segunda-feira, 6 de junho de 2016

Jorge Vercillo abre a casa para o EGO e fala sobre carreira, amor e política:
'Sou um cara fora do padrão', diz o cantor, que mora há dez anos em um condomínio da Barra da Tijuca ao lado do pai, dos filhos e da namorada.

Há dez anos, Jorge Vercillo trocou o apartamento no agitado bairro do Leme, na Zona Sul do Rio, pela casa em um condomínio tranquilo na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade. 
A casa, que fica em um terreno com 1.100m², tem quatro suítes, piscina, estúdio de gravação e até uma quadra de futebol. 
Foi lá que o cantor recebeu o EGO para um bate papo e falou um pouco sobre sua rotina no local. 
"Sempre sonhei morar em casa, ter esse contato com a terra, a grama. Vivo aqui há pouco mais de dez anos. 
Há dois o meu pai veio morar comigo, porque ele não tem mais condições de ficar sozinho, e com a minha companheira, Martha Suarez. 
Procuro aproveitar a natureza, a gente está perto de uma lagoa maravilhosa, pego minha índia e saio pra remar, para ir a praia, estou gostando muito de morar aqui. 
Trocamos as pedras por grama em volta da piscina porque adoro pisar e aproveitar a energia da terra.
Quando eu comprei a casa ficaram me gozando dizendo que o que importava era o campo, que eu adorava jogar futebol, mas na verdade eu amo vários cantinhos", contou ele.  
 Durante a entrevista, Vercillo não poupou elogios à namorada, que não posou para as fotos por ter acabado de passar por uma rinoplastia com o renomado cirurgião Renato Tatagiba, mas acompanhou tudo ao lado do amado. 
Ela é de Itapuã, nos conhecemos, nos apaixonamos e nos amamos na Chapada Diamantina.
 Nós temos uma ligação com a natureza muito grande, compus uma música pra ela que também fala disso", derrete-se. Jorge Vercillo divide atualmente a guarda dos filhos, Victor, de 9 anos, e Vinícius, de 14, com a ex-mulher, Gabriela.
 Ele conta que a criação dos meninos é cercada de coisas que nas quais acredita, como a Ufologia, um dos seus assuntos preferidos, e a música, claro. 
Vinícius toca bateria e Vitor guitarra - ele inclusive participou de uma das faixas do novo CD do pai. 
 "A Gabriela, minha ex-mulher é minha amiga, nos separamos há mais de dois anos e decidimos dividir a guarda. Quando estou viajando, eles ficam com ela, quando estou aqui, ficam mais comigo. 
Moramos perto e estamos em um processo de adaptação para eles, principalmente. É importante quando você é sincero com seus filhos. 
Eu compartilho com eles a minha realidade, as minhas crenças, meus questionamentos e minha arte.
Estudo Ufologia, acredito que não estamos a sós no universo e acho muito importante eles crescerem com a mente mais aberta, não em relação ao que é verdade, porque não existe uma verdade absoluta, mas acho que se tenho uma missão aqui é de ampliar o universo simbólico pras pessoas. 
Fazer com que as pessoas percam o preconceito porque acho que nós somos um só e o que nos torna mais legal são as diferenças, culturais, étnicas. 
Meus filhos convivem com pessoas completamente diferentes, é uma coisa rica para eles e, ao mesmo tempo, um pouco difícil, porque rouba, por exemplo, o espaço da escola, dos estudos. 
Não forço, mas ao mesmo tempo me sinto com vontade de estar junto e direcionando para o que eles amem fazer e é isso o que quero pra eles. É muito bom você ter sua família, ser feliz na sua relação, no seu trabalho", afirma. 
Vercillo diz que não insiste para os filhos se didicarem à música, mas conta que eles têm um entrosamento com a arte devido à convivência. 
"Procuro orientá-los. O mais velho dá indícios de que vai ser músico, ele respira isso.
Já o mais novo diz que vai ser construtor de carros e eu acho excelente, acho eles exercerem o que amam fazer". 
 Além do campo de futebol, um de seus cantos preferidos da casa. Jorge Vercillo passa muitas horas em seu estúdio. "Eu tenho mixado e gravado meus CDs e DVDs aqui mesmo, inclusive meu 10º CD, 'Vida é arte', que foi lançado esse ano. 
Eu fico muito aqui. Também tem uma varanda onde fico olhando as constelações, as estrelas, o céu, gosto de vários lugares da casa. 
Cada lugar tem um ponto pitoresco, trouxemos uma parreira para a lateral e no jardim de inverno estamos cultivando árvores frutíferas, como caju cacau, jabuticaba pitanga. Também componho em todos os lugares, principalmente quando estou viajando. 
Me sinto muito feliz de ter encontrado a música. Por viver de criar alguma coisa. Me sinto um criador, se não for por uma música pode ser um roteiro de cinema, um arranjo ou melodia. 
Materializar isso é muito magico, trabalhar com o inconsciente coletivo é muito bacana", diz. Jorge Vercillo 
Completando 20 anos de carreira, Vercillo lamenta a falta de oportunidade para novos profissionais da música, a queda das vendas de CD's, e o aumento da pirataria. No meio deste cenário, ele fala sobre a sua mais nova turnê.
"As pessoas não tem tido muita oportunidade, a internet veio para revolucionar o mundo e democratizar todos os meios, artes, cultura, mas ao mesmo tempo ela pulveriza e é difícil um artista sobressair, antigamente tinha uma facilidade maior, havia o investimento das gravadoras. Hoje em dia tenho que sambar e rebolar para realizar minhas ideias", afirma.
Outro assunto que Jorge Vercillo fez questão de abordar na entrevista foi a política. Neto de um avô comunista, ele defende a ideia de uma reforma. 
"O povo brasileiro está se politizando, é como se estivéssemos atrasados nessa matéria. Acho que cometemos muitos erros, mas não tínhamos como adivinhar.
 Independente de eu ser mais ligado à esquerda e meu avô ter sido um dos fundadores do partido comunista.
Hoje em dia estamos sendo vítimas de um sistema corrupto. As pessoas entram querendo fazer o bem, mas são tragados por vários esquemas feitos por vários políticos de outras gerações.
Torço para que o velho desabe. Tem que sair todo mundo mesmo. Quero o melhor para o meu pais, não quero ter razão. É importante as pessoas quererem viver em paz", declara.

FONTE/EGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário