segunda-feira, 24 de outubro de 2016

 Lucas Lucco:
'Sinto falta de um motivo para voltar para casa’
Por Leo Dias
Lucas Lucco acaba de lançaro clipe ‘De Buenas’. O vídeo, que tem o formato de um curta-metragem, foi gravado na região do Jalapão, no Tocantins. 
Na entrevista a seguir, o cantor fala sobre música, seu personagem na temporada passada de ‘Malhação’ e diz que não namora há tempos.
 “Namorei por três anos. Foi bem no início da minha carreira e foi o último namoro.
 Desde então eu estou solteiro. Já tentei namorar com a mesma pessoa, mas aí acabou não dando certo e aí eu terminei de novo. 
Deve ter mais ou menos um ano que isso aconteceu”, disse. No bate-papo, Lucas confessa que procura uma namorada e uma nova oportunidade na televisão.

Eu percebi sua veia artística antes de ‘Malhação’. Vi o seu lado de humor nos seus vídeos. Você descobriu esse lado de humor só em ‘Malhação’?
Não, cara… Isso foi uma coisa bem natural. Em ‘Malhação’, a direção me deu um personagem, que foi o Uodson, mas muitas coisas que tinham nele, fui eu que criei. Até o jeito de falar! O sotaque do Udson nem era para ser assim porque a Solange Couto, que fazia a minha mãe, tinha um sotaque bem carioca. Mas o (autor) Emanuel Jacobina falou que eu poderia manter o meu sotaque. Eu estava trabalhando para diminuir o sotaque, mas no meio das gravações, eu soltava um ‘porrrta’ (falando com sotaque caipira). O Jacobina falou assim: “Lucas, mantém o seu jeito de falar. Eu vou arranjar uma maneira de explicar isso durante a trama”. Esse personagem do clipe não foi diferente porque eu coloquei o bigode, me caracterizei e aí encarnei em um personagem.

Você acha que foi o seu melhor clipe?
Ah, eu acho! A ideia é surpreender a cada clipe, fazer o seu trabalho além do que as pessoas esperam. Essa música, por exemplo, está indo totalmente ao contrário do que está rolando e sendo lançado.

Me explica?
Você é carioca e mora no Rio de Janeiro. Eu, quando morei lá, fiquei bem desligado de tudo. Mas para cá, tipo São Paulo, Minas e etc, estão rolando as coisas.

E o que está rolando?
Música sertaneja romântica. E as mulheres tomaram conta também! Tem muita mulher fazendo sucesso. Maiara e Maraísa falam desse lance de a mulher dando a volta por cima e isso eu acho muito legal.

O que você acha que hoje é caracterizado como música sertaneja?
A música sertaneja, para mim, era a música que tinha sanfona, que era produzida, mas hoje não tem mais uma regra. Eu acho que a música sertaneja vai acabar se confundindo com o pop.

Você canta o quê?
Eu canto música para o povo, músicas que eu quero que as pessoas se identifiquem com elas e mais nada. As pessoas falam que eu sou pop, sertanejo… Tanto faz.

Qual era o objetivo quando você fez ‘Malhação’?
Primeiro era realizar um sonho de fazer televisão. Fiz quatro anos de teatro antes mesmo de cantar profissionalmente . Depois que eu fiz os testes para ‘Malhação’ e passei, fiz um wokshop com o elenco que também me ajudou bastante. Eu quero muito continuar fazendo TV.

Tem tempo para isso?
Eu vou ter que me virar de novo, como eu fiz na ‘Malhação’. Foi um ano muito difícil. Eu fazia cerca de 20 shows por mês e comecei a fazer só dez por causa da novela. Eu aprendi que não posso passar disso. Hoje em dia prefiro fazer menos shows, para fazer o melhor show e me valorizar. Espero que no início do ano eu possa voltar a fazer televisão.

Eu acho que a crítica foi muito boa em termos da sua atuação. Foi melhor do que você esperava?
Muito! Eu esperava que o pessoal fosse tacar mais pedras. No início, a galera meio que ficou receosa. Aí depois eu fui trabalhando e o personagem caiu nas graças do público.

E por que você não fez a segunda temporada?
Porque eu precisava me dedicar a música, lançar um clipe, cantar… ‘Malhação’ toma tempo! A gente gravava até quatro dias na semana. E são muitas horas de trabalho. Foi um aprendizado, foi uma escola que me deu uma bagagem incrível e que me fez crescer como artista.

O que é que o Rio te ensinou nesse momento?
Ah cara, eu estou com saudade de Goiás.

O que foi que o Rio te trouxe de bom e de ruim?
Eu conheci o Crossfit no Rio que é o amor da minha vida. Eu já treinava, mas no Rio eu conheci mesmo. Sinto falta de ir para a praia, do eu estilo de vida lá… Lá eu conseguia ir ao cinema. Aqui em Goiânia, onde estou morando, é difícil. Lá no Rio eu andava na rua tranquilo, ia à praia final de semana, chegava de show domingo e ia para a praia pegar sol… E isso era bacana.

E qual a parte ruim de morar no Rio?
O trânsito.

Você está namorando?
Não.

Quanto tempo durou seu o último namoro?
Cara eu namorei um tempo… Namorei por três anos. Foi bem no início da minha carreira e foi o último namoro. Desde então eu estou solteiro. Já tentei namorar com a mesma pessoa, mas aí acabou não dando certo e aí eu terminei de novo. Deve ter mais ou menos um ano que isso aconteceu.

Por que?
Porque a vida é muito corrida, né? Não dá.

Você sente falta de poder namorar?
Eu sinto porque eu queria muito. Às vezes eu sinto falta de um lugar para voltar, entendeu? Ter um lugar para voltar, ter uma pessoa que está te esperando. Sinto falta de ter um motivo para voltar para casa.

Aqui no Brasil existe muito preconceito com pessoa que atua e canta?
Acho que é uma falta de entendimento mesmo. Nos Estados Unidos isso é quase que obrigatório. Tem o Justin Timberlake e mais um monte de gente.

No palco você atua?
Quem está no palco é o Lucas verdadeiro. Eu sou o Lucas o tempo todo: o artista que as pessoas veem sou eu. Eu posso não ser igual a ele em vários aspectos: as pessoas tem a imagem do Lucas Lucco mulherengo. Tem muita gente que me vê que acha que eu gosto de beber, de balada… Eu sou muito quieto, eu sou muito mineiro mesmo… Sou tranquilo, gosto de ficar em casa.

O que te tira do sério?
Eu sou muito ansioso, não gosto de mandar nunca ninguém fazer alguma coisa por mim. Eu gosto de fazer.

Qual é o seu objetivo na carreira?
Eu tenho sonhos. Queria muito ir ao cinema e me ver.

Mas você já recebeu propostas?
Já recebi várias, mas por causa de agenda, acabou não dando para fazer. Eu quero um desafio e que não seja cômico. Queria fazer um drama.

Mas você tem um visual urbano, não acha?
Queria fazer um traficante. Ia ser uma coisa bem diferente! Ou um psicopata.

E na música? O que é que você quer?
Minha vontade hoje é que essa música ‘De Buenas’ dê muito certo. Para o ano que vem eu quero buscar algo na televisão.

FONTE/ODIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário