quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Monique Alfradique estréia como protagonista: 
"Me sinto muito mais segura"
A atriz, que começou na TV há 17 anos e já teve papéis de destaques como em Malhação e A Regra do Jogo, se prepara para viver sua primeira protagonista na TV: a Ilde, em A Secretária do Presidente

Por Thyago Furtado
Monique Alfradique chegou aos 30 anos de bem com a vida, amando e mais decidida.
 A atriz, que começou na TV há 17 anos e já teve papéis de destaques como em Malhação e A Regra do Jogo, se prepara para viver sua primeira protagonista na TV: a Ilde, em A Secretária do Presidente, que estreia em 15 de novembro no canal Multishow. “Exige muita disciplina e dedicação”, diz ela, que é movida a desafios.
Assim como em sua carreira, a vida pessoal também está plena. Monique namora há um ano e meio o empresário Gabriel Sala. 
O casal vive na ponte-aérea, já que ele mora na capital paulista e ela no Rio de Janeiro. Para lidar com a distância, a receita é: “respeito e o diálogo”.  
Para celebrar as conquistas, a atriz topou posar poderosíssima para QUEM representando sua fase mais madura, forte e dedicada: “Sou mais segura nas minhas decisões”.
Como é interpretar sua primeira protagonista?
Ser protagonista não é fácil, exige muita disciplina e dedicação. Foram quase três meses intensos de filmagens com uma equipe e elenco maravilhosos. Estive muito bem amparada. A Julia Jordão (diretora) me ajudou muito a defender a personagem e lutou sempre para contar uma boa história. Estou muito feliz com esse projeto, veio em um momento muito bacana da minha carreira.

Como é sua personagem?
A série conta a história da Ilde, uma menina divertida e corajosa, do interior do Rio de Janeiro, que tem o sonho de trabalhar em Brasília e se tornar a secretária do presidente. No decorrer da trama, ela vai sofrer decepções com pessoas fortemente ligadas a ela, envolvendo conflitos familiares e amizades duvidosas. Mas a personagem não se deixa abater e enfrenta com muito bom humor os obstáculos, sempre pensando em evoluir pessoal e profissionalmente.

A Ilde é uma mulher que toma as rédeas da própria vida a fim de conquistar seus objetivos. Você se identifica com ela?
Fui criada por uma mãe que sempre trabalhou e que conciliava trabalho e a maternidade. Essa admiração refletiu na minha vida. Minha mãe é uma mulher de personalidade forte e sempre buscou seus direitos. Acredito que ser feminista é tomar a liberdade de questionar e poder romper com regras impostas pela sociedade. Por exemplo, a mulher tem que decidir ser mãe porque ela quer e não porque a sociedade impõe que precisa ter filhos para se mostrar produtiva, respeitável...

Você fez 30 anos em abril. Como você avalia esse momento?
Sei o que é bom para mim e acho que isso faz parte da maturidade. Me sinto muito mais segura nas minhas decisões e na hora de dizer não.

Você está na carreira artística há tanto tempo, já se imaginou fazendo alguma outra coisa?
Sempre me interessei por comportamentos e relações e já pensei em fazer psicologia, para ajudar na composição dos personagens, mas não como profissão. Leio sempre livros relacionados a isso, além de ser uma excelente ferramenta para o conhecimento e o crescimento pessoal.

O que ainda quer realizar na profissão?
Tem muita coisa que ainda não fiz! Por exemplo, um personagem de época. Minhas personagens até hoje foram contemporâneas. Tenho vontade de fazer uma vilã e mais cinema. Sou movida a desafios.

O que faz quando precisa de calma e tranquilidade?
Tenho alguns refúgios. Um é ficar em casa assistindo a séries como Sense8, Easy, Grey’s Anatony, Modern Family e House Of Cards. Também gosto de ir para Niterói e ficar na casa dos meus pais ou caminhar na praia ouvindo música.

Quais são suas referências na vida?
Pessoal é minha mãe. Profissionalmente adoro os trabalhos das atrizes Jullianne Moore, Meryl Streep e Natalie Portman.

E o que você gosta de escutar?
Tenho escutado muito Dinah Washington e Alicia Keys são cantoras que tocam piano e, por tocar também, tenho uma certa admiração. Além de adorar as músicas.

Você está em cartaz com a peça Qualquer Gato Vira-Lata, que retrata dificuldades amorosas. Como você lida com as adversidades do namoro?
Acho que a base de um relacionamento é o respeito e o diálogo. A partir disso, eu acredito que muitos conflitos podem ser solucionados se os sentimentos forem sinceros e cada parte ceder para fazer dar certo.

Você quer ter filhos?
Eu penso em algum momento ter filhos, mas não tenho planos e datas ainda.

Você é ciumenta?
Acho que o ciúme vem de certa insegurança do início de namoro. Ao longo do relacionamento, fica equilibrado.

Como é um dia na vida da Monique?
Um dia comigo começa cedo e com um treino de boxe ou aeróbico, sempre enérgico, com bom humor e corrido, de certa forma. Mas cada dia é um dia. É difícil ter rotina sendo atriz.

Como você se enxerga no futuro?
Trabalhando. Sempre com minha família e amigos por perto. Quero continuar fazendo humor e realizando meus projetos pessoais.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário