quinta-feira, 6 de outubro de 2016

 Bárbara França:
 "Não tenho preconceito nem arrogância"
 Em ensaio para celebrar a chegada da primavera, a atriz mostra a personalidade meiga, muito diferente da vilã Bárbara, de Malhação, sua estreia na TV. 
A mineira, de 23 anos, conta como se encantou pelo namorado, o ator Maurício Pitanga, de 24: “Foi paixão à primeira vista!” 

 Por Carla Neves
 Em comum com Bárbara, a vilã de Malhação, ela só tem o nome. 
De fala doce e suave, Bárbara França, de 23 anos – nascida em São Lourenço (MG) e criada no Rio – considera-se o oposto de sua xará da ficção. 
"Ser humilde e não tratar ninguém diferente, independentemente de condição social, raça, sexo ou cor, são os valores mais importantes da minha vida. 
Não tenho preconceito nem arrogância", diz ela a QUEM, durante ensaio que remete à primavera nos jardins do Hotel Hilton Barra, no Rio.
 Muito ligada aos pais - a ex-comissária de bordo, hoje aposentada, Maria Fernandes, de 59, e o engenheiro químico Guilherme França, de 63 -, Bárbara conta que eles não estão mais juntos. 
Mas enfatiza que nunca sofreu por causa da separação. 
“Meu pai saiu de casa quando eu tinha 10 anos.
 Minha mãe falou: ‘Bom, hoje você vai conhecer sua segunda casa’.
 Lembro que ela comprou uma pizza, um refrigerante e fomos inaugurar a casa dele. 
Ela dormiu comigo lá para eu não sentir esse processo. E realmente não senti. 
Eles são muito amigos”, elogia ela, que mora com a mãe no Leblon, Zona Sul do Rio, e namora há três anos e meio o também ator Maurício Pitanga, de 24. 
“A gente se conheceu em um trabalho como modelos no dia do meu aniversário. 
Foi paixão à primeira vista!”, recorda. 
Com 1,70m de altura e 53 quilos, Bárbara garante não ter problemas com a balança. 
“Mas sou falsa magra! Por ser mineira, como bastante comida pesada. 
Comer é um dos prazeres da minha vida”, diverte-se. 
 Você é carioca? 
Sou mineira de São Lourenço, no Sul de Minas Gerais. É uma cidade com 50 mil habitantes, bem pequena comparada ao Rio. Mas só nasci lá, me mudei pequenininha para o Rio, onde fui criada. 

 Quando decidiu seguir a carreira de atriz? 
 Fiz uma peça de final de ano na escola e amei. Fui a princesa, a protagonista da história, e pedi para minha mãe para fazer teatro. Meu primeiro contato foi no Tablado, com 13 anos. Fiz dois anos e meio do curso e me apaixonei. Meu primeiro trabalho na TV foi uma participação em Linha Direta, com 14 anos. Amei mais ainda e comecei a investir realmente nisso. Fiz vários outros cursos e decidi que queria isso para a minha vida. Apesar de ser novinha, já tinha muita certeza. 

 Mas você também trabalhava como modelo? 
 Sim. Quando tinha 15 anos, participei do Menina Fantástica, dentro do Fantástico, da Globo. Na fila para o concurso tinha um monte de olheiros e recebi vários cartões. Liguei para um deles e gostei muito. Logo comecei a trabalhar também como modelo. Fui fazendo um trabalho atrás do outro. Não imaginei que fosse trabalhar tanto. Mas conciliava com o colégio. O estudo sempre foi prioridade na minha vida. 

Como você chegou às novelas? 
 Em meio aos trabalhos que fazia como modelo, nunca tinha deixado de lado meu trabalho como atriz. Continuei fazendo meus cursos de interpretação e investindo em mim. Teve uma vez que me ligaram da Globo para fazer um teste para o #Garotas – O Filme, do Alex Medeiros. Fiz o teste e passei para ser uma das três protagonistas. Depois do filme, fui convidada para fazer a série Animal, do GNT. Em seguida fiz Os Dez Mandamentos, na Record. Depois disso surgiu o teste para essa temporada de Malhação. 
 Como é interpretar uma vilã? 
 Sou totalmente o oposto da Bárbara. Os valores mais importantes da minha vida, que aprendi com minha mãe e meu pai, são: “ser humilde e não tratar ninguém diferente, independente de condição social, raça, sexo ou cor”. Não tenho nenhum tipo de preconceito nem arrogância. Trato todo mundo com amor e carinho. Está sendo um desafio bem grande. Estou tendo que me desconstruir inteira nesse sentido. Porque a Bárbara é tudo que mais desprezo numa pessoa. 

 Com quem você mora? 
 Com a minha mãe. Meus pais são separados. Meu pai saiu de casa quando tinha 10 anos. Minha mãe falou: “bom, hoje você vai conhecer sua segunda casa”. Lembro que ela comprou uma pizza, um refrigerante e fomos inaugurar a casa dele. Ela dormiu comigo lá para eu não sentir de forma alguma esse processo e eu realmente não senti. Até hoje eles são muito amigos. 
 Você tem namorado? 
Namoro o ator Maurício Pitanga há três anos e meio. Nos conhecemos num trabalho como modelos para uma marca de roupas. Foi num desfile, no dia do meu aniversário. Foi paixão à primeira vista. 

 É mais fácil namorar ator? 
 O ator tem um olhar diferente. Antes dele namorava um cara que fazia medicina e não tinha nada a ver. É mais complicado de a pessoa entender. Com o Maurício não. Tem uma consideração e uma compreensão maiores. E também nos ajudamos, batemos cena, fazemos cursos juntos. É bem bacana nesse sentido. 

 Como mantém o corpo em forma? 
 Sou falsa magra (risos). Por ser mineira, como bem e como comida pesada. Comer é um dos prazeres da minha vida. Não passo vontade por medo de engordar. Graças a Deus, tenho uma genética muito boa, meus pais são bem magrinhos. É um diferencial que agradeço a Deus. Mas também sempre fui muito ativa. Malho para comer. 

 O que você faz? 
 Já fiz capoeira, ginástica olímpica, natação, boxe, muay thai, futebol de areia, balé... Por coincidência, minha grande paixão é o vôlei de praia, que é o esporte em destaque nessa temporada de Malhação. Joguei por 10 anos, cheguei a competir e ganhar medalhas. Estava indo todos os dias na academia, antes de a novela estrear. E aos finais de semana jogava vôlei na praia, pertinho da minha casa. Agora não tenho conseguido ir todos os dias. Mas pelo menos três vezes por semana faço meu spinning e alterno minha musculação e a ginástica local. Intercalo para não ficar muito chato. E estou conseguindo ir no vôlei aos finais de semana.
FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário