quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

 Bianca Müller sobre bulimia: 
"Tive vergonha e raiva" 
Por Raquel Pinheiro 
 Quem vê a linda e cheia de vida Bianca Müller em A Lei do Amor, no papel da engajada Analu, nem imagina que ela, uma década atrás, travou dura batalha contra a bulimia.
 “Tinha 16 anos e me deram o toque de emagrecer para facilitar a carreira. 
Tive compulsão alimentar primeiro, comia muito e engordei. 
Depois, emagreci 10 quilos porque fiquei doente, tive bulimia. 
Foi uma mistura de tudo: ansiedade, crise, minha mãe tinha depressão... 
E essa fase da vida é de muita mudança, a gente tem de ter estrutura para não se abalar”, lembra a paulista, de 26 anos, que se recuperou com terapia, o apoio da família e a espiritualidade. 
 “Lia bons livros, fazia terapias alternativas, usei florais, cristais... Meu peso acabou subindo no equilíbrio. 
Foram quatro anos nesse processo”, diz ela, que chegou aos 52 quilos – hoje tem 58, em 1,73 metro – e já aconselhou quem tem o transtorno alimentar. 
“As pessoas têm vergonha de falar, algumas até escondem da família, sentem raiva quando são descobertas. 
Eu mesma tive vergonha e raiva quando minha família soube”, conta Bianca, que teve o apoio dos pais, Silvano e Rita, ambos de 50 anos, e da irmã, Stephanie, de 33.
 O suporte da família também foi fundamental quando ela decidiu ser atriz
Nascida e criada em Franco da Rocha (SP), Bianca fez um curso profissionalizante de teatro, quando era adolescente, e faculdade de rádio e TV. 
“Queria ter outra vertente dentro da comunicação”, diz.
 Para pagar as contas, fez trabalhos de publicidade.
 “Como eu era mais fortinha, mais cheinha, e meu cabelo natural era crespo, ouvi que tinha de emagrecer, que o meu cabelo era não sei o quê... 
Enfim, que eu não ia pegar trabalho”, lembra.
 “Aí emagreci para começar a trabalhar. 
A gente entra nessa ditadura, a autoestima fica para baixo, é como se tivesse que entrar em um padrão, como se não pudesse ser bonita sendo quem a gente é.” 
 Com Reynaldo Gianecchini, em cena de A Lei do Amor
O sonhado primeiro papel veio no filme Boa Sorte, Meu Amor, em 2012, o mesmo ano em que a atriz viveu a Nina da série Sessão de Terapia, no GNT. 
“Foi um divisor de águas na minha vida. A partir dali, apareceram personagens mais longos”, diz ela, que é fã de terapia. 
“Fiz e acho importante. Me reconheci em algumas cenas ali; Nina tinha um pai distante e o meu, que adoro, passou a vida toda trabalhando em outra cidade e voltando para casa só no fim de semana”, diz. 
Bianca ficou conhecida do grande público em O Rebu (2014), quando protagonizou cenas quentes no papel da ninfeta Mirna. 
 Por causa de Analu, a atriz mudou o visual e perdeu um pouco de peso. 
“Nunca tinha pintado o cabelo de ruivo nem muito menos cortado os fios acima dos ombros”, diz ela, que precisa retocar a cor a cada 15 dias para viver a politizada sobrinha de Pedro (Reynaldo Gianecchini). 
Giane, de 44 anos, é só elogios à parceira de cena. “A Bianca é muito antenada com o contemporâneo. 
Gosto e aprendo muito com jovens como ela. 
E ainda é uma companheira legal para trocar altas ideias no camarim”, diz o ator. 
 Bianca aos 2 anos, em São Paulo
 A atriz aos 3 anos, vestida de japonesa para uma apresentação na escola

 Namoro Com a novela, Bianca se mudou para o Rio e, pela primeira vez, mora sozinha.
 “Quando fiz O Rebu, vinha gravar e voltava para casa.
 Agora estou direto aqui. Amo o Rio, superou minhas expectativas. 
Tinha medo de não me adaptar, mas estou adorando o mar, a natureza”, diz. 
 Sem tempo para as aulas de pilates e pole dance, ela curtiu arrumar a nova casa.
 “Comprei plantinhas, tapete”, acrescenta Bianca, que, com a mudança ficou mais longe do namorado, o cineasta Santiago Dellape, de 33 anos. 
“Ele mora em Brasília e nos conhecemos quando filmei o longa A Repartição do Tempo (2016). 
São quase dois anos juntos e vivemos na ponte aérea, mas ele vem mais para o Rio do que eu vou para lá.”


FONTE/QUEM 

Nenhum comentário:

Postar um comentário