segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Ator estreia em novela como irmão de Giovanna Lancellotti
Por Anna Luiza Santiago
Felipe Roque fará sua estreia na TV em "A regra do jogo", próxima novela das 21h de João Emanuel Carneiro com direção de núcleo de Amora Mautner.
 O ator, que também trabalha como modelo, começou a estudar teatro aos 13 anos e está em cartaz com "Sexo grátis e amor a combinar", sua terceira peça profissional.
- Serei Kim Stewart Sampaio, um bon vivant que só pensa em surfe, gatas e praia. 
Boêmio e farrista, adora a night carioca, mora com os pais (Alexandra Richter e Otávio Müller) e é bancado e mimado por eles no começo da trama. 
Porém, parece que ele vai ter que se virar para sustentar seus caprichos quando a situação apertar.
 Sua melhor amiga é a irmã, Luana (Giovanna Lancellotti), e ele tem uma tremenda identificação com seu tio Vavá (Marcello Novaes) e com o avô Feliciano (Marcos Caruso) - adianta Felipe.
O ator é só elogios ao elenco:
- Estou encantado com Giovanna. Ela é linda, parceira, inteligente. Sou filho único e adoraria tê-la como irmã desde pequeno. 
O Marcello sempre foi um ícone para minha geração e poder contracenar com ele é fantástico. Já trocamos altas ideias, temos muitas afinidades, como surfe, lutas etc.
Aos 28 anos, ele conta que ficou surpreso ao ser chamado para atuar na Globo:
- Recebi uma ligação inesperada do Gui Gobbi, produtor de elenco, me convidando para fazer um teste no Projac dois dias antes de eu viajar para as filmagens de 'SOS Mulheres ao mar' 2. 
Na volta, fiquei radiante ao saber que tinham gostado muito e que eu precisaria começar a me preparar para essa nova aventura.
Felipe sempre sonhou com televisão, mas resolveu seguir a carreira de modelo por questões financeiras. 
Aos 18 anos, depois de entrar para a faculdade de engenharia civil, fez os primeiros trabalhos. Ele já morou um ano em Milão e trabahou para as grifes Dolce & Gabbana e Roberto Cavalli.
- Virei modelo para ganhar uma grana extra, porque vida de universitário na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) é uma dureza só. 
Sem dúvida, além do apoio dos meus pais, foi a moda que me deu o sustento para eu poder seguir como ator e estudar. 
As incertezas dessa vida artística sempre me amedrontaram e preocupam meus pais, mas cheguei a um ponto em que precisava escolher entre me dedicar integralmente à engenharia ou ir atrás de ser feliz - diz ele, que há três anos abriu a produtora Agentejunto Filmes e assinou a direção de fotografia do último longa de Domingos Oliveira, "Barata Ribeiro 716".
Com relação à fama que ganhará depois de estrear no horário nobre, Felipe acredita que não terá problemas:
- Eu realmente não faço a menor ideia do que vai acontecer. Por enquanto continua tudo igual. Acho que esse assédio e a exposição são mais presentes para os artistas quem vivem da televisão já há algum tempo. Esse é meu primeiro personagem em uma novela, então, acho que vai ser bem tranquilo.

FONTE\OGLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário