sábado, 29 de outubro de 2016

 Ricardo Macchi volta à TV e fala sobre Cigano Igor
Por Anna Luiza Santiago
 Ricardo Macchi voltará ao ar num episódio do "Zorra".
 Ele interpretará um homem que trabalha como babá e deixa o pai da criança enciumado.
 O ator também participou do humorístico antes da reformulação, quando ele ainda se chamava "Zorra total", e dos programas "Tomara que caia" (2015) e "Adnight". 
 - Também faço humor no teatro e produzo meus espetáculos.
 Em dezembro, vou lançar a peça 'Divertida terapia'. 
Na estreia, já vou gravar o piloto de uma série. 
É o mesmo formato do 'Sai de baixo', um programa feito no teatro e com plateia - adianta ele. 
 Macchi estreou na Globo em "Explode coração", novela exibida entre 1995 e 1996.
 Ele interpretou o Cigano Igor, papel que até hoje é comentado pelo público por conta da inexperiência do ator à época (foto abaixo): 
 - Sempre levei tudo isso na brincadeira. 
Nunca deixei de falar que não tive coach. 
Mesmo assim, foi um sucesso danado. A maior audiência, de 66 pontos, aconteceu numa cena minha. 
E, em 1995, explodiram registros de recém-nascidos com nome Igor.
 Isso é a prova de que minha estrela brilha, nasci para isso.
 As pessoas querem pegar o lado ruim e jogar em cima de mim.
 Não veem a parte boa. Não conhecia ninguém dentro da Globo nem namorava uma pessoa famosa, mas nem mesmo a mídia conseguiu me derrubar. 
Tenho carisma. O ator conta que, depois de "Explode coração", dispensou um papel em "A indomada" para estudar interpretação na Inglaterra: - Investi muita grana nisso. 
E as pessoas se esquecem também de que fiz 'Por amor' e fui capa do CD da novela.
 Estou há 20 anos na Globo fazendo diversos produtos, embora não tenha contrato fixo. 
Nunca quis ficar amigo de diretor, autor ou produtor de elenco para conseguir papéis.
 Isso é derrota para mim, não vitória. Por que a Globo me chama tanto? 
Porque sabe que tenho talento, seguro qualquer papel e chego com o texto decorado. 
Modéstia à parte, faço meu trabalho muito bem. 
Eu sei que dou audiência. É um desperdício não estar em novelas, mas, enquanto não me chamarem, não vou fazer o que nunca fiz.
 Em 2014, Macchi resolveu se dedicar também à carreira na política. 
Ele se candidatou a deputado federal pelo PTB do Rio Grande do Sul. 
Porém, acabou derrotado nas urnas e diz que desistiu de seguir nessa área:
 - O PTB nacional estava com Aécio Neves. 
Um dia antes do início da campanha, o PTB regional fechou com a Dilma Rousseff.
 Eu não queria fazer o que o partido propunha e fiquei totalmente independente. 
Eles cortaram minha campanha porque não fiz propaganda para o PT. 
Não tive dinheiro nem comitê, só meia dúzia de santinhos. 
Tinha um acordo para aparecer 46 vezes na TV, no horário eleitoral gratuito, com dez a 20 segundos de duração cada. 
Depois disso, só apareci quatro vezes por quatro segundos e outras quatro com oito segundos. 
Sabotaram minha candidatura e acabei não conseguindo votação suficiente. 
Com isso, senti que, na política, para se eleger, você precisa ter a estrutura do partido e seguir o que ele determina. 
Política não serve para mim. De democracia participativa, estou fora.
 Quando tivermos uma reforma política e entrar o voto distrital, se eu estiver inspirado, tento de novo. 
Mas desanimei bastante quando vi a podridão.
 Achei que sabia como funcionava. Me candidatei porque acredito que o Rio Grande do Sul precisava de mais representatividade e pressão no Congresso Nacional.
 Aos 46, o ator diz que, por enquanto, não pensa em formar uma família. 
Ele, que namorou a atriz Ellen Rocche por oito anos, conta que os dois continuam amigos: 
 - As pessoas ainda comentam sobre isso. 
Enquanto eu e ela não tivermos outro relacionamento assumido, isso vai permanecer na mente das pessoas. 
Acho que é porque ficamos bastante tempo juntos. 
É normal. 
 Ricardo Macchi com Felipe Folgosi e Stênio Garcia em 'Explode coração'

FONTE/OGLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário