quinta-feira, 30 de julho de 2015

As 7 maiores verdades de Rodrigo Lombardi
Conversamos com o ator e descobrimos tudo o que você queria saber.

Por  Rafaela Polo


Verdade #1: “Não gosto do rótulo de galã”
“Hoje em dia esse título não melhora nem piora o meu trabalho. Mas antes me chateava porque era pejorativo. Eu não preciso ser galã. Faço meu trabalho em cima de estudo e pesquisa, e não de rótulos. Aliás, ser um homem que chama a atenção, no meu caso, é uma questão de comportamento, postura e posicionamento, resultado do trabalho. Não é estético. Prefiro assim. Se eu fosse uma mulher, por exemplo, não daria bola para alguns caras que eu vejo passando na rua. Mas, se trocasse dez minutos de conversa com eles, poderia me apaixonar, sabe?”

Verdade #2: “Todo mundo é meio vilão”
“Acho que essa história de vilão não existe. Pessoas são pessoas. Elas têm atitudes, escolhas, sabem o que é certo e o que é errado. Estou levando minhas próprias dúvidas sobre o caráter desse cara para o set e deixo que o telespectador tire suas conclusões. Não quero entregar nada de bandeja a ninguém. E não gosto quando fazem isso comigo. Não gosto de filme que tem a moral da história no final. A vida não tem moral da história, tem aprendizado.”


Verdade #3: “Não existe relação perfeita”
“Não tem receita. Você percebe que acertou quando olha para trás e pensa ‘Nossa, como passou tanto tempo’. Conviver com alguém é como equilibrar pratinhos o tempo todo e ficar tentando não deixá-los cair. Não existe essa história de casamento ideal. Isso é uma meta que você tem que buscar sempre, mas não vai ter isso na vida.”


Verdade #4: “Todo casal briga”
“Em um relacionamento, você tem que saber até que ponto a discussão procede. E, especialmente, depois de tanto tempo juntos, tem que ter maturidade para falar ‘Chega, vamos deixar isso pra lá’. Tenho uma dica de relacionamento que aprendi com a profissão: tem algumas coisas que a gente faz nas novelas que são puramente técnicas, e uma delas é entregar a câmera à atriz. Funciona assim: quando um ator termina a fala, vira para a câmera para a qual a outra pessoa vai começar a falar. Ninguém faz isso na vida real, mas um dia eu estava no meio de uma discussão com a minha mulher e, de repente, virei para o lado. Ela me perguntou o que era aquilo e respondi: ‘Estou te entregando a câmera’. Minha mulher não entendeu nada. Mas a gente riu muito e pelo menos a briga acabou.”


Verdade #5: “Ciúme faz parte”
“Minha mulher tem ciúme e eu até acho gostoso que tenha. Ela me conheceu nessa profissão e sabe como funciona. Hoje percebo que a Betty assiste aos meus trabalhos com mais maturidade do que antes, afinal são dez anos vendo o marido na TV. Mas algo nunca muda: ela diz que pior que assistir às cenas quentes que faço na novela é fazer isso quando tem gente por perto. Isso porque, quando eu beijo uma atriz, todo mundo olha para ela, e não para a TV. E qualquer reação vai ser estranha [risos]. Já eu sou um cara ciumento... Mas sou um bom ator e não demonstro!” [Risos.]


Verdade #6 :“Romantismo está nos detalhes”
“Quando alguém fala ‘Ah, uma vez eu fiz isso ou aquilo para ela’, ele não quis ser romântico, e sim se mostrar. Tem uma diferença. Prefiro mostrar meu romantismo nas pequenas coisas, que não foram feitas para ser reveladas.”


Verdade #7 “Goste primeiro de você”
“Sempre escuto mulheres dizendo que não tem homem suficiente. Por outro lado, os caras reclamam que as mulheres não são tão legais. Isso é balela. Quem diz isso não está pronto para entrar em um relacionamento. Não viva para esperar a pessoa certa, ache a pessoa certa para viver. E saiba que seu melhor companheiro sempre será você mesma. Se não souber ser boa companhia para si mesma, pode estar rodeada de pessoas, mas estará só.”

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário