domingo, 30 de outubro de 2016

 Marcos Pitombo comemora o sucesso de Felipe, seu personagem em 'Haja Coração' 
"Se o ator não gostar desse contato com o fã, ele deve procurar outra coisa para fazer. Essa troca é a melhor parte da nossa profissão!" disse o ator 

Por Thomaz Rocha 
  Em Haja Coração, Felipe parece ter saído de um conto de fadas. 
Romântico e charmoso, ele conquistou não só o coração da Shirlei (Sabrina Petraglia), mas de todo o público. 
O sucesso do casal fez com que eles ganhassem destaque na trama das 7. 
O otimismo de Felipe é uma característica também de seu intérprete, Marcos Pitombo, que se acha muito parecido com o personagem. 
Além disso, o carioca está feliz da vida com a repercussão do casal, logo em seu retorno à Rede Globo, de onde estava afastado desde 2007.
 “Fiz uma bateria de três testes. E, no final do ano passado, recebi a ótima notícia que havia dado certo.
 Estou muito feliz”, detalha o gato de 34 anos. 
 Como encarou seu retorno à Globo depois de nove anos? 
 Está sendo bem bacana. Encaro, de fato, como um recomeço. A mudança de emissora foi uma vontade minha, eu lutei por isso. Fiquei feliz da forma como aconteceu. Ainda mais por estar numa novela com um astral tão bacana, pra cima. Meu retorno acabou sendo muito agradável. 

 O Felipe conquistou mesmo o coração do público?
 Felipe é um cara íntegro. Ele percebeu que a ex-namorada, Jéssica (Karen Junqueira), não tem valores que ele acredita serem bacanas, como a empatia e a solidariedade. Felipe fala de valores éticos, num momento em que a sociedade discute muito isso, não apenas na política, mas em todos os setores. Felipe encontrou o grande amor da vida dele ao devolver o sapato da Shirlei e, a partir daí, conquistou a torcida do público. É um cara de atitudes positivas que não fica só no discurso. 

 Você também é um cara de atitudes positivas?
 Sim. A gente fala muito sobreatos honestos, de que a gente não pode ser corruptível. Tento buscar isso na minha vida. A gente tem que praticar valores positivos no nosso dia a dia. Seja num cumprimento na rua, em praticar a solidariedade no trânsito, em casa com a nossa própria família... Acredito nessa filosofia, no eterno retorno. Sou parecido com o Felipe nesse ponto. 

Como está sendo atuar de novo com amigos que começaram com você há dez anos? 
 É muito legal. Em Malhação, criamos uma turma que sempre se fala, por rede social ou pessoalmente. Um torce muito pelo outro. Então é legal estar em Haja Coração com a Karen e o José Loreto. É muito bacana dividir a cena com essas pessoas próximas nesse meu novo recomeço.

 Você não sente que o tempo passou rápido demais? 
 Passou num piscar de olhos. É muito assustador como o tempo passou rápido. Tive a sorte de saber aproveitar as oportunidades que eu ganhei. Depois de Malhação, fui para a Record, onde fiquei oito anos e fiz cinco novelas e uma minissérie. Foi um período muito produtivo. Isso acabou me engrandecendo como ator. Continuar na carreira, com dez anos de trabalho, é estimulante para eu seguir estudando, melhorando, me aprimorando. Além do compromisso com o público. É para eles que eu trabalho. 

 Como é a sua relação com os fãs? 
 É ótima. Fico muito lisonjeado com o carinho. A gente sabe que as histórias das novelas despertam sonhos. Sempre que me abordam nas ruas, tento aproveitar o momento da melhor forma possível. Se o ator não gostar desse contato com o fã, ele deve procurar outra coisa para fazer. Essa troca é a melhor parte da nossa profissão ator.

FONTE/MINHANOVELA

Nenhum comentário:

Postar um comentário