terça-feira, 24 de janeiro de 2017

 Hudson mostra dia a dia em chácara: 
“Realizei o sonho de ter uma família”
 Casado com Thayra Machado, cantor fala sobre momento profissional e o lado paizão.
 Pai de quatro filhos, ele espera a chegada de uma menininha:
 “A melhor parte da vida é enxergar a luz no fim do túnel quando você está numa escuridão” 

Por Beatriz Bourroul
 QUEM acompanhou um dia na chácara do cantor Hudson, 44 anos, localizada no interior de São Paulo. 
É lá que ele vive com a mulher, Thayra Machado, de 21 anos, e o filho caçula, Davi, de 1 ano e 6 meses. 
Ela está no quarto mês de sua segunda gravidez e espera uma menina que vai se chamar Helena. 
 O casal faz planos que a garotinha nasça nos Estados Unidos como Davi.
 O menino encantou o público ao assistir ao show da dupla Edson & Hudson durante o Réveillon na Paulista, em São Paulo, e faz sucesso nas redes sociais.
 Sobre a repercussão do garotinho na web, o paizão é coruja.
 "A Thayra é muito gata. Eu não sou aquelas coisas, mas não sou de se jogar fora. 
Já imaginei que o moleque ia nascer bonito pra caramba", diz Hudson que é pai ainda dos jovens Juan, 13, Letícia, 23, e Jéssica, 23, de antigos relacionamentos.
Apaixonado, o cantor fala ainda que Thayra foi "um divisor de águas" em sua vida.
 Depois da aproximação com ela, Hudson abandonou os vícios em bebida e drogas - assuntos sobre os quais não se alonga porque estão no passado, e faz questão de enaltecer os bons amigos.
 "Comecei a dar mais valor a boas companhias. Não as pessoas que me viam bêbado e me deixavam e me estimulavam a beber mais." 
 No terreno, de aproximadamente 50 mil metros quadrados, a prioridade é o contato com a natureza e a preservação da área verde.
 Além dos bosques, lagos com peixes, piscina com cascata e casinhas de madeira pelos jardins, a casa principal em breve contará com um estúdio musical.
 Além do trabalho como cantor, Hudson é empresário de novos talentos. 
"Christian Luz será um novo sucesso do sertanejo e também cuido da dupla gospel Fábio & Alexandre", diz Hudson. 
Thayra diz ainda que o pequeno Davi é a estrela mirim do clipe de Christian Luz.
Vocês vivem em uma chácara espaçosa e cercada de verde. Como é o dia a dia por aqui? 
A gente tem uma vida tranquila. Mesmo quando a agenda está cheia de shows, priorizamos ter dias de descanso que antes não tínhamos. Fazemos isso para ter uma vida mais saudável e familiar. Trabalhar bastante é bom. É o que faz manter a nossa família com estrutura, mas quero estar mais presente na vida dos meus filhos. E agora mais ainda porque vem mais uma criança aí. O fato de a gente morar em uma área com bastante verde e com bastante espaço para correr e brincar é importante. Quando era criança, eu adorava isso. Meu filho, com certeza, também gosta e aprende desde cedo a interagir com a natureza e repeitar os animais. Aqui é uma chácara e muita gente vem pra cá. Ele sabe lidar com as pessoas. É bem receptivo com todos e isso é bem bacana. Quero transmitir a importância de cultivar a simplicidade. Na verdade, a simplicidade não é tão simples assim. 

Em que sentido você diz isso? 
Acham que uma pessoa simples é uma pessoa burra. Não é isto. Ser simples é viver a vida como ela vier, vivendo todas as coisas boas que Deus te oferece e aceitando as coisas ruins. A melhor parte da vida é enxergar a luz no fim do túnel quando você está numa caverna, numa escuridão. O lado ruim sempre tem um lado bom. 
 Você falou sobre a chegada de mais um bebê. Estão ansiosos para o nascimento da Helena? 
THAYRA: Quando fiquei grávida do Davi, acho que a ansiedade era um pouquinho maior por ser meu primeiro filho. Agora porque fico imaginando como vai ser a casa com duas crianças. Uma gestação é diferente da outra. A ansiedade existe, mas é menor. 

 E os desejos na gravidez?
  HUDSON: Ela teve! Outro dia ficou com vontade de comer feijoada. Nunca tinha preparado uma feijoada na minha vida e tive que aprender a fazer. 

 Você costuma cozinhar?
  HUDSON: Em casa, o cozinheiro sou eu. A Thayra vai para cozinha quando falo que não farei o almoço. A gente gosta de preparar nosso próprio alimento. Não que a pessoa que trabalha em casa não mereça a nossa confiança. É um hobby que a gente curte. Gosto bastante de cozinhar. Tudo o que ela pede, eu faço. Lógico! Ela é o meu amor. 

 O romantismo está em alta entre vocês. Há quanto tempo estão juntos? 
THAYRA: Desde 2013. Vamos completar quatro anos juntos. 

HUDSON: A Thayra foi um divisor de águas na minha vida. Quando ela apareceu eu estava em um momento complicado. Ela chegou e me trouxe só coisas boas. Eu me apaixonei perdidamente por ela. Ela me trouxe luz, esperança, vontade de mudar de vida, de ser uma pessoa mais coerente comigo mesmo. Com ela, realizei o sonho de ter uma família e conviver com a família. 
 Além do Davi, você tem outros três filhos. Como é a relação com eles? 
HUDSON: Amo todos os meus filhos. Juan, Letícia e Jéssica são muito queridos por mim. Mas nenhum foi planejado. Com a Thayra, antes do casamento, já falávamos que iríamos nos casar e ter filhos. 

 Como se conheceram? 
HUDSON: Eu sou empresário de um artista chamado Christian Luz. Ele veio da Bahia. Quem me apresentou ao Christian foi a mãe da Thayra. Quando fui conhecer o trabalho dele, a Thayra estava lá. Começamos a namorar escondidos (risos). A princípio, a mãe e o padrasto – que é como se fosse um segundo pai para ela – acharam meio ruim nosso namoro. 

 Por quanto tempo namoraram escondidos? 
THAYRA: Uns dois meses. 
HUDSON: Decidi ir na casa dela e falar com os pais dela sobre o namoro. Foi só no primeiro momento que eles acharam ruim porque estávamos namorando escondido. 
THAYRA: Essa conversa foi à moda antiga.
 HUDSON: No final deu tudo certo. Meus sogros moram perto de casa e temos uma relação muito boa, super boa mesmo.

Vocês têm uma diferença de idade de mais de 20 anos. Isso foi um complicador?
 HUDSON: Acho que não. A diferença de idade entre nós é só um detalhe. Eu me apaixonei muito por ela.
THAYRA: E eu por ele também, né? É claro!
 HUDSON: Realmente não ligo para a diferença idade. Minha mãe morreu quando eu tinha 3 anos. Depois, meu pai se casou com a Vita Aparecida, a mãe que me criou. A diferença de idade deles é de 25 anos. Isso para mim nunca foi um tabu, nem problema. A diferença de idade está na cabeça das pessoas e não no físico. Fisicamente falando eu estou bom, né amor? Ó, o “segundão” vindo aí (risos). 

 Vem uma menininha agora. Pretendem ter mais filhos?
HUDSON: Até pensávamos em ter três, quatro... Mas estamos pensando em dar um tempinho, deixar um período maior entre um filho e outro depois da Leninha -- a Helena já tem apelido. Criança traz preocupações. Fico com receio de uma queda na piscina, de ficar doente, de chorinhos durante a noite... Depois da experiência de se tornar pai ou mãe, o ser humano fica mais preocupado do que deveria. Essa preocupação é válida porque se vacilarmos pode acontecer uma tragédia. Deus me livre! Por isso sou um pai preocupado, fico muito em cima. Se tivermos mais um bebê deve ser só daqui uns seis, sete anos. 

 Você falou que a Thayra chegou em um momento dirícil na sua vida. Ela foi fundamental para que superasse as questões que vinha enfrentando? 
HUDSON: Foi uma das peças fundamentais. Quem muda o ser humano não é outro ser humano. Quem muda é a própria pessoa. Eu olhava a Thayra sempre com muita esperança porque pretendíamos ter uma vida juntos. Ela foi uma peça fundamental para eu firmar meu pensamento. Antigamente, eu saía muito, ia muito a bares, exagerava nas bebidas, tive problemas que todo mundo sabe e nem gosto de me alongar falando disso. Hoje, meu prazer é o palco e a minha casa. Gosto de me divertir com a minha família, pegar uma praia. Só programas sadios, com a família e com grandes amigos que nunca nos abandonaram. Minha comadre, por exemplo, mora nos Estados Unidos e se manteve por perto. Tenho outro amigo holandês que me levou para Holanda quando estava pesando 60 quilos e voltei pesando 72. São pessoas como estas que quero que estejam ao meu lado. Não as pessoas que me viam bêbado e me deixavam e me estimulavam a beber mais. Comecei a dar mais valor a boas companhias. Não vou dizer que hoje não vou beber nunca mais. Um copo de cerveja? Já bebi. Mas, atualmente, nunca mais bebi mais do que um copo. Nunca mais fiquei bêbado. Não sei mais o que é ter uma vida desregrada. Vivo dentro de casa, da maneira mais simples possível e sou o cara mais rico do mundo. Família é tudo, é maravilhoso. 
 A construção de uma família fez com que fincasse raízes. 
HUDSON: Todo dia agradeço a Deus em pensamento. Falo ‘Obrigado, Senhor’ todo dia. A família foi um grande presente que Deus meu deu. 

 Davi nasceu nos Estados Unidos. A Helena também vai nascer por lá? HUDSON: Não foi planejado que ele nascesse lá. Eu e o Edson estávamos com alguns compromissos de shows internacionais e a Thayra teve um problema com o líquido da placenta. O médico falou que ela não poderia voltar ao Brasil porque o bebê poderia nascer dentro do avião e prematuro. Ela tinha que ficar em observação. Os contratantes do show são os padrinhos do Davi. Eles sugeriram que ficássemos na casa deles. Davi é americano, mas não foi intencional. Estou planejando que a menina nasça lá também. Fico pensando no futuro. Ele vai poder ir para os Estados Unidos na hora que quiser e ela não vai poder. Vai existir uma cobrança nesse sentido: “Ah pai, o Davi pode morar nos Estados Unidos e eu não posso” ou “Ah, o Davi pode estudar nos Estados Unidos e eu não posso”. Não quero isso. Nada contra o bebê nascer no Brasil. É só por querer que ela tenha as mesmas oportunidades que ele. 

 Thayra, o Davi ainda é amamentado por você. Foi uma decisão sua, uma preocupação a de amamentar ao máximo? 
THAYRA: Sim, sim. 
HUDSON: Até demais. Não devolveu mais as tetas para mim (risos).
 THAYRA: Existe a recomendação de amamentar até os 2 anos. É importante poque o leite materno é essencial. Ele quase não fica doente. 
HUDSON: A amamentação é muito importante. O Davi quando fica doente, não fica derrubadinho. 

 O que mais gostam de fazer com ele? HUDSON: Tudo é gostoso. Assistir a desenhos com ele é uma delícia. Às vezes, ele adormece na nossa cama. Curto muito quando ele dorme com a cabeça encostada no meu peito. A gente canta e dança juntos. Toco violão e ele fica do lado balançando a cabeça. Curtimos todos os momentos. Só desmonto se ele fica jururu. Se um filho fica doente, o pai fica doente junto. 

Imaginavam que ele faria tanto sucesso nas redes sociais? 
HUDSON: Posso ser sincero? Eu imaginava. Sabe por quê? Vou ser bem mala agora (risos). A Thayra – não falo porque ela é minha mulher – é muito gata. Ela é bonita pra caramba. Eu não sou aquelas coisas, mas não sou de se jogar fora. Já imaginei que o moleque ia nascer bonito pra caramba. Tenho o sonho de que meu filho seja alguém na vida, independentemente da profissão. Meu pai forçou um pouco a barra – e dou graças a Deus! – para que eu e meu irmão fossemos artistas. Com o Davi, quero que seja diferente. Se ele tiver que seguir o caminho da música, que seja por uma vontade pessoal. Por mim, ele pode ser o que quiser na vida. O importante é que seja uma pessoa honesta e do bem. Pode trabalhar em supermercado, ser pedreiro... O importante é fazer o que gosta. 
THAYRA: Mas a gente percebe que ele gosta do público, de ir a shows, fica à vontade quando faz fotos e grava programas. Para ele é normal isso. A gente respeita a vontade dele. Quando ele não quer, a gente não força a barra. 
FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário