quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Giovanna Ewbank:
 “Percebi que não sou o centro do mundo”
 A atriz amplia seus negócios e abre salão de beleza no Rio. 
Assim, consegue ajustar os horários para se dedicar à filha, a fofa Titi.

  Por Ligia Andrade 
Uma vez por dia, Giovanna Ewbank, 30 anos, faz questão de ir ao Espaço Gioh, salão de beleza na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, para checar pendências e acompanhar de perto o funcionamento do local, recém-inaugurado.
 “Titi me acompanha sempre quando não está no colégio, ela me ajudou a escolher várias coisas...”, conta a atriz e apresentadora, referindo-se à filha de 2 anos. 
Há quatro meses, a chegada da menina, natural do Malauí, na África, mudou – para muito melhor – a vida de Giovanna e do marido, o ator Bruno Gagliasso, 34. 
 Agora, a atriz tem encarado a rotina de mãe e empresária (ela ainda tem um site de lifestyle) com desenvoltura e equilíbrio, priorizando sempre o bem-estar da pequena, ainda em fase de adaptação no país.
 O bom é que, de sua casa para o salão, é um pulo. 
“Antes de trabalhar como atriz, fiz faculdade de Moda, tive uma ateliê e vendia muito. 
Gosto de transformar as minhas amigas, que me pedem dicas, e sou boa em cuidar da parte financeira, sempre investi. 
Bruno também tem uma veia empreendedora, gosta de apostar em sonhos”, conta Giovanna, enquanto mostra, orgulhosa, os artigos de decoração que escolheu pessoalmente para o espaço, uma parceria com o cabeleireiro Anderson Couto, 39.
 “Sou virginiana, com ascendente em Virgem, então quero participar de tudo! 
Comprei as xícaras, o relógio, montei o banheiro... Foi cansativo.” 
 A parceira com Anderson é antiga, começou em 2010, quando ele precisou deixá-la loira para a novela Escrito nas Estrelas (Globo).
 “Eu me apaixonei logo na primeira vez. 
Trabalho como modelo desde os 15 anos, morei em Milão, Nova York e passei pelas mãos de muitos cabeleireiros que fizeram coisas erradas.
 Já tive de colocar aplique por causa de corte químico”, recorda a apresentadora.
 O empreendimento foi feito em família. 
O pai, Roberto Baldacconi, 60, é o arquiteto que assina o projeto.
 “Ele bolou a estrutura com o Bruno. A decoração foi junto comigo.
 É uma delícia trabalhar em família, às vezes damos uma estressadinha, mas é normal.” 
Ela confessa ainda que nunca curtiu passar horas em salão de beleza. 
“Bruno resolveu fazer a barbearia, porque já teve de esperar muito por mim. 
 No futuro, ele quer colocar um tatuador uma vez por semana. 
O Bruno também está sempre aqui.”
 “Não sou o centro do mundo” 
O salão começou a tomar forma antes mesmo de o projeto de adoção de Titi ser concluído.
 Giovanna se envolveu no início, no entanto teve de se afastar um pouco durante os três meses em que precisou fixar residência em Malauí. 
Nesse período, aproveitou para repensar seus valores de vida. 
“A primeira viagem (em 2015) já tinha me marcado.
 Percebi que não sou o centro do mundo, foi importante perceber o que estava construindo, os meus sonhos. 
Tive de me desligar, fui obrigada a enxergar o mundo e a minha vida”, confessa ela, que não deixa de agradecer a oportunidade dada por Faustão de gravar uma matéria no país onde tudo começou. 
“Ele foi um instrumento de Deus para me levar naquele momento para aquele lugar.
 Estava trabalhando muito, me questionando... 
Fui internada três vezes com estresse e fadiga, vi que precisava de um tempo para mim, meus amigos e minha família. 
Já conquistei várias coisas na vida, posso dar uma parada para viver”, reflete.
 Com Titi, o aprendizado é diário. 
Descrita pela mãe como amorosa e generosa, a menina gosta de dividir tudo o que tem.
 “Ver isso é um soco no estômago. Tenho de aprender com ela, todos nós temos.”
 A atriz não esconde que abriu mão de sua vida para a filha usufruir de todas as possibilidades do mundo. 
“Ela é curiosa, tem ânsia de viver, isso é lindo. 
Eu e Bruno nos pegamos chorando várias vezes”, confidencia Giovanna. 
 Se dependesse do ator, com quem está casada há sete anos, o filho viria logo após o primeiro ano de matrimônio. 
“Sempre falava que não era o momento. 
E, de repente, me tornei mãe, sem querer ser e sem estar preparada.
 O primeiro contato com a Titi foi assim: 
‘Meu Deus, já sou mãe’. O mundo é cheio de surpresas.” 
 Mãe de quatro filhos?
 Ser mãe não era uma prioridade para Giovanna. Simplesmente aconteceu. 
No entanto, ela deseja ter um filho biológico mais para a frente, sim. 
“Nunca tive essa coisa de engravidar... 
Quero saber qual é a sensação de ter um filho gerado. Só que isso não é o mais importante. 
Bruno quer ter quatro filhos. Sei que vou gerar um, agora os outros...”, destaca a atriz, elogiando o marido como pai. 
“Ele é excepcional, mais do que pensei que seria. 
Bruno trabalha pra caramba, tem os seus projetos, mas, quando chega em casa, desliga o celular e o momento dele é para mim e para Titi. 
Bruno quer estar em todos os momentos dela, nas reuniões da escola...”
 Do período em que saiu do Video Show (Globo) para cá, Giovanna engordou 5 quilos. 
Alguém notou? “Tinha de deitar para fechar a calça. Já voltei a fazer corrida, boxe, muay thai e fechei a boca de novo. 
Estava só no iogurte, na farinha láctea...
 É gostoso, mas comia errado, as sobras. 
Agora estou me alimentando certinho e correndo atrás do prejuízo.
 Estou vendo pelas roupas que emagreci”, atenta ela, sem planos ainda de voltar à TV.
 Giovanna está curtindo cada momento de sua licença-maternidade.
 “Titi precisa de um suporte, de um amparo especial por estar em um novo país. 
Mesmo com a adoção, é obrigatório ter licença-maternidade, teria de parar de qualquer forma.”

FONTE/CONTIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário