quinta-feira, 5 de maio de 2016

Anderson Di Rizzi e Taise Galante:
 Planos de união
 Em sintonia, ator e professora destacam sonho de casar e ter filho Há pouco mais de cinco anos, Anderson Di Rizzi (37), o Zé dos Porcos de Êta Mundo Bom!, começou a escrever duas páginas de sua história. 
Ao mesmo tempo em que se preparava para interpretar o Sargento Xavier de Morde & Assopra, de 2011, sua estreia em novelas, ele e a professora de educação infantil Taise Machado Galante (30) iniciavam o namoro que vai terminar em casamento, em dezembro deste ano.
 “Vai ter uma cerimônia religiosa, mas ainda estamos definindo onde será. Decidimos não casar em uma igreja. 
Vamos optar por um espaço aberto. Mas queremos um padre para abençoar. E desejo casar de branco e tudo mais”, ressaltou Taise, na Ilha de CARAS.
 Emocionado, ele relembrou a história do casal. “No dia seguinte em que a conheci, ia fazer a primeira leitura com o diretor e autor, após ter passado no teste para a novela. Saí chateado de lá, achei que poderia ter sido melhor, e liguei para ela.
 Depois fiquei pensando por que havia ligado para Taise. É muito louco, mas ela me traz paz”, contou Anderson.
 “Sou sincero, e como estrear em novela era algo que buscava há 15 anos, disse que estava focado no trabalho, não conseguiria dar a ela toda a atenção que merecia, e pedi que não se prendesse a mim. 
Mas Taise foi persistente, nossa relação se fortaleceu e vi o quão especial ela era”, acrescentou.
 O ator também se emociona ao falar do espaço conquistado na carreira. “Todos os personagens que fiz têm a mesma essência. 
Mas me dedico e imprimo um jeito de andar ou falar diferente a cada um. Sou crítico, acho sempre que posso melhorar, mas estou feliz com tudo”, refletiu ele, frisando identificar-se com o atual papel.
 “Cresci indo para a casa de um tio, em Machado, Minas Gerais, nas férias. Na roça, ficava no meio de porcos, galinhas, vacas, é um universo onde me sinto à vontade. Adoro andar descalço, pisar na terra”, enfatizou. 
Anderson encontrou em Taise a parceira perfeita. Ambos gostam da natureza, são vegetarianos, avessos a baladas e defensores dos animais.
 “Dizem que os opostos se atraem, mas sempre vai ter um na relação que vai ceder mais, e isso, uma hora ou outra, pode não ficar legal. 
No nosso caso, não existe esforço em fazer nada, pois gostamos das mesmas coisas”, entregou ele, que este ano lança os filmes Tô Ryca, de Pedro Antônio, e Eu Te Levo, de Marcelo Müller. 

 O que sustenta a relação? 
Taise – O cuidado e o respeito de um com o outro. Mesmo quando a vida está corrida, existe sempre carinho e dedicação. 
 Anderson – Um dia fui trabalhar e, quando voltei, ela tinha feito um estoque de comidinhas prontas no congelador do apartamento onde fico no Rio quando estou gravando a novela. Que mulher faz isso com o cara morando de frente para o mar? Ela podia ficar na praia, sem fazer nada, mas não, passou o dia cozinhando. Valorizo esse tipo de atitude. Hoje, não consigo me ver longe dela e sinto que vai ser uma ótima mãe. 

 Planejam ter logo um filho? 
Anderson – Quero muito ser pai. Já falamos sobre isso, mas estamos deixando para daqui a pouco por conta dos nossos trabalhos. O apartamento onde iremos morar, em São Paulo, já está pronto. Então, em 2017, nós devemos realizar nosso sonho. E acho que vou ser um paizão. Quero um casal.
Taise – Ele é muito cuidadoso comigo e creio que vai ser um pai superamoroso e presente. Desde o início, Anderson me chamou a atenção. Era uma pessoa de quem queria estar perto por sua luz e energia. A primeira vez que conversamos, pensei: “Meu Deus, ele é aquilo que sempre procurei.” E também é muito brincalhão. Até hoje caio nas brincadeiras dele. 

 Vocês são de universos diferentes, não rola ciúme? 
Taise – No início, tinha uma insegurança, porque tudo era novo para mim. Muitas pessoas ficavam no meu ouvido, dizendo “aquele beijo foi de língua”. Ficava arrasada. Hoje, brinco com isso, até pelo cuidado que ele tem de me mostrar onde e com quem trabalha. 
 Anderson – Gosto, por exemplo, de apresentá-la à pessoa com quem estou fazendo par, porque aí quebra o gelo. Um dia, levei Camila Queiroz para jantar com a gente. Acho que Taise se adaptou fácil à minha vida. Se falo que vou gravar até meia-noite, ela não me questiona. E se me diz que vai tomar um suco com as amigas, também não falo nada. Damos essa liberdade um para o outro. Isso é confiança. Nunca discutimos. 

FONTE/CARAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário