quarta-feira, 15 de junho de 2016

Luciana Gimenez:
 "Nunca quero precisar de alguém"
 Sucesso na TV e belíssima aos 46 anos, Luciana Gimenez comemora 10 de casamento com o empresário Marcelo de Carvalho, conta sobre a rotina em família, a vontade de ter uma filha e revela um valor que julga fundamental: independência 

 Por Luciane Angelo
 A apresentadora Luciana Gimenez tirou alguns dias de folga para curtir momentos ao lado do marido, o empresário Marcelo de Carvalho, de 54 anos, e de seu caçula, Lorenzo, de 5. 
Os três foram para o litoral sul da Bahia, mais precisamente Caraíva e a Praia do Espelho. “Viajamos tanto para o exterior e não conhecemos os lugares lindos que temos aqui. 
Entrei na água com o Lolô (Lorenzo), pegamos conchinha, nos divertimos”, conta a apresentadora, que também é mãe de Lucas Jagger, de 17, de seu relacionamento com o astro Mick Jagger.
 Prestes a completar 10 anos de casamento com o dono da Rede TV!, a apresentadora do SuperPop e do Luciana by Night faz balanço da vida a dois. 
“Nunca pensei que fosse me casar, achar uma cara-metade. Casamento é difícil, mas conseguimos criar uma individualidade e também um espaço em comum.” 

 O Lucas acabou de fazer 17 anos (dia 18 de maio). Ele foi a grande mudança em sua vida? 
Ele fechou um ciclo para mim porque eu morava fora. Se não o tivesse, não teria mudado para o Brasil. 
Gostava muito de viver no exterior, era modelo e viajava bastante. Com o Lucas eu precisava me estabelecer num lugar só. 
Quando ele tinha 2 anos, surgiu a proposta de fazer um teste na Rede TV! e fiz essa escolha de voltar ao Brasil.
 Sou meio cigana e para mim foi realmente difícil. Abri mão, ou melhor, contemplei uma outra situação pelo meu filho. 
Foi a maior bênção na minha vida. A gente só amadurece como mulher, pelo menos no meu caso, ao ser mãe. 
 Sempre teve instinto maternal? 
 Sempre quis ter filho, mas nunca planejei. Tudo na minha vida foi meio no tranco. A única coisa que quis muito desde sempre foi morar fora. E consegui por 15 anos. O Lorenzo também não foi planejado. Quando você tem o primeiro filho você pensa: “Gente, eu gosto tanto dele que não vai ter jeito de gostar tanto do segundo assim”. Aí você tem o segundo e é impressionante como você consegue gostar do mesmo jeito. 

 E o papel do Marcelo na família? 
É um superpai. Se ele pudesse, dava de mamar. Ele é “pãe” e adora isso. De vez em quando, tem que dar um “chega pra lá” porque se deixar ele é mãe, pai, tia, avô... tudo. O Lucas tem uma grande liberdade com ele, é engraçado. Até ensina o Marcelo a usar o Snapchat. 

 Sua mãe, Vera Gimenez, deu um depoimento a QUEM, e falou da ótima relação que você tem com ela.
Quando você amadurece, dá mais valor para a mãe. Quando eu era mais nova, tinha muito atrito com ela. Até por isso, no começo, eu não queria ter filha mulher. Só tive filhos homens e adorei. Mas com o tempo você vai amando mais, entende melhor. Ela teve câncer com 45 anos. É muito sofrimento todo o tratamento, deixa uma cicatriz na alma. Com o câncer você se depara com a morte, com o fato de ser finito. Financeiramente posso ajudar e tiro esse peso da vida dela. E é mais que isso. É saber ouvir, dar colo. Me preocupo em ter dinheiro para ajudar minha família e nunca precisar ser ajudada. 

 Você conquistou sua autonomia financeira cedo?
Sim e, talvez por isso, seja muito difícil para mim depender de outra pessoa. Nunca quero precisar de alguém. Claro que isso pode acontecer e tenho certeza de que meus parentes vão me acolher, mas quero ter dinheiro para dar para minha família, poder ajudar as pessoas. Dinheiro guardado é uma energia que não flui, não movimenta. É para você gastar com pessoas, momentos, viagens, presentes. 
 Como você lida com as questões familiares?
 Dou risada. Os barracos familiares no Natal são uma delícia! Já discuti muito, mas mudei. Agora, para brigar demora. Tenho uma paciência gigante! Coloco os prós e contras na balança antes de qualquer decisão. O segredo é tentar não focar no problema e sim nas coisas boas. 

 Em 2016 você faz 10 anos de casada com Marcelo... 
Passou muito rápido. Nunca pensei que fosse me casar, achar uma cara-metade. Casamento é difícil, mas conseguimos criar uma individualidade e também um espaço em comum. Somos extremamente diferentes em tudo. Ele é muito aparecido e falo: “Amor, deixa o povo falar um pouco” (risos). Mas ao mesmo tempo, aprendo com suas decisões. Quando vejo, ele já fez dez coisas e eu não fiz nada. Marcelo tem virtudes que admiro, que me completam. É muito inteligente, prático, decidido, tudo o que eu não sou. 
 Para quem nunca pensou em casar, deu muito certo, então. 
Sim, mas uma coisa é certa. Eu não casaria de novo. Estou com o Marcelo há 10 anos e está bom assim. Você tem que escolher bem e isso é diário para ambos. Indico para os meus filhos se casarem bem tarde – com 50, 60 anos para aproveitarem a vida porque uma vez que você casa, tem restrições. Casar é concessão. As suas selfies mostrando o corpo fazem sucesso.

 Qual sua rotina de beleza?
Acho que estou bem malhada porque faço bastante exercício, de segunda a sexta. Por semana, faço duas aulas de ashtanga ioga, uma de pilates e duas de ginástica funcional – uma hora por dia. Na minha alimentação, entram algumas porcarias. Não sou daquelas que comem batata-doce com frango. Como chocolate, sorvete, mas não consumo bebidas alcoólicas. Tento me manter saudável. Não como um pratão de arroz com feijão e toucinho, por exemplo. 

 E o que o Marcelo acha da sua silhueta enxuta? 
Ele acha que sou meio magra. Mas quando apareço bonitona ele gosta. O Marcelo não é muito ciumento, a ciumenta sou eu. Até porque se tivesse a quantidade de homem que tem de mulher, o ciumento seria ele. Você já viu como brota mulher em todos os lugares? E solteiras! Deve nascer mais mulher do que homem, não é possível! 


 E os planos futuros? 
Estou tentando convencer o Marcelo a termos uma menina, mas não está rolando. Vou ter que dar um porre nele, vou enganá-lo! Ele brinca e fala que não cabe no carro. Mas a casa vai ficar vazia quando o Lucas for para a faculdade e o Lorenzo ficar sozinho. Se viesse uma menina, ela seria linda! Andaria com laçarote e glitter. Aliás, lembrando, os 10 anos de casamento são um marco. O Lorenzo foi um presente meu para ele. Agora quero um presentão e ele vai ter que parir alguma coisa (risos)!

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário