sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Erika Januza:
 "Na escola me chamavam de 'nega do cabelo duro'"
Atriz responde 10 perguntas dos leitores de QUEM
Escalada para viver uma personagem que cresceu à beira-mar, a caiçara Júlia em Sol Nascente, Erika Januza não teve escolha: finalmente resolveu aprender a nadar. 
“Não queria usar dublê nas cenas”, conta a atriz de 31 anos, que estreou na TV na série Suburbia (2012) e nunca havia feito aulas de natação. 
Nascida e criada em Contagem, Minas Gerais, ela conta que é confundida com outras atrizes negras, como Sheron Menezzes e Taís Araújo.
“Basta você ter cabelo black que as pessoas te identificam como uma coisa só”, diz com serenidade, mas destacando que já foi vítima de racismo.
 “Na escola me chamavam de ‘nega do cabelo duro’”, lembra. Erika começou a alisar o cabelo com 10 anos, mas hoje se libertou da química e cuida dos belos cachos com muita hidratação. 
Apesar do jeito expansivo, a atriz, que é filha única e está solteira, garante que é muito tímida quando paquerada. 
“Não sei como lidar com a situação”, confessa, ao responder às perguntas dos leitores de QUEM à repórter Raquel Pinheiro.

1 - Você é muito assediada?
Júlia Pessoa, por email
Pelas redes sociais sim; pessoalmente, não. Fico nervosa quando um cara chega em mim, não sei como lidar com a situação.  Às vezes estou até gostando, mas não consigo levar o negócio adiante.

2 - Quem é a pessoa mais importante da sua vida?
João Lima, por e-maill
Minha mãe, Ernestina, que mora em Minas. Nos falamos todo dia. Sabe essas mães que mostram que têm orgulho dos filhos? Às vezes eu falo: “Mãe, para”. Mas nunca muda (risos)!

3 - Qual o seu peso e altura?
@maldonado_rossanaa
Tenho 1,66 metro e 57 quilos e como de tudo. Vou pouco à academia, mas agora também faço natação para fazer a Júlia. Não queria usar dublê nas cenas.

4 - De onde são seus parentes?
@migsmaertins
Minha família é toda mineira. Moramos no mesmo bairro desde que as casas eram divididas por cerquinhas. Tive uma infância tradicional, brincava na rua, ralava o joelho... Adorava jogar queimada.

5 - Já se sentiu envergonhada?
Paula Silva, Ubá (MG)
O tempo todo, sou tímida! Me lembro que fiquei especialmente nervosa quando conheci os músicos do Só Pra Contrariar, que eu sempre adorei. Fiquei emocionada. Tomei água direto de tanto desespero.

6 - Como cuida do seu cabelo?
@krysnaa
Na minha família, com 10 anos as meninas já alisavam o cabelo. Fiz muita prancha! Hoje, salão é para ativar os cachos. Hidrato em casa e, antes de lavar, passo óleo de coco ou amêndoas. Uso dois xampus e muito creme de pentear. Quando seca, passo reparador de pontas e mexo com os dedos.

7 - Você já foi vítima de racismo?
@krysnaa
Na escola me chamavam de ‘nega do cabelo duro’ e ‘bombril’. Diziam que eu tinha nascido suja. Isso deixava minha autoestima baixa, eu sofria. Na minha família não falávamos sobre ser negro. Outro dia, no trânsito, fechei sem querer o cruzamento, um cara parou do meu lado e disse: “Ô, sua nega! Tinha que ser, né?”. Fiquei com muita raiva!

8 - Qual seu maior medo?
Teresa Salvador,  São Paulo (SP)
A morte. Não lido bem. Já perdi pai e avó, além de um namorado quando eu tinha 18 anos. Se sei de algo que aconteceu com alguém, já nem durmo direito.

9 - Te confundem com a Sheron menezzes?
Paulo Américo, São Paulo (SP)
Já me confundiram com todo mundo, da Globeleza a Taís Araújo. Basta você ter cabelo black que as pessoas te identificam como uma coisa só. Veem apenas uma negra. Mas eu sou a Erika, a Sheron é a Sheron, a Taís é a Taís... Uma vez um homem foi me abraçar achando que era a Taís. Fiquei toda me achando porque adoro ela (risos)!

10 - Você fez fotos sensuais. Arrepende-se?
Carla Lopes por email
Fiz algumas fotos mais sensuais, queria ser modelo de qualquer jeito. Não me arrependo. Até faria de novo se fosse uma coisa bacana, que acrescentasse para minha carreira. A gente não deve se arrepender do que fez, só do que não fez.

FONTE/QUEM

Um comentário:

  1. Vc é muito linda por dentro e por fora.Parabéns por sua humildade!

    ResponderExcluir