quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Péricles fala sobre apelido de "o rei da voz": 
 "Fico encabulado"
Por Beatriz Bourroul
Péricles se prepara para a estreia de sua nova turnê. O show, que será realizado no Citibank Hall, em São Paulo, no último sábado (15), conta com músicas de seu terceiro CD solo, Feito Pra Durar.
 A canção que dá nome ao álbum é um a composição de Thiaguinho, seu ex-companheiro de Exaltasamba, e Luiza Possi. “Gosto muito da parceria dos dois. Nunca tinha gravado nada dela.”
O cantor, de 46 anos, conversou com QUEM e falou sobre a vida na estrada, a possibilidade de participar de um reality de emagrecimento na TV, família e timidez.
 "A música me ajudou a deixar de ser introspectivo. Sou um ser humano melhor graças à música", diz ele, paulista de Santo André, e pai do cantor Lucas Morato, uma das revelações da música romântica. "Sempre pego no pé dele para que seja melhor."
O que você pode nos adiantar da nova turnê?
Essa turnê tem um repertório mais romântico e acho que me mostra mais como cantor. Falamos do amor de várias maneiras e isso é um diferencial bem bonito. Espero que os fãs gostem muito. Tudo está sendo feito com muito carinho.

 Existe o frio na barriga, aquela apreensãozinha básica, antes da estreia?
Encaro como se fosse a primeira turnê da minha carreira. Sempre dá um friozinho na barriga. É muita gente envolvida com o show. Saímos para estrada com 20 pessoas. Diretamente, são 20 famílias envolvidas, que torcem pelos bons resultados. É o ganha-pão. Indiretamente, são mais famílias ainda. Sabemos a da responsabilidade que é colocar uma turnê para rodas. Mas não tem preço que pague a satisfação por estar no palco.

Sua família te acompanha nos shows?
Minha família não viaja junto, mas entende bem como funciona o período de estrada. Sempre que possível todos estão juntos e estamos sempre nos falando. Meu filho, Lucas, também é um profissional da música. A gente faz o que gosta.

 Você dá muitas dicas para seu filho?
 Sei o que é o meio, a estrada. Sei como funciona esse grande mercado. Exijo que ele seja o melhor que ele puder. É doloroso, é trabalhoso. Não é só vida boa. Tem que trabalhar para se manter. Sempre pego no pé dele para que seja melhor.

Você faz a linha de paizão coruja?
Não sou tão coruja, não. Sempre digo que ele não é melhor do que ninguém. E a sociedade vai cobrar. Não é mais fácil por ser meu filho. Mas sou um pai muito feliz porque sei criei um rapaz de bem.

Após o fim do Exaltasamba, seu nome por incrível que pareça ficou mais forte na TV. Você também acha isso? Tem sentido prazer em participar de programas?
O bichinho da TV me picou, sim. Sempre gostei, mas antes ia como cantor, realizava as apresentações...

A impressão que dá é que, além do seu trabalho, hoje as pessoas conhecem mais o seu jeito de ser, ainda que você seja bem discreto.
 É verdade. Fiz a Dança dos Famosos e, a partir dali, mais pessoas me conheceram mais. Depois, veio o Esquenta!. A TV me trouxe muitos benefícios nesse sentido para mim.
Recentemente, surgiu uma especulação de que você participaria do reality Medida Certa para emagrecer. É verdade?
São rumores. Se eu fosse convidado, pode ser. Um dia, quem sabe... Para participar de um reality como este, tem que estar focado. Se eu puder conciliar, pode ser... Mas não tem nada de concreto, não.

Sua rotina é muito complicada para uma vida regrada neste aspecto, né? Procura seguir hábitos saudáveis?
Minha rotina é zero. Não tenho horários mesmo. Os hábitos mais saudáveis, eu tento. Dentro loucura toda, procuro seguir algumas recomendações.

 Como quais?
 Evitar massas, investir mais proteínas. Antes dos shows, tomo água natural. É uma forma de cuidar da voz.

Você é chamado, inclusive, de “o rei da voz”. Como surgiu esse apelido tão carinhoso?
Foi o Mumuzinho quem me deu esse apelido. Sempre que ele me encontra, ele me chama assim. Fico encabulado.

Você é mesmo bem tímido, né?
Em muitos momentos, me considero muito tímido. Tenho uma personalidade mais retraída, mas tenho tentado me soltar mais. Sempre converso na boa. Mas em 90% dos casos sou tímido. Melhorei muito do que eu era.

Você já tem um bom tempo de estrada. Quando decidiu que seria cantor?
 Desde sempre. Sou o mais velho de quatro irmãos e logo comecei a frequentar as missas da igreja católica. Cantava na igreja. A música me ajudou a deixar de ser introspectivo. Sou um cara, um ser humano, melhor graças à música.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário