sexta-feira, 7 de outubro de 2016

 Leo Young, vencedor do Masterchef, fala sobre assédio:
 "Gosto e não me importo" 
O campeão abre o jogo sobre a fama após o reality e as polêmicas nos bastidores da atração

 Por Mariana Silva
Diferentemente do que viveu nos bastidores da terceira edição do MasterChef Brasil (Band), Leonardo Young, 31 anos, descobriu que estava com a popularidade em alta após sair vitorioso do reality show culinário, em agosto. 
“Tem gente que me encontra na rua e pede autógrafo, acredita? Eu não sou ninguém! 
É engraçado”, diverte-se, ao falar sobre o carinho do público.
 Durante as gravações, porém, o campeão relembra o forte clima de rivalidade entre os participantes da disputa. 
“Descobriram que meu irmão (Gustavo Young, 33 anos) é chef e viram que eu já tinha várias fotos de comida nas minhas redes sociais. 
Então, pode ter parecido que eu trabalhava com isso. 
Em seguida, começaram a dar passos para trás comigo.
 Achavam que eu dormia de conchinha com meu irmão e pegava dicas full time (risos). 
Mas não, somos até meio distantes”, explica. Leo brinca com o troféu do MasterChef: "Meu bebê!"
 Embora, antes de encarar a competição, já tenha trabalhado como modelo, Leo rejeita o título de galã.
 Mas nem isso reduz o interesse do público que, assim como os admiradores em redes sociais, só aumentou. 
Hoje são mais de 500 mil seguidores no Instagram contra os 5 mil no início do reality. 
“O assédio faz parte. Eu gosto e não me importo. 
Sou atencioso e carinhoso com todo mundo”, diz.
 Atualmente, Leo namora a cirurgiã dentista Alice Bressane, 30, e garante que ciúme não é um problema para o casal. 
“Ela tem ciúme, mas é saudável (risos). 
No começo foi mais difícil, mas tudo é questão de costume. 
Depois de meses de exposição e assédio, estamos bem mais alinhados. 
Agora, ela lida melhor com isso”, afirma ele. 
 METÓDICO E EXPLORADOR 
Formado em Administração de Empresas pela PUC-SP, a vivência na cozinha começou quando ainda era pequeno, “mexendo” nas panelas enquanto os pais cozinhavam. 
A “linha de corte”, como ele define, aconteceu aos 21 anos, quando morou na China. 
“Como surgiu a necessidade, comecei a cozinhar. 
Quando voltei ao Brasil, já estava mais imerso neste meio. 
Gastava boa parte do meu salário conhecendo bons restaurantes e, como sempre, fui curioso e explorador, gostava de conversar com os chefs, tirar dúvidas. 
Assim, fui me infiltrando nesse meio cada vez mais”, recorda. 
A participação no MasterChef Brasil surgiu como uma oportunidade de unir uma paixão aos princípios profissionais. 
“De início, não contei para ninguém.
 Não estava confiante o suficiente. 
Trabalhava na empresa do meu pai e minha família é muito tradicional, não queria assustar caso não desse certo”, justifica ele, que anunciou a seleção à família somente após a primeira prova televisionada.
 “Sou muito metódico em tudo o que faço. 
Chegava na TV com uma mala cheia de livros e uma pasta com todas as minhas receitas separadas por assunto. 
Ninguém entendia nada”, conta.
 AMADOR NA COZINHA
 Após a vitória, Leo não descarta a possibilidade de investir de vez na carreira gastronômica. 
“Em breve, farei o curso que ganhei, em Paris, por enquanto sou amador. 
Mas penso, sim, em ter algo sofisticado e com uma pegada mais asiática, que é minha cara”, conta. 
Recentemente, adiou os planos de abrir a hamburgueria Zebeléo, projeto com os sócios Bel Pesce, 24, e Zé Soares, que tentou tirar do papel por meio de um financiamento coletivo. 
“Desistimos ao perceber que erramos na comunicação, mas a ideia ainda existe”, declara. 
 Formado em administração pela PUC-SP, a paixão pela cozinha começou quando Leonardo morou sozinho na China
FONTE/CONTIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário