terça-feira, 10 de janeiro de 2017

 Letícia Spiller fala da torcida por volta com Marcello Novaes:
 "Acho legal isso" 
 Letícia Spiller, no ar em Sol Nascente e uma das atrizes de maior sucesso da TV brasileira, abre seu coração.

Por Patrick Monteiro 
 Todos comentam a postura e a beleza de Letícia Spiller.
 Mas são seus princípios e seu talento como atriz que a tornam uma vencedora. 
Na intimidade, ela não descuida dos filhos nem de suas relações amorosas – mesmo as passadas.
 Mãe de Pedro, de 20 anos, de seu casamento com Marcello Novaes, e de Stella, de 6, da união com Lucas Loureiro, ela hoje namora o músico Pablo Azevedo.
 Com diversos projetos na TV, no teatro e no cinema, a atriz de 43 anos diz que 2016 foi um ano bom para sua carreira - mas difícil em outros aspectos de sua vida. 
A carioca, no entanto, não tem dúvidas: 
2017 vai ser de muito trabalho. E de muito amor!
“Foi difícil, mas também muito bom. Positivo porque novas portas profissionais se abriram. 
Por outro lado, máscaras caíram, verdades vieram à tona, inclusive no lado pessoal. 
Me separei em junho (do diretor de fotografia Lucas Loureiro). 
Quando digo que foi um ano difícil, foi por causa disso também. 
Todo término tem uma dor. Mas continuamos trabalhando juntos, convivendo. 
Quero que ele seja o diretor de fotografia dos filmes que estou produzindo. 
O amor se transforma. É isso que aconteceu com a gente nesse momento.” 
Pablo 
“Minha aproximação com o Pablo foi por causa da peça (eles estão juntos no espetáculo Doroteia). Sem isso, não teria acontecido. E tem sido um encontro lindo, profundo. Tenho muita admiração e muito amor por ele. Não é nada raso o que sinto. Tive longas relações na vida. Sou essa pessoa de se relacionar, de construir.” 

 Marcello Novaes 
“Somos amigos, gostamos de estar juntos. Falo sobre tudo com ele. Em Sol Nascente, o público comprou a relação de nossos personagens. Torcem para que eles fiquem juntos. E a verdade é que também torcem para que eu e Marcello voltemos na vida real (risos). É uma febre nas redes sociais, muito engraçado. Acho legal isso. As pessoas sabem que somos amigos.” 

 Pedro 
“Nossa, ele já está com 20 anos! É um homem tranquilo. Não é preconceituoso, tem cabeça boa, é esperto. Está se preparando para fazer vestibular. Torço para que ele opte por arquitetura. Acho que tem dom. Meu pai se formou em arquitetura e não exercia. Meu irmão também. Se ele exercesse, seria a exceção da família (risos). Mas vou apoiá-lo no que ele quiser fazer.” 

 Stella
 “A Stella é muito esperta, questionadora. Tem senso estético forte. É fascinada em fazer recorte de papel. E está lidando superbem com a separação. As minhas atitudes com o pai dela refletem no bem-estar da criança. A gente se preocupa com isso. Não podemos dar vazão aos nossos egoísmos, às nossas questões, e não olhar para a nossa filha.”
Terceiro filho
 “Pois é, agora essa vontade está adormecida (risos). Mas existe. Eu não descarto. Adotado, meu... Vai depender do momento de vida. Sou maternal. Gosto de criar, educar, formar um ser humano.” 

 Destino 
“Acredito que contribuímos para nosso destino, mas sempre há surpresas inexplicáveis. Parte de mim acredita que há coisas reservadas para nós enquanto evolução mesmo, como missão. Acredito no poder da oração, na atração de energia, no subjetivo. Gosto de direcionar a minha energia.” 

 Ritos 
“Acordo e faço os ritos tibetanos, cinco posturas da ioga repetidas algumas vezes. Também tenho alongado bem a cervical porque tive uma crise brava neste ano, por bater cabeça, bem rock’n’roll, na novela. Depois tomo café e estou pronta para começar meu dia.”

 Vaidade 
“De zero a dez, sou sete. E digo isso para não dizer cinco. Acho que sou bem cinco, na verdade (risos). Faço a unha, hidrato o cabelo e outras coisas menores em casa mesmo. Só vou ao salão para retocar a cor. Não fico horas me maquiando. Mas confesso: não saio de casa sem passar um corretivo e uma máscara de cílios para realçar o olhar.” Acredito no poder da oração, na atração de energia, no subjetivo. 
2017
 “Politicamente, espero que as coisas melhorem. Apoio manifestações legítimas e não sou militante de A ou B. Pessoalmente, vai ser um ano muito agitado. Devo fazer a próxima novela das 11, do Carlos Araújo (ainda sem título definido). Tenho dois filmes encaminhados: Clube da Saudade, uma comédia romântica, da minha produtora; e o drama Eu Sou Brasileiro, do qual sou coprodutora. Também tem a peça, Doroteia. Vamos voltar a viajar depois do Carnaval. E, no final do ano, nas férias da minha filha, quero estar livre! Ser workaholic não tem nada a ver comigo.. mas tem!” 
FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário