sexta-feira, 24 de junho de 2016

Vitor Thiré fala sobre personagem cego em "Liberdade, Liberdade" 
Vitor Thiré faz parte de uma família de atores 

 Por Fabrício Falcheti 
 No ar como o rapaz cego Ventura em "Liberdade, Liberdade", novela das 23h da Globo, Vitor Thiré falou sobre os preparativos que teve para interpretar o personagem.
 “Além das preparações com todo o elenco da novela, com a preparadora maravilhosa Andrea Cavalcanti, fui também ao Instituto Benjamin Constant, na Urca (primeira escola de cegos da América Latina). 
Lá, conversei por quase duas horas com dois cegos: um jogador de futebol profissional, e o outro, um excelente pianista, apesar da pouca idade.
 Foi muito legal poder trocar informações, conhecer, aprender e saber mais sobre o universo de um cego, de uma forma geral. 
Entender, pelo menos em tese (pois só eles sentem, na pele), as dificuldades que um cego enfrenta todos os dias na nossa sociedade, desde que mundo é mundo”, disse ele. 
 Na trama, Ventura terá como par romântico Bertoleza (Sheron Menezzes), mas antes de esse amor se concretizar, ele precisa superar seu preconceito. 
Meu personagem se apaixona perdidamente pela personagem da Sheron. Sendo cego, não sabe como ela é. 
Ao descobrir que ela é negra, Ventura fica completamente dividido entre o amor e o preconceito (que era escancarado naquela época)”, relembra o carioca de 22 anos sobre as cenas que já foram ao ar. Vitor Thiré faz parte de uma família de artistas. 
Ele é bisneto de Tônia Carrero, neto de Cecil Thiré, filho de Luisa Thiré e Luiz Nicolau e sobrinho de Miguel e Carlos Thiré.
 “Minha família sempre me apoiou muito, em tudo. E tenho certeza de que me apoiariam se eu fosse vendedor de pipoca ou fizesse qualquer outro trabalho digno. 
Mas, numa família onde 99% das pessoas trabalham no ramo, é difícil pensar em ser outra coisa (risos)”, avalia ele, que entrega que precisa e há disponibilidade, bate o texto com a mãe, a atriz e diretora Luisa Thiré, e recebe várias dicas do pai, o ator e músico Luiz Nicolau.
 “Eu e minha mãe ‘batemos’ texto um com o outro, às vezes, quando um dos dois precisa. A gente adora ler peças, de vez em quando, também
. É sensacional poder exercitar a profissão, estudar e trocar dicas com a própria família”, brada. 
 Vitor está na carreira de ator desde os 14 anos e estreou na TV em 2009, na série "Filhos do Carnaval", do canal pago HBO. 
Depois disso, participou da novela "Amor Eterno Amor" (Globo, 2012 - na primeira fase); “Malhação” (Globo), na temporada 2013/2014, na pele do Sidney; esteve o quadro “Não se Apega Não”, do “Fantástico” (Globo, 2016); e fez um episódio da série "As Brasileiras" (Globo, 2013); entre outros trabalhos. 
 Paralelamente à TV, Vitor Thiré está no teatro, viajando o Brasil com o espetáculo “E o Vento Vai Levando Tudo Embora”, de Regiana Antonini. Mas ele já tem na bagagem mais de 20 peças. 
Recentemente, ele fez três temporadas de “Um Estranho no Ninho” (adulto); “Cinderela” (infantil); “Despertando para Sonhar" (infanto-juvenil) ” - todas em 2015. 
E ainda nos planos para este ano: a estreia no Rio de "Double" – uma obra de criação coletiva do próprio ator com o amigo Victor Lamoglia. 
 Com oito anos de carreira, Vitor também já teve passagem pelo cinema. No longa-metragem “Desenrola” (2011), de Rosane Svartman.

FONTE/NATELINHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário