quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Alessandra Ambrosio sobre bullying no colégio: 
"Orelha de abano, magra e bunda pequena"
Em entrevista a QUEM, a top model abre o coração e fala de detalhes da vida íntima, do sucesso na novela 'Verdades Secretas' e até das brincadeiras de mau gosto dos colegas de escola
Apontada como uma das mais lindas, sensuais e elegantes mulheres do mundo, a top Alessandra Ambrosio não se deslumbra. 
"Não penso nisso, não tenho troféu nenhum lá em casa", dispara. Aos 34 anos, a gaúcha da cidade de Erechim comemora os dois anos da grife que leva sua assinatura e declara que a família formada pelo noivo, o empresário americano Jamie Mazur, de 37, e os filhos, Anja Louise, de 6, e Noah Phoenix, de 3, é seu pilar.
 Com uma carreira de 19 anos como modelo internacional, ela aceitou o desafio de participar de sua primeira novela, Verdades Secretas. 
“Estou adorando fazer a Sâmia”, diz a top, em conversa com QUEM no charmoso Hotel Santa Teresa, no Rio de Janeiro.
Verdades Secretas
“O Mauro (Mendonça Filho, diretor) me ligou no ano passado para falar do projeto. Como é uma novela das 11, mais curta, dava para conciliar com minhas datas. E tive um preparador de elenco, o Sergio Penna. Está sendo ótimo, estou adorando fazer a Sâmia. Trabalho há 19 anos com meu corpo, tenho grande domínio, sei usar os ângulos. Mauro é um superdiretor e a cena (de sexo, que ela protagonizou na trama) ficou linda. O Rodrigo (Lombardi) também ajudou a parecer natural, elegante e nada vulgar.”

Book rosa
“Nunca recebi proposta, nem vi. Já ouvi falar, mas não sabia que se chamava book rosa, só que existia o negócio. Sempre trabalhei com pessoas sérias. Toda profissão tem o lado bom e o ruim. A novela é focada nisso. É bom para que as pessoas saibam, mas não conheço ninguém que faça.”

Empresária
“Minha marca está indo superbem. Lancei duas coleções em dois anos. São roupas, biquínis, maiôs, chapéus e acessórios, tudo inspirado nas minhas viagens e no meu guarda-roupa. É uma mistura de boho chique e vestidos para praia. Ainda não é vendida no Brasil, só lá fora e pela internet. Eu participo desde o conceito da coleção até a prova de roupas. É gostoso quando vejo o produto pronto. Dá um prazer...”
Bonecas
“Sempre gostei de moda. Minha madrinha (Leni Ambrosio) tinha um ateliê. Era a melhor costureira da cidade. Eu saía da escola e ficava com ela, que fazia roupinhas para minhas bonecas. Chegavam revistas e ela copiava os vestidos para mim. Eu olhava aquilo, via as modelos e pensava: ‘Quero fazer isso’. Minha filha está com ela agora no ateliê.”

Sexy
“Toda mulher pode ser sexy: uma boa maquiagem, um batom vermelho, cabelão, salto alto de vez em quando, unha feita. Há tantas armas para a gente dar um up, se sentir sensual. Mas a principal é ser você e confiar em si mesma. Mas não penso nisso, não tenho troféu nenhum lá em casa. Meus troféus são de gincana do colégio (risos).”

Família
“É a base de tudo. Minha mãe (Lucilda) está sempre por perto, minha irmã Aline trabalha comigo – era ela quem me dizia o que fazer quando eu estava grávida.”
Gravidez
“Foi um baque, minha vida mudou. Eu tinha 27 anos, estava no auge, vivia com meus amigos pelo mundo. Só tinha responsabilidade com o trabalho. Não foi algo planejado. Sempre quis ter filhos, só não imaginava naquela época. Mas foi maravilhoso. Engravidei depois de oito meses de namoro. Aí me mudei para a Califórnia com ele.
E moramos em Los Angeles até hoje.”

Casamento
“Toda vez que eu penso em me casar, aparece algo. E vejo que é complicado quando observo minhas amigas... Quero fazer algo pequeno, íntimo, só para amigos. Minha filha é doida para que isso aconteça.”

Romântica
“Mando fotos, digo que estou com saudades, envio recadinho para manter o romance. Às vezes tenho ciúmes, sei que ele é bonito. Eu o admiro, tem personalidade forte. De vez em quando podemos bater de frente, mas no fim é bom. Se for muito mansinho, a gente meio que se desinteressa. É legal ter algo que nos deixe instigada, um mistério. Uma briguinha é boa para apimentar a relação.”

Bullying
“Não sou contra plástica. Fui muito zoada na escola porque tinha orelhas de abano, mas fiz a cirurgia aos 13 anos. E aí acabou. Me senti melhor. Foi bom até para o trabalho. Nunca fui a mais popular do colégio. Eu era magra, minha bunda era pequena. A garota popular tinha bunda linda, grande. Eu estava bem longe do ideal.”
Naturalidade
“Já estou envelhecendo. Levo isso com naturalidade e tento me cuidar ao máximo. As rugas fazem parte da vida. O importante é ter saúde e cabeça. Faço laser e peeling, mas sinto medo de procedimentos com agulha. Os médicos dizem que não preciso. Tento postergar o processo.”

Boa forma
“Minha genética ajuda. Adoro sobremesa. O que não dá é comer pizza e também sobremesa. Tento me alimentar com coisas saudáveis, mas doces só de vez em quando. Enquanto meus filhos estão na escola, trabalho em casa e também faço algum exercício como pilates, barra, que é como um balé, ou ioga.”

Arroz e feijão
“De manhã meu noivo leva a Anja para a escola e eu, o Noah. Depois vou buscar as crianças e almoçamos todos juntos. Tenho uma babá brasileira, então sempre há arroz e feijão na mesa. Às vezes, uma massinha, um bife, salada, e também muitos vegetais. A refeição é bem brasileira, já que os americanos não têm o costume de almoçar em casa. É uma vida normal.”

FONTE\QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário