sábado, 19 de novembro de 2016

Alice Wegmann relembra assédio sexual:
 "Entrei em pânico"
Intérprete da determinada Isabela, de A Lei do Amor, Alice Wegmann fala sobre sua luta a favor do direito das mulheres, mostra maturidade ao combater preconceitos e revela ter passado por uma crise de idade aos 20 anos: “Você começa a descobrir quem realmente é”


Por Victor Correa
Alice Wegmann, de 21 anos, costuma ouvir, com frequência, elogios à sua forma decidida de se posicionar sobre os mais variados assuntos.
Alguns chegam a duvidar da pouca idade da atriz, que estreou na TV aos 15 anos, em Malhação, e hoje atua em sua segunda novela das 9, A Lei do Amor, como a determinada Isabela.
Feminista convicta, ela destaca a importância de se manifestar sobre o tema, já que muitas fãs adolescentes se inspiram em seu trabalho.
“Não existe a possibilidade de não ser feminista hoje em dia. Ainda há muito pensamento retrógrado”, diz.
A atriz relembra um episódio traumático de assédio sexual, no mês de abril.
“Eu estava andando na Lagoa (Zona Sul do Rio) com uma amiga, à noite, em direção ao carro, até que surgiu um homem na nossa frente.
Ele abaixou o short e começou a se masturbar. Entrei em pânico. Não sabia se ele estava armado. É machismo, tem que acabar”, desabafa.
A atriz faz parte de um coletivo feminino na PUC-Rio, onde cursa o sétimo período de publicidade e propaganda. 
Ela e outras estudantes discutem, com frequência, questões como o politicamente correto. “Dizem que o mundo está chato.
Eu discordo. Ele está chato para as pessoas conservadoras que fazem piadas com mulheres, gays, gordos, a loira burra...”

Família orgulhosa
A produtora cultural Adriana Wegmann tem orgulho da filha. “Ela sempre foi precoce e madura. Como fez ginástica olímpica desde pequena (dos 3 aos 10 anos), tem disciplina e foco muito fortes”, conta, acrescentando que a filha acabou optando pela profissão de atriz após sofrer uma lesão nos dois pés. Alice fez curso de interpretação no Tablado e, em 2008, subiu aos palcos com sua primeira peça, A Casa da Madrinha, de Lygia Bojunga.
Apesar de ser o mais velho, o irmão Marcos, de 23 anos, se inspira na caçula. “Ela me influencia. Admiro a determinação dela. É tão nova e já conquistou tanta coisa. E continua humilde”, diz ele, formado em economia. Alice se sente bem com a idade que tem. “Acho que me acham madura porque sempre tive a cabeça muito aberta. Tento julgar pouco, por exemplo. Confundem isso com maturidade”, avalia.
Alice e Humberto Carrão: par romântico em  A Lei do Amor

Crise de identidade
A carteira de motorista chegou às mãos de Alice assim que ela conquistou a maioridade. A coragem de assumir o volante, no entanto, foi chegando aos poucos, até que, no início deste ano, a atriz tomou uma decisão: “Comprei meu carro e passei a me sentir muito mais dona de mim. Aos 20 anos rola uma espécie de crise de identidade. A vida adulta bate à nossa porta e diz: ‘Cheguei’. Você começa a descobrir quem realmente é”, analisa Alice, que, apesar de hoje se sentir segura na direção, opta pelo ônibus em vários momentos. Já fez inúmeras selfies com fãs entre um ponto e outro. “O transporte público foi feito para ser usado. O que há de mal nisso?”, questiona.

Sensualidade
A mudança no perfil das personagens que interpreta foi encarada de maneira natural pela atriz, assim como as cenas sensuais. “O corpo é instrumento de trabalho. A cena de sexo vai além do corpo e da erotização”, analisa. Para Alice, a sensualidade está nos pequenos gestos. “É algo natural, não pode forçar. Não é só colocar um vestido, um batom vermelho... A sensualidade está em lugares sutis também”, acredita.
Alice está solteira há quatro meses, após terminar o namoro de dois anos com o estudante de jornalismo Pedro Malan, filho do ex-ministro da Fazenda do governo Fernando Henrique Cardoso. Os dois estudam na mesma faculdade. “Foi um namoro maravilhoso. Terminamos a relação, mas ficou tudo bem.”
Romântica, a atriz tem vontade de se casar, mas ainda não pensa muito no assunto. A única certeza é de que um dia será mãe. “Tenho muito jeito com criança”, conta

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário