domingo, 13 de novembro de 2016

Tiago Abravanel: 
"Venho me questionando mais sobre como quero levar a vida"
Tiago Abravanel caminha pela avenida paulista, encontra fãs, dança e canta com artistas de rua e declara seu amor por são paulo e por QUEM leva a vida com alegria

Por Guilherme Samora
“Tiago, me manda um beijo!” O pedido, de uma motorista em um carro no trânsito da Avenida Paulista, é prontamente atendido por Tiago Abravanel. 
Durante as fotos da reportagem, no coração de São Paulo, o ator e cantor atestou seu amor pela paulicéia e o carinho pelos fãs. 
“Gosto muito dessa proximidade que construí com o público. Gosto de gente alto astral e atraio pessoas assim, pode ver. 
E vou dar atenção: seja através das redes sociais, conversando nas ruas ou recebendo no camarim depois do meu show. É a forma que tenho de retribuir esse carinho.”
A simpatia durante o passeio atrai pedidos de fotos e conversas com homens e mulheres de todas as idades. 
E até dos artistas de rua da região mais famosa de São Paulo. Tanto que Tiago acaba por dançar e cantar “Aquarela do Brasil” com uma banda na esquina da Rua Augusta. “Vocês são geniais! Obrigado!”, agradece.
Aos 29 anos completados recentemente, sucesso com seu show, o Baile do Abrava, Tiago considera que tem muita estrada pela frente. “Sou exigente comigo mesmo. Além da conta. Sou libriano com ascendente em touro.
 Acho que essa exigência vem mais do touro, pois libra é mais tranquilo. E hoje tem outra questão: estou perto dos 30 e naturalmente venho tendo novos questionamentos de como quero levar a vida. E maior maturidade, claro.”
Ao caminhar pela Paulista, ele fala de sua relação com a cidade. “É bem forte, principalmente na questão do consumo de cultura que São Paulo oferece. 
É impressionante: aqui a gente respira cultura. No caso da gastronomia, que também faz parte disso, temos inúmeras opções, a qualquer horário do dia”, analisa. 
“Amo Nova York também, mas você vê em São Paulo coisas que não existem por lá: comer de madrugada aqui é bem mais fácil, por exemplo. Se Nova York é considerada a cidade que não dorme, São Paulo, então, fica ainda mais acordada!”
O fato de a cidade não parar é outro ponto positivo para o cantor. “Sou mais noturno. Isso combina com São Paulo. 
Cresci no meio de teatro, minha mãe (Cintia Abravanel, filha mais velha de Silvio Santos) sempre foi administradora de teatro e eu saía muito com ela para jantar depois das peças, bem tarde mesmo. 
Eu, sempre curioso com esse mundo dela, ficava nos bastidores, no meio das montagens, sem horário... 
Acho que isso influenciou no meu gosto pela noite. Para a carreira é positivo: meus shows são à noite, é um horário em que as coisas acontecem mais. 
Já para a saúde, nem tanto... Para manter a voz, preciso dormir e o sono da noite tem outra qualidade. Mas vamos levando! Está tudo muito bom, não posso reclamar de nada”, finaliza.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário