domingo, 29 de julho de 2012

Chiquititas
 Veja as meninas da novela 15 anos após a estreia
No fim dos anos 90, oito meninas viraram estrelas mirins aosestrelar uma novela infantil
"Mexe, mexe com as mãos, pequeninas", "Não me diga mentirinhas, dói demais", "Tudo, tudo, tudo é teu é só querer"... 
Quem foi criança na década de 90 provavelmente já cantou e dançou alguns desses hits. Eles faziam parte da trilha sonora de "Chiquititas", do SBT. 
A novela, uma das de maior duração no Brasil, foi exiba entre julho de 1997 e janeiro de 2001.
 Entre as cinco temporadas da história, mais de 50 crianças integraram seu elenco, que tinha a atriz Flávia Monteiro no papel principal, o da diretora Carolina.
QUEM conversou com cada uma das oito primeiras meninas que estrelaram a atração. Afinal, o carisma e o talento de Fernanda Souza, Aretha Oliveira, Renata Del Bianco, Francis Helena, Gisele Frade, Giselle Medeiros, Beatriz Botelho e Ana Olívia Seripieri foram alguns dos ingredientes responsáveis pelo sucesso da trama.
Exibida pelo SBT, "Chiquititas" foi realizada em co-produção com a emissora argentina Telefé e as gravações eram feitas em Buenos Aires. 
Por conta do trabalho, o elenco brasileiro se mudou para lá. Inicialmente, era para a novela se chamar "Pequeninas" (o significado de chiquititas em português), mas Silvio Santos, de última hora, achou melhor manter o nome original, em espanhol.
Para o papel de Carolina, imortalizada por Flávia Monteiro, o nome de Suzy Rêgo chegou a ser cogitado, mas foi descartado.
 Anos mais tarde, a atriz viria a trabalhar com Cris Morena - idealizadora de "Chiquititas", "Floribella" e "Rebelde" - como vilã de "Floribella" (Band, 2005/06).

Relembre as primeiras Chiquititas:
Se você quiser ler entrevista completa
 de cada uma clique na foto.

Fernanda Souza: Mili
"As recordações mais gostosas daquela época são as gravações, a bagunça no camarim! E mais ainda: as vindas ao Brasil, porque víamos nossas famílias e vivíamos aquele sucesso todo, que em Buenos Aires não existia, já que a novela não ia ao ar lá."



Aretha Oliveira: Pata
"Não sofri preconceito em nenhum momento, nem no colégio, nem no trabalho. Como na Argentina tem poucos negros, eles acham linda a cor. Nunca fui vítima", afirma a atriz que participou do começo ao fim da trama.

Renata Del Bianco: Vivi
"Não há nada que pague o reconhecimento por um trabalho feito com tanto amor e dedicação. Por outro lado, a fama é sedutora, ela te envolve e quando menos esperar: te vicia. Nenhum vicio é saudável".

Francis Helena: Cris
"Tive um questionamento master porque por trabalhar desde criança parece que você não percebe que está crescendo. Tive uma crise bem louca no fim ano passado".

Gisele Frade: Bia
"Eu acho que rolou um deslumbramento normal de criança quando fica famosa. Depois coloquei os pés no chão, fui me acostumando a lidar melhor com a situação e me enxergando como qualquer outra pessoa."

Giselle Medeiros: Dani
"Não tinha ideia do sucesso que a novela fazia. O primeiro show, com estádio lotado, todos gritando meu nome, foi uma loucura. No final, fãs correndo atrás de mim com tesoura para pegar um pedaço do meu cabelo!"

Beatriz Botelho: Ana

"O que eu mais quero é ter como oferecer uma boa condição financeira para minha mãe e minha filha. Temos um teto, mas as contas vinham chegando e o pensamento era 'será que vou conseguir pagar?'.


Ana Olívia Seripieri: Tati
Não tem problema em ser reconhecida como a chiquitita mesmo andando pela empresa. Na faculdade também tem gente que fala: "A chiquitita está na sala" com aquele olhar de surpresa, e outro responde: "Não, não pode ser ela".

FONTE\GLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário