sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Juliano Laham sobre namoro com Juliana Paiva:
"Aprendemos juntos"
Juliano Laham, que ficou conhecido no Big Brother Brasil 16, é hoje o humilde Rômulo de Malhação. Em entrevista, ele fala do namoro com Juliana Paiva

Por Raquel Pinheiro
Bem-humorado, Juliano Laham chega à Praça Paris, na Glória, Centro do Rio, e imediatamente começa a interagir com as obras da exposição  Rio de Esculturas Monumentais. 
No ar como o lutador de boxe Rômulo de Malhação, o ator de 23 anos curtiu o momento raro na sua rotina de gravações diárias. 
Nas poucas folgas que tem, ele aproveita para estar ao lado da atriz Juliana Paiva, sua namorada há cinco meses.
 “Admiro muito os valores dela e somos cúmplices. Na nossa relação, o respeito vem em primeiro lugar.”
O casal se conheceu por meio de amigos. “É legal namorar uma atriz, porque nós entendemos a carreira. 
Esse companheirismo faz a gente rir de coisas bestas e levar a vida de forma mais leve”, diz Juliano. 
“Aprendemos juntos. Ela me levou para fazer trilhas, e eu a ensinei a cozinhar”, revela ele, que se define “um chef maluco”. “Gosto de fazer carnes e pratos árabes”, conta.
Juliano nos jardins da Praça Paris, onde estão expostas 17 obras de artistas nacionais  

CULTURAS
Juliano nasceu em São José do Rio Preto, interior paulista, mas se mudou para o Líbano, país de origem de seus pais, a ex-modelo Luciana, de 45 anos, e o empresário Hadi, de 46. “Minha primeira língua foi o árabe. 
Também aprendi inglês e francês. Quando voltei para o Brasil, aos 5 anos, precisei me dedicar ao máximo ao português. 
Mas árabe era o idioma lá de casa”, recorda ele, que sente falta da família no Líbano: “Não vejo muito meus tios, meus primos”
Por causa do trabalho do pai, Juliano e as irmãs, Lana, de 20, e Giovanna, de 14, moraram também em Londres e no Qatar. 
O jovem sempre quis ser ator e, após alguns cursos em São Paulo, se mudou para o Rio, onde ficou três meses em um hostel e andando de ônibus.
 “Vim para estudar. Para mim não tem tempo ruim. Gosto de desafios”, diz ele, que entrou no Big Brother Brasil 16, no começo do ano.
Detalhe da obra Naveganças 

VIGIADO
Juliano foi colocado no reality para fingir que era  um big brother do Líbano. 
“Foram 36 horas como ator, mas sem texto nem roteiro! Improvisei o tempo todo”, lembra. Ao sair da casa, chocou-se com o assédio.
 “Tomei um susto, mas hoje gosto do contato com o público”, conta o ator, que já tem até fã-clube. “O primeiro foi fundado por uma amiguinha da minha irmã caçula”, diz.
Juliano e a peça Olho do Mundo, do coletivo Marcelo Caldas e Jorge Mello

Em casa, Juliano teve o apoio da família. “Minha mãe foi a primeira modelo do estilista libanês Elie Saab, e sempre me orientou”, conta ele, que tem nos pais um exemplo.
 “Eles vieram do Líbano para o Brasil, cresceram juntos como casal, e são um modelo de vida e superação. 
Tudo o que tenho, sou grato a eles, que me mostram o melhor caminho a seguir”, emociona-se o ator.
A obra No Meio Tenho Luz, de Fernanda Lago,  à frente da estátua de Almirante Barroso

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário