, Alemanha, Espanha, Itália, Israel e nos EUA, e tornou-se um dos nomes mais requisitados para trabalhos de moda praia. 
“Mesmo tendo pouco, era uma criança feliz. Na adolescência, eu era mais baixa, tinha o cabelo mais curto, meu dente era meio tortinho. Coloquei aparelho e tive de trabalhar como babá para pagá-lo. Batalhei muito para conseguir alguma coisa na minha vida”, relembra, orgulhosa.
Está gostando de sua performance como apresentadora?
Estou adorando! Quando me vi no vídeo pela primeira vez, não imaginei que fosse ficar tão bom. Mas me achei linda, simpática, tem sido divertido.

Fez preparação?
Fiz aulas com uma fonoaudióloga e também para aprender a me posicionar diante das câmeras, a me mexer. Mas eu sou bem descontraída e expansiva.

Você é de família humilde e hoje tem boa condição financeira. Administra bem o dinheiro?
Cuido de tudo. Gosto de investir em imóveis, terrenos e não gasto com roupas, sapatos e bolsas. Não esbanjo! Também tenho o meu carro e ajudo minha família. Quando comecei a ganhar meu dinheiro, eles eram a prioridade.
Por ser de uma área rural, estar em SP não a assustou?
Não! Estava louca para conhecer o mundo, sempre fui muito esperta. A gente não tinha dinheiro para nada, eu morava no meio do mato. Queria trabalhar e poder ajudar a minha família e comprar uma casinha.

Passou alguma dificuldade?
Ficar longe de casa. Na carreira de modelo, as coisas não acontecem do dia para a noite e muitas vezes pensei em desistir. Mas meus pais me deram força e nunca reclamei. Hoje tenho uma vida boa.
A novela global Verdades Secretas aborda o tema da prostituição entre as modelos, o ‘book rosa.’ Já recebeu proposta assim?
Nunca. Mas isso existe, claro, e em qualquer profissão. No meu meio eu nunca vi nem fui abordada. E jamais me venderia por dinheiro. Como minha mãe sempre disse, tenho braços e pernas e posso trabalhar. Faço uma faxina que é uma beleza! (risos)
Você e Alberto namoram há quatro anos. Pensa em casar?
Nunca tive este sonho, sempre fui meio moleca. Já ele quer muito, com tudo o que tem direito. Mas sou nova, quem sabe quando tiver uns 35? Tenho mais vontade de ter filhos do que de casar. Quero ter quatro meninos!
Como se conheceram?
Por amigos em comum. Ele é de Brasília, mas mora aqui há sete anos. Foi uma conquista mútua e acabou rolando. O Beto é um cara muito legal, inteligente e muito romântico. Todo fim de semana ele me leva o café na cama.

Se acha uma mulher sexy?
Óbvio, eu causo! (risos) Quando saio para algum evento, adoro jogar o meu cabelo para o lado, tirar fotos de um jeito mais sensual. Adoro perceber que tem alguém me olhando, gosto dessa coisa sexy da provocação.

FONTE\CARAS
Tour de Luciana Gimenez em Londres: 
"Lembranças"
A estrela revive a fase na terra de Mick Jagger, pai de seu Lucas


Um dos destinos que mais encanta os turistas em viagens pela Europa, conhecido por suas atrações imponentes como o Palácio de Buckingham, residência oficial da família real britânica, o icônico Big Ben e a Tower Bridge, 
Londres se tornou uma das moradas da apresentadora Luciana Gimenez (45) em seus tempos de modelo, na década de 1990. 
Até hoje, passear pelas ruas do bairro de Chelsea, onde viveu, traz agradáveis lembranças.
 “Quando era adolescente, não tive a oportunidade de morar fora, por questões financeiras.
 Então, quando me tornei modelo, morei em diversos lugares do mundo. 
Londres é uma cidade maravilhosa! É um lugar difícil de viver no inverno, mas aprendi coisas típicas dos britânicos, como ser pontual e ter disciplina”, fala a estrela, que comanda os programas SuperPop e Luciana by Night, ambos na RedeTV!, hospedada no apartamento de sua agente na cidade, Mignon Matthews (39), durante o tour.
 Com veia empreendedora, ela também aproveitou a viagem para pesquisar tendências para sua linha de esmaltes, que deve ser lançada no segundo semestre. 
Casada há nove anos com o sócio e VP da emissora, Marcelo de Carvalho (53), com quem tem Lorenzo Gabriel (4), e mãe ainda de Lucas Maurice Morad Jagger (16), da relação com o roqueiro inglês Mick Jagger (72), que mora na cidade, onde costuma receber Lucas para parte das férias — o restante é passado em destinos exóticos como a savana africana. 
Luciana, mesmo levando vida serena ao lado do clã e realizada profissionalmente, ainda sente falta de algo: dedicar-  se ao cinema.
“Há um tempo penso nesta possibilidade, mas sempre acontece algo no meio do caminho, um roteiro que não vai para a frente, ou uma crise econômica, como está acontecendo agora, e isso não se concretiza. Mas continuo tentando”, diz ela, sempre de bom humor.
– Como foi estar novamente na sua amada Londres?
– Revi amigos, passei em frente ao apartamento onde morava, em Chelsea, e também na King’s Road, famosa avenida do bairro. Quando morei aqui, não tinha boa condição financeira, mas, ano passado, após uns seis anos sem vir, voltei com Marcelo e ele me levou a bons restaurantes. Muitas coisas mudaram, são boas lembranças.

– Você tem algum ponto turístico preferido?
– Quando você mora nos lugares, não tem este hábito de ir aos pontos turísticos. Mas gosto do Palácio de Buckingham, pois adoro a monarquia.

– O que mais a atrai na cidade?
– Londres é segura e gosto do fato de você poder ser quem você é. Ninguém lhe julga pela aparência. E o senso de humor inglês é delicioso. Eles não se preocupam com o politicamente correto. Não que eu seja contra isso, mas, às vezes, uma piada é só uma piada.
– Você é apresentadora, mãe, precisa cuidar da família... Como faz para conciliar tudo?
– Estou sempre correndo, sempre cansada, as pessoas até riem de mim por causa disso, às vezes fico doente. Como durmo tarde, perco parte do dia, porque quando estou trabalhando, não consigo dormir cedo. Durante a madrugada, acabo ficando acordada, leio, vejo um filme e vou dormir por volta de 4h. É o momento em que a casa está mais calma.

– Sente falta de algo?
– Ter mais tempo para mim. No fim de semana, tenho de ficar com os meninos. No dia a dia, tento jantar com eles, coloco o pequeno para dormir. E não é só isso, tenho de ver tudo, organizar as coisas para eles irem ao colégio, a organização da casa. Tenho gente que me ajuda, mas sou a cabeça de tudo.

– Você sempre posta algum procedimento estético seu nas redes sociais. Impõe algum limite para a sua própria vaidade?
– Acho que é o limite da saúde. Nunca fiz nenhum procedimento definitivo. Faço procedimentos paliativos, agora, mexer na boca, no nariz, acho que foge um pouco do controle. Não quero ficar com a cara inchada, como se tivessem batido uma panela nela. (risos)

– Teme envelhecer?
– Envelhecer não é legal. Na verdade, é péssimo, é tudo errado, mas fazer o quê? Você fica mais madura, mais exigente com as coisas, a cabeça fica melhor, mas e aí? O problema do envelhecimento não é só o corpo. O tempo passa muito rápido e isso é horrível.

– Se acha uma mulher bonita?
– Sei que nasci bonita, já trabalhei com isso. Me garanto, mas não me acho a última bolacha do pacote. Sempre me arrumo bastante para ir a uma festa, mas, no dia a dia, é bom ouvir elogios.
– Você congelou seus óvulos para ter mais filhos. Pretende retomar esta ideia?
– Adoro ser mãe, cuidar e estar com meus filhos. Estou tentando convencer Marcelo, que já tinha três e agora acha que já tem demais e que os meninos não caberiam todos no carro. (risos)

– Qual o segredo para um casamento duradouro?
– Fazer concessões. Relação a dois é difícil, tem de gostar da pessoa, querer permanecer ali e, principalmente, amá-la. Casamento é convivência, ninguém é igual, é preciso saber dosar as coisas.


FONTE\CARAS
Lara Rodrigues faz testes e diz 
que público cobra volta à TV
Por Anna Luiza Santiago
Lara Rodrigues, que ficou famosa por interpretar Narizinho no "Sítio do picapau amarelo", entre 2001 e 2006, hoje trabalha numa produtora no Rio de Janeiro.
A atriz está escalada para uma série na TV fechada e para uma peça de teatro infantil, mas, enquanto os projetos não começam, ela também se dedica a testes.
- Adiaram a série por causa de um problema de saúde do diretor e o espetáculo ainda está em produção.
Fiz testes para cinema e TV e depois aproveitei para viajar. Fui com uma amiga à Espanha e à Bélgica. Foi uma delícia - explica a atriz, de 24 anos, que está solteira.
O último papel de Lara foi em 2011 como a empregada doméstica Lourdinha em "O astro".
Ela diz que, apesar de não ter conseguido tantas oportunidades na TV depois do "Sítio", nunca pensou em abandonar a carreira:
- Ser atriz é uma parte tão grande de mim que não tem como abrir mão disso. Não existe a opção de desistir.
E eu nunca parei efetivamente de trabalhar. Sempre estou lendo uma peça, me exercitando de alguma forma. A questão é que estou longe dos olhos do grande público.
Ela acredita que o fato de ter começado cedo na profissão a ajudou a fazer mais contatos:
- Acabei conhecendo muita gente e me chamam mais para testes. Mas acho que, de qualquer forma, a dificuldade seria a mesma se eu não tivesse começado quando criança.
 Os testes são uma caixinha de surpresa. Às vezes você se sai bem, mas não estão procurando seu perfil.
Lara conta que, nas redes sociais, os fãs pedem a volta às novelas:
- A galera procura, vem falar. Tem um pessoal cobrando: 'Você tem que fazer novela, saudade de te ver no ar'. Acho muito gostoso esse carinho que a gente recebe.

FONTE\OGLOBO