terça-feira, 7 de junho de 2016

Klebber Toledo sobre Monica Iozzi:
 "Já temos uma vida bem exposta"
 O ator Klebber Toledo aceitou o desafio de velejar pela primeira vez na Enseada de Botafogo, no Rio de Janeiro, e comentou o envolvimento com Monica Iozzi

Por Patrick Monteiro
Klebber Toledo, de 29 anos, não se intimida com desafios. Gosta de sentir adrenalina. 
Seja em um ringue de boxe, encarando grandes ondas ou em um esporte que exija muita concentração e coordenação motora, como é o caso da vela. 
“Adoro esportes de alto impacto e faço sem preguiça”, conta ele. A convite de QUEM, o ator aceitou o desafio de velejar pela primeira vez na Enseada de Botafogo, no Rio de Janeiro. 
O esporte faz parte dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Após quase uma hora e meia na água, velejando sozinho, Klebber se mostrou animado sobre a prática.
 “É um esporte incrível! A vela permite uma conexão com a natureza. E com o Pão de Açúcar de fundo, esse cenário é especial”, comemora o intérprete do personagem Romeu em Êta Mundo Bom!. 
RESERVADO
 Publicamente solteiro desde que terminou o namoro de três anos com Marina Ruy Barbosa, em outubro de 2014, Klebber conta que não é de badalação.
 “Sou muito caseiro. Faz muitos anos que não me arrumo, pego o carro e saio de casa para uma balada. 
Chamo as pessoas para irem à minha casa comer, tomar alguma coisa”, garante. 
No Carnaval, o ator e Monica Iozzi trocaram beijos no sambódromo carioca. 
Questionado se o romance vingou, ele faz sinal negativo. “Já temos uma vida bem exposta, e o máximo que pudermos preservar ainda será o mínimo”, despista. 
 SUPERAÇÃO
 Praticante regular de surfe, boxe, kitesurfe, ciclismo e atletismo, Klebber chega a se sentir mal quando passa uma semana sem conseguir se exercitar.
 “Fico até triste, e é sério! O exercício é uma situação de bem-estar mental. É um momento importante para mim”, explica.
 Sua história com o esporte é antiga: aos 15 anos ele saiu de casa, em Bom Jesus dos Perdões, no interior paulista, para jogar vôlei, antes de enveredar para as artes. 
“Sou viciado em quase todos os esportes, só não curto muito futebol. Esporte é superação, é você contra os seus limites, o seu cansaço, a sua dor, a sua lesão...”, diz.

 NO MAR 
A primeira competição de vela nas Olimpíadas aconteceu em Paris (1900). 
O esporte chegou a ter 49 classes. Robert Scheidt e Torben Grael são os atletas brasileiros com mais medalhas olímpicas (dentre todas as modalidades):
 Robert tem duas de ouro, duas de prata e uma de bronze; e Torben, duas de ouro, uma de prata e duas de bronze.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário