terça-feira, 12 de abril de 2016

 Barbara Reis brinca sobre o reconhecimento do público:
 "Queria que pedissem selfies"
 Em sua estreia na TV, Barbara Reis, a Doninha de Velho Chico, arrebata o telespectador com seu talento, mas se diverte, pois ninguém a reconhece nas ruas! 

 Por Luciana Marques
 A atriz Barbara Reis, de 26 anos, mal havia pisado no calçadão da Barra da Tijuca, Rio, e logo fez um vendedor de picolé parar de trabalhar.
 “Que mulher é essa?”, disse ele, alto.
 Com seu sorriso fácil, a morena tipo “arrasa quarteirão” de 1,75 metro de altura, 78 quilos e grandes cachos, agradeceu.
 Para quem não a identificou ainda, ela é a mulher por trás do turbante e das roupas recatadas da Doninha, a empregada da família de Afrânio, papel de Rodrigo Santoro em Velho Chico. 
“Ninguém me reconhece na rua. Isso é um absurdo! 
Queria que pedissem selfies!”, brinca. 
Carioca, Barbara começou a carreira aos 10 anos no teatro. 
Há seis se formou pela CAL (Casa de Artes de Laranjeiras) e hoje, avalia de forma positiva sua estreia na TV. 
“Falando sério, buscava exatamente isso, que não vissem ali a Barbara. E acho que consegui.”

 PLANO B: PET STYLIST 
“Levei muitos ‘nãos’. Para mim, é mais difícil rolar teste por causa de perfil, sou mulata. 
Mas nunca pensei em desistir. Tenho a facilidade de trabalhar com meus pais, a segurança e a disponibilidade de sair a qualquer hora para fazer um teste.
 Temos sete cachorros e, por causa do descontentamento que nós tínhamos com os locais que cuidavam deles, minha mãe, Marta, decidiu abrir um pet shop. 
Eu, ela e o meu pai, Luiz Carlos, entramos em um curso, aprendemos a dar banho, fazer tosa, tudo. Esse era meu plano B.”

 FAMÍLIA 
“Eles foram os que sempre acreditaram no meu sonho, me apoiaram na época em que não quis prestar vestibular. 
Nunca se opuseram a pagar um curso. 
Sou muito grata. Muitos desistem por não ter essa base perto.” 

 O CONVITE
 “Recebi o convite para a Doninha no dia do meu aniversário, 20 de outubro. 
Sempre desejei que um papel assim chegasse no momento certo, de maturidade, de estar bem comigo, com o meu espiritual. 
Eu me senti num estado de magnitude, mas sempre com os pés no chão. Meus pais sempre me passaram isso.” 
Barbara, que começou no teatro aos 10 anos, acha que perdeu 5 quilos só por causa da expectativa de gravar como a Doninha 
 ANTES DE GRAVAR
 “Tive queda de cabelo, noites sem dormir, de preocupação, nervosismo, insegurança, chorei muito.
 Sabe quando você está tão estressada, lê e relê o texto e não consegue decorar? 
Acho que emagreci uns 5 quilos. Mas, no fim, tudo valeu, tive um feedback bastante positivo.” 

 JUSTA E DOCE 
“A Doninha é doce, forte. Também me considero forte, no sentido de correr atrás. 
Ela bate o pé, sabe o que é certo e o que é errado e é muito justa. Não aguento ver injustiça, desonestidade. 
Também tive que buscar um pouco mais a minha religiosidade católica, ela é muito religiosa.”

 MULHERÃO
 “Sempre fui a mais desenvolvida das amigas, a maior, que ficava no fim da fila na escola. 
Mas sempre fui muito de me esconder também. Não uso short, saia, vestido curto. 
Não é questão de ser recatada, não me sinto à vontade de exibir o corpo, nem confortável. 
O que puder esconder, prefiro, tenho quadris largos. Então, gosto de vestido na altura do joelho, calça pantalona larga...”

 COM UM PÉ ATRÁS
 “Sozinha, nunca! Acho que sou fácil de ser conquistada. 
Mas como já levei bastante porradinha, fico agora com um pé atrás, tentando equilibrar. 
Sempre me entrego de corpo e alma, mas sei agora onde devo ir. 
Tem de ser um homem sensível, engraçado dentro da docilidade, carinhoso, inteligente, que queira ir para a frente, não fique amarrando.”

FONTE/CONTIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário