domingo, 17 de abril de 2016

 Paulo Dalagnoli não quer ser mais um galã na TV: 
"Uso o Cauã Reymond como exemplo"
 Depois do sucesso como Lírio em 'Malhação - Sonhos', o ator voltou em 'Totalmente Demais' com o mesmo personagem. 
E ele se prepara para mais novidades: uma novela e seu primeiro filme, ambos para 2016.

Por Elba Kriss 
 Paulo Dalagnoli, de 26 anos, por pouco não se tornou um engenheiro químico. 
Aos 20 anos, o galã foi descoberto por um olheiro, que o trouxe de Santa Catarina para São Paulo para atuar como modelo. 
Faculdade trancada, uma mala e uma certeza: cursar teatro. 
Ser ator sempre foi um desejo para ele, que se destacava nas peças teatrais de seu colégio na adolescência. 
“Ingressei no teatro logo que cheguei a São Paulo”, disse. 
 “Em 2012 surgiram oportunidades para Malhação. 
Fiz o teste para protagonista, mas fui mesmo para ter uma experiência. 
Me surpreendi e cheguei para a etapa final”, lembra. Paulo não foi chamado naquele ano.
 Mas em 2013, seu nome foi lembrado para a temporada seguinte, a Malhação - Sonhos. 
E, em 2014, ele estreou na TV como Lírio, um rapaz vaidoso ao extremo e ambicioso pela fama. 
Ao fim da novela teen, os trejeitos de ‘colírio’ – como era chamado na trama – caíram na graça do público.
 Uma bela recompensa após a batalha de testes. 
 Poucos meses após deixar a trama teen, Paulo se viu diante de uma bela surpresa. 
O convite direto de Rosane Svartman, autora da temporada Malhação - Sonhos e, atualmente, de Totalmente Demais, para retornar à TV como Lírio. 
E assim foi: em fevereiro deste ano, o ator se uniu ao time seleto de personagens que fizeram tanto sucesso e retonaram em outras produções – aqui entram Aracy Balabanian com sua Dona Armênia, e Luis Gustavo com seu Mário Fofoca.
 E seu retorno foi triunfal! Em cena com Aline Fanju e Ailton Graça, ficou completamente nu ao correr pela cidade cenográfica da trama.
 Foi parar, inclusive, nos Trending Topics mundiais do Twitter.
 “O público adorou, né? Foi uma cena inspirada no filme O Homem Nu de Claudio Marzo”, lembra. 
E tirar a roupa foi difícil? “Olha, não vou dizer que fiquei confortável. 
Tem toda uma equipe te observando, você não está sozinho em cena. 
Não tem como ficar à vontade com seu bumbum aparecendo [risos]. 
Mas quando dá o ‘gravando’, é o personagem e estou ali para defendê-lo”, frisou. 
 Nem precisava de tanto nervosismo. 
O corpo sarado é para causar inveja para homens e mulheres. 
O motivo? Ele é daqueles que ‘pega músculo fácil’. 
No entanto, Paulo tem total conhecimento da musculação e exercícios aeróbicos, pois sempre que a agenda permite, corre para a academia mais próxima para colocar o treino em dia. 
Ele mostrou sua rotina fitness para QUEM, e destacou. 
“Gosto de malhar peito e braços. Não sou aquele cara grande e também não muito magro. 
Já fui mais forte, no começo do ano estava mais forte. 
E já fui mais magro, quando era modelo. 
Sou assim, consigo pegar e perder músculos muito fácil”, revelou. 
 Em conversa com QUEM, o galã falou o que já passou por ter se tornado objeto de desejo das mulheres e revelou que se inspira em outros nomes fortes da TV, como Cauã Reymond e Rodrigo Santoro, que começaram a carreira como modelos também. 
 “Ele era modelo, estudou e correu atrás. 
Não se apegou somente a beleza. 
Hoje faz diversos personagens e não se acomodou”, analisou. 
 Você sempre desejou ser ator? Como tudo começou? 
 Tive contato com o teatro na fase escolar, por volta dos 10 anos. Me apaixonei, mas segui minha vida estudando e entrei para a faculdade de engenharia química. A oportunidade surgiu quando vim para São Paulo trabalhar como modelo. Eu tinha 20 anos e tranquei a faculdade. Ingressei no teatro logo que cheguei a São Paulo. 

Seu foco já era ser ator, então? 
 Vim para São Paulo trabalhar como modelo, mas minha ideia sempre foi fazer teatro, cinema, televisão... Surgiram oportunidades de viajar para o exterior, como Europa, como modelo e não aceitei. Acho que agora estou colhendo os frutos disso tudo. Em 2012, surgiram oportunidades para Malhação. Fiz o teste para protagonista, mas fui mesmo para ter uma experiência. 

 E o teste foi logo para protagonista. Que ótimo! 
 Cheguei à etapa final mesmo sem ter experiência em vídeo, mas não passei. Me formei no teatro, continuei estudando, fiz workshops, aulas particulares... Então, chegou a temporada de 2014/2015 de Malhação. Eles já me conheciam, mas pediram um novo teste. Ainda teve outro processo de seleção e passei de novo. Assim, tudo começou! 

 Foram vários ‘nãos’ e testes até entrar Malhação... 
 Sim, esse foi meu primeiro trabalho na TV e a temporada foi um sucesso. Meu personagem, o Lírio, marcou. Depois, voltei com ele em Totalmente Demais, que é da mesma autora, a Rosane Svartman, e do Luis Felipe Sá, diretor geral. 
 Como surgiu esse convite para retornar com o Lírío?
 A Rosane me ligou e perguntou se eu comprava a ideia dela. Fiquei feliz e surpreso! O público adorou, né? Foi uma cena inspirada no filme O Homem Nu de Claudio Marzo. Nas redes sociais, fiquei no Trending Topics (os mais comentados).

 Você se sente confortável nesse tipo de cena? 
Olha, não vou dizer que fiquei confortável. Tem toda uma equipe te observando, você não está sozinho em cena. Não tem como ficar à vontade com seu bumbum aparecendo [risos]. Mas quando dá o ‘gravando’, é o personagem e estou ali para defendê-lo. Eu estava com uma proteção e usei uma almofada na frente, mas o bumbum ficou de fora. 

 Malhação é mesmo uma vitrine para novos talentos. Sentiu isso na pele? 
É a porta de entrada da Globo. A maioria do nosso elenco era novata e nossa ficha foi cair durante a novela. Aos poucos, fomos sendo reconhecidos e elogiados. A novela é como se fosse a escola da emissora. Você entra e ganha experiência, aprende toda a parte técnica. Vi que tive uma evolução. Da primeira cena que fiz para a última, vi que ganhei naturalidade. 

 O que acha que aprendeu nessa escola? 
Amadureci. Me achava cru. Vi que os diretores têm muita paciência porque sabem que estamos começando. Também aprendi a observar outros atores experientes. Adorava ver o Guilherme Piva, que era no meu núcleo. Também gostava de observar o Felipe Camargo e o Eriberto Leão. 
 Eles te deram conselhos para a carreira? 
Eu conversava muito como o Piva. Recebei muitas dicas e noções técnicas dele. A gente só aprende na prática e por eles terem paciência, você pode perguntar que eles explicam. 

 Você tem contato com a sua turma de Malhação? 
 Ah, nos encontramos no Projac de vez em quando. Acabo encontrando muito o Arthur Aguiar e Jennifer Nascimento, que estão em Êta Mundo Bom. Ficamos mais de um ano juntos e quando nos encontramos é sempre uma alegria. 

Como você trabalha para não ser sempre vinculado com a beleza? 
 A beleza te traz alguns personagens que a gente sabe que tem o perfil da televisão. Por outro lado, desconstruir isso é um desafio meu como ator. Estudo para isso e para estar pronto quando tiver desafios e não ficar só no superficial. Sei que tenho algo a oferecer. Para 2016, o ator tem na agenda uma novela e um filme.
Quem é sua referência?
 Acho que um bom exemplo é o Cauã Reymond. Ele é um cara que se aproxima de mim. Era modelo, estudou e correu atrás. Não se apegou somente a beleza. Hoje faz diversos personagens e não se acomodou. Uso ele como exemplo e até o próprio Rodrigo Santoro, que começou com o mesmo perfil. 

 Com a fama, o assédio feminino aumentou? 
Aumentou bastante. Mas é normal, pois a gente acaba se tornando uma pessoa conhecida. As pessoas te admiram mais.  

 As mulheres são mais atiradas? 
Quando estão em grupo sim. Elas ficam mais eufóricas. Já passaram a mão na minha bunda, rasgaram minha roupa, levantaram minha camisa... [risos]. Eu acabo entendendo porque é uma situação de desejo, né? 

 E o assédio masculino?
 Existe, mas é mais contido. Geralmente ouço brincadeiras, mas de uma forma natural. Eu dou risada quando acontece. Ninguém nunca passou do limite, sabe? 

 Você está solteiro, certo? Qual é o tipo de mulher que te atrai? 
Olha, há um bom tempo. Gosto de um sorriso, de um olhar... Gosto de mulheres sinceras, fieis e companheiras. Tem que ser companheira, para ir comigo em um bar, ao teatro, ao cinema, na praia... Não gosto de mulher enjoada. 

 Como você mantém essa boa forma que te fez ficar nu na TV? 
Sempre que possível vou à academia e estou sempre em movimento. Gosto de fazer exercícios funcionais na praia. Treino há bastante tempo e tenho domínio dos exercícios. Tenho noção do que faz bem para o meu corpo e prefiro malhar peitos e braços. 

 Qual a parte que mais gosta no seu corpo?
 Gosto que não sou muito grande. Também não sou muito magro. Quando era modelo já fui mais magro. Também já fiquei mais forte, como na época do Carnaval. O bom é isso, consigo pegar músculos muito rápido. Mas perco rápido também. 

 Paulo, como não se deslumbrar com a fama? 
 Sempre tive muito pé no chão. Sempre fui bem orientado pelo meu empresário (Angelo Barbosa), pois nos conhecemos na agência de modelo que eu trabalhava. Tive foco, pé no chão e o objetivo de chegar onde acho que é a consequência de um bom trabalho. 

 Já sabemos que você tem oportunidades para a TV e cinema, certo? 
 Tenho um outro projeto na TV, uma novela. Infelizmente, não posso falar muito. Mas tenho esse filme, que vai ser muito legal, pois meu personagem tem um destaque bacana. É uma produção nacional, as filmagens começam em julho e é com grande elenco. Estou animado! 
Agradecimentos: Bio Ritmo Academia e o professor Turi Sonzzini.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário