domingo, 15 de maio de 2016

Nando Pradho, o vilão Geraldo, de Cúmplices de um Resgate, não para! 
Ele também é artista plástico, músico e compositor e garante que todas as áreas de sua vida estão interligadas 

 Por Mariana Silva 
 No ar como o vilão Geraldo, de Cúmplices de um Resgate, o ator Nando Pradho não para! | Crédito: Fotos: Rogério Pallatta 
Nando Pradho não esconde a felicidade ao falar do sucesso em Cúmplices de um Resgate (SBT). “Não imaginava que seria tudo isso”, vibra. 
O ator, intérprete do vilão Geraldo, encara pela primeira vez o desafio de atuar, de fato, na TV. Antes, ele havia feito apenas uma participação no remake de Chiquititas (2013).
 “Foi uma delícia receber esse convite. Estava há 14 anos fazendo teatro musical, viver um vilão até que não tão foi difícil. 
Penso muito em um jogo de xadrez”, conta ele, que já atuou em grandes musicais como A Bela e a Fera (2002), O Fantasma da Ópera (2005) e O Médico e o Monstro (2010).
Além das experiências na carreira, foi no teatro, inclusive, onde Nando conheceu a mulher, a atriz e psicanalista Gianna Pagano. 
Hoje, juntos há quase 10 anos, o casal se reveza entre dois apartamentos (um na zona norte e um na zona oeste) na capital paulista e, por causa da rotina, não pensa em filhos.
 “Essa é uma boa pergunta... Não sei. Sou muito focado na minha carreira e ela já é realizada como mãe. Não falamos muito sobre isso”, explica o ator. 
Gianna é mãe de dois meninos, frutos de um relacionamento anterior. Criança é o que não falta no convívio de Nando. 
Apesar de ser o vilão da novela infantojuvenil, o ator já reúne diversos fã-clubes e soma milhares de seguidores nas redes sociais. 
Nos bastidores, ele confessa que volta a ser criança com os atores João Guilherme Ávila e Kevin Vechiatto.
“Eles são incríveis, pareço um moleque perto deles”, conta. Nando Pradho e a mulher, Gianna Pagano Multiartista 
A música é outro fator que sempre esteve presente na vida de Nando. No dia desta entrevista, o encontramos repassando as cenas ao som de blues, descalço e circulando pela sala. 
“Me ajuda a pensar.” Nando é compositor e músico e fez questão de montar o próprio estúdio em casa. 
O espaço deu origem ao CD Paleta de Sons, o primeiro de sua carreira, que será lançado até o fim de maio.
 O repertório conta com dez faixas, todas compostas por ele. “Algumas eu já cantava quando era adolescente, outras eu compus agora. 
Este CD sintetiza minha carreira musical”, explica. E engana-se quem pensa que o talento de Nando para por aí. 
Autodidata em artes plásticas, seu apartamento reúne esculturas, quadros e gravuras, todas feitas por ele. 
“Até recebi convite para uma exposição, mas ainda não fiz.” Apesar da rotina puxada, ele se diz realizado. “
Todas as minhas paixões estão ligadas entre si. Minha vida é um movimento! Durmo cerca de cinco horas por noite e já acordo a milhão querendo fazer as coisas que gosto (risos).”

FONTE/CONTIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário