quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Malu Pizzatto, de 'Malhação': 
"Ser mulher é sofrer com padrões de beleza" 
 Malu Pizzatto, a Martinha de Malhação, conta como as artes marciais a ajudam a manter a forma e diminuir o estresse. Aos 19 anos, ela já sofreu por estar gordinha, mas diz que aprendeu a se aceitar 

Por Carla Neves 
 Um problema no joelho, há um ano, foi a gota d’água. 
Malu Pizzatto sabia que estava acima do peso e precisava tomar uma atitude para que suas dores não piorassem. 
Respirou fundo e decidiu: faria artes marciais para emagrecer. 
Desde então, a jovem de 19 anos – que interpreta a Martinha de Malhação – secou três quilos e ainda se apaixonou por jiu-jítsu e kickboxing. 
“Descarrego minha energia no tatame, seja ela de raiva, cansaço ou tédio”, conta a atriz, que mede 1,53 metro e pesa 55 quilos.
 Focada, ela dedica três dias da semana ao kickboxing e dois ao jiu-jítsu, sempre em aulas de uma hora de duração.
 “Saio quase levitando”, suspira Malu. 
 O professor Marco Loureiro é só elogios: 
“Ela é muito dedicada, vai ao extremo”. 
Além de emagrecer, Malu conseguiu fortalecer a musculatura e ainda ganhou resistência física. 
“A força usada no jiu-jítsu é diferente daquela que fazemos na malhação normal.
 Saio da aula toda dolorida. Até já viciei nessa dorzinha”, revela, aos risos. 
 Logo nos primeiros minutosde aula, Malu golpeia o professor, mostrando que já domina as técnicas.
 “Na luta não temos tempo para pensar.
 É importante treinar agilidade, força e o encaixe do movimento em si”, ensina.
 A atriz alia exercícios físicos ao consumo de alimentos saudáveis. 
“Sou vegetariana há um ano. No meu prato não faltam verduras e frutas. 
Mas tenho um acompanhamento nutricional – até para repor as proteínas. 
Minha dieta não é aquela sem glúten, sem açúcar e sem lactose. 
Me permito também. Não lido bem com grandes restrições”, explica. 
 Natural de Campo Mourão, no Paraná, a filha única da psicóloga Jaqueline, de 44, e do pediatra Marcelo, de 48, vive na TV um drama que conheceu na vida real.
 Na pele de uma adolescente rejeitada por ser gorda, ela mostra que a autoestima pode vencer o bullying. 
“Sempre fui a gordinha da turma. Eu sofria com os amigos zoando”, lembra ela, que acabou pedindo ajuda à mãe para emagrecer.
 “Me esforcei para mudar, ser mais vaidosa, mas não faço mais isso. Não mudo por ninguém.” 
Hoje bem-resolvida, a jovem procura passar essa confiança para quem vive situações parecidas.
 “Ser mulher é sofrer com padrões de beleza.
 Tenho que me cuidar e estar saudável, mas não preciso mudar minha rotina para me encaixar em padrões.
 Bonito não é vestir 34, é estar com um sorriso confiante no rosto”, diz ela, que está solteira.
 “Estou bem sozinha. Já tenho responsabilidade demais na vida”, diverte-se. 

Jiu-Jítsu
 Uma hora de aula queima entre 500 e mil calorias A maior parte da luta ocorre no chão: aprende-se a cair, levantar e rolar. 
O adversário é imobilizado com golpes específicos, como estrangulamentos, torções e chaves de pernas e braços. 
O exercício seca gordura e define o corpo sem crescer demais a musculatura. 
 O jiu-jítsu ajuda no metabolismo, prolongando a queima de energia até 14 horas após o treino. 
“O gasto calórico depois da luta é alto. É ótimo para emagrecer”, diz o professor Marco Loureiro. 

Kickboxing 
Uma hora de aula queima quase 800 calorias a prática tonifica os músculos e melhora o condicionamento físico.
 É uma ótima maneira de trabalhar braços, pernas, glúteos e, principalmente, o abdômen. 
Os movimentos ajudam na definição da cintura e podem deixar a barriga trincada. 
 Socos e Chutes Aumento da resistência fisica e alívio do estresse.
As duas lutas eliminam as gorduras da barriga e deixam as pernas torneadas. 
Além de flexibilidade e força, benefícios psicológicos entram em jogo. 
“Saio limpa da aula, com a sensação de que coloquei tudo para fora”, explica a atriz, acrescentando que as atividades também estimulam a disciplina e a autoconfiança. 

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário