terça-feira, 24 de maio de 2016

Camila Pitanga conta como usou a internet para reagir a críticas e diz que desistiu de bancar a durona 
 Atriz se acha “quase ridícula” nas redes sociais.
Há uma discreta diferença entre a Camila Pitanga como Maria Tereza, a protagonista de “Velho Chico”, e a que esteve no ar no mesmo horário, entre março e agosto do ano passado, na malsucedida “Babilônia”, ambas da TV Globo.
 A atriz conta que mudou de atitude após ter sido “execrada” na internet por conta do jeito durão de Regina, mocinha da novela anterior. 
A personagem era vista como chata pelos telespectadores, mas o alvo passou a ser Camila. 
Na tentativa de reverter a situação, ela foi orientada a ser atuante no Twitter. 
Tirou sarro de si mesma, divertiu-se com os memes e virou um hit. 
 “Sou reservada, mas desencanei dessa minha pessoa pública ponderada demais.
 O Twitter me ensinou isso. Botei ali um lado meu que ri de si mesma.
 Às vezes acho que sou quase ridícula no Twitter, mas tudo bem”, pondera. 
 A “desencanada”, ela jura, vai além da imagem virtual. 
Lançada como atriz aos 16 anos na minissérie “Sex appeal” (1993), Camila já se sentiu “muito fora do timing” por não ter a experiência necessária para interpretar alguns personagens quando começou. 
Para seguir na profissão, diz que vestiu uma capa de mulher durona. 
 “Fui cobrada. Eu não tinha formação alguma, nem uma mínima estrada, e era tida como profissional. 
Era complicado. Por muito tempo me coloquei em um lugar de grande exigência comigo mesma, como se tivesse que dar conta de tudo. 
Mas estou aprendendo que a fragilidade faz parte, estou me permitindo mais”, conta ela. 
 A atriz soma 23 anos de profissão. Formada em teoria do teatro, firmou-se na carreira com trabalhos na televisão, no teatro e no cinema. 
Ao falar de como leva a vida agora, Camila cita uma entrevista do ator argentino Ricardo Darín que a inspirou. 
Na conversa, ele dizia sempre desconfiar de si mesmo e falava sobre a importância de assumir erros.
 “É importante não termos verdades absolutas. 
Você fica mais livre, deixa de ser refém da culpa e do medo”, diz. 
 Processo contra a revista Playboy. 
No momento, a atriz produz um documentário sobre seu pai, o ator Antonio Pitanga, em que divide a direção com Beto Brant. 
Ofilme fica pronto no fim do ano. 
Além de filme, o projeto vai render uma série de “pílulas” para serem exibidas no Canal Brasil. 
 A parceria de Camila com Brant vem desde que ele a dirigiu no longa “Eu Receberia as Piores Notícias de Seus Lindos Lábios” (2011). 
Na história, a personagem da atriz se envolve em um turbulento triângulo amoroso e protagoniza cenas de sexo e nudez. 
As imagens acabaram sendo reproduzidas na revista Playboy, em dezembro de 2012, e o caso foi parar na Justiça. 
"O processo está em curso. Foi uma leviandade, um assalto, um desrespeito total, uma vez que me convidaram milhões de vezes para participar da revista e sempre recusei. 
Uma maneira cretina, desrespeitosa e machista de a revista fazer o que queria. 
Fotografaram frames do filme. Teve chamada de capa, foi feio. 
Não é à toa que eles estão perdendo o processo. 
É uma nudez dentro de um contexto, de uma linguagem, de um personagem.” 
Comentários maliciosos. Camila vinha se preparando há meses para entrar na segunda fase de “Velho Chico”, no começo de abril. 
Na história, Tereza viveu um amor à la Romeu e Julieta no passado. 
Mas aceitou um casamento arranjado pelo pai após acreditar que havia sido trocada. 
De volta à fazenda onde foi criada, após quase 30 anos, a protagonista ensaia agora uma reaproximação com o homem que sempre amou, Santo (Domingos Montagner), que não sabe que é pai do filho dela. 
 As cenas da personagem com o filho, já adulto, têm rendido comentários maliciosos na web. 
Tereza já circulou seminua ao lado do jovem e dormiu “de conchinha” com ele. 
Mas Camila se apressa em dizer que não há aí qualquer insinuação incestuosa. 
“Ela teve filho quando era jovem, há uma informalidade, uma espontaneidade de corpo, de toque”, justifica.

FONTE/OSUL

Nenhum comentário:

Postar um comentário