quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

 Globeleza pela terceira vez, Érika Moura defende:
 "Não vejo como um símbolo sexual" 
Arrasando pela terceira vez como Globeleza, a paulistana está terminando a faculdade de Educação Física 
e não descarta seguir a carreira artística 
  Em seu terceiro reinado como Globeleza, Érika Moura, 24 anos, está cada vez mais à vontade no cobiçado posto. 
Com gingado, malemolência e personalidade, a dançarina, coreógrafa e modelo inspira-se em Valéria Valenssa, e diz que usa o seu corpo para levar a magia do Carnaval aos brasileiros.
 “Não para ser símbolo sexual”, defende a paulistana, que se diz bem diferente da personagem, ícone da folia na Globo. 
“Não sou muito vaidosa, gosto de usar menos maquiagem, ficar ao natural.” 
Cursando Educação Física, a jovem se forma ainda em 2017, mas sonha em seguir a carreira artística. 
“Quem não tem vontade de ser atriz?”, questiona. 

 ARTE NO CORPO 
“Não vejo a Globeleza como um símbolo sexual. Cresci vendo a Valéria como artista, dançarina, levando o Carnaval na pintura de seu corpo.” 
 UM DIA DE GRAVAÇÃO
 “As pessoas estão gostando da vinheta pelo fato de mostrar os outros Carnavais, se reconhecendo. Como sou dançarina, já conhecia todos os ritmos, um pouco menos o bumba-meu-boi. Começamos a gravar por volta das 9h e só terminamos depois da meia-noite. Da primeira vez, foram 14 horas, na segunda, 12, só para pintar o corpo.”

 PASSISTA?
 “Ainda não sei como vai ser meu Carnaval, mas estou fazendo questão de aprender os sambas-enredos. Como vou tanto no Sambódromo (Rio de Janeiro) como no Anhembi (São Paulo), gosto de cantar, não só levantar o dedinho. Sempre gostei de samba, mas só passei a frequentar escolas em 2009, quando saí em uma ala coreografada na Mocidade Alegre. Nunca fui passista.” A paulistana chegou a fazer faculdade de Fisioterapia, mas precisou parar por falta 
de dinheiro 

 SAMBA NO PÉ
 “ Fiz algumas aulas, aprendi olhando aqui, ali... Danço desde os 5 anos, acabei trabalhando em outras áreas, depois que comecei a me dedicar. Fiz faculdade de Fisioterapia, mas, infelizmente, tive de trancar, porque fiquei desempregada e não tinha mais como pagar. Mas vou terminar esse ano a faculdade de Educação Física.”

 NAMORADO ENTENDE 
“Namoro o jogador de futebol Gabriel Almeida, 19. Estamos juntos há três meses. Entendemos o trabalho um do outro. Como nos conhecemos na faculdade, ele conheceu a Érika Moura, não o símbolo. Ele entende que em alguns momentos tenho de colocar a personagem em ação e tem momentos que sou só eu: doidinha, criancinha.” 

SEM DIETA
 “Tenho 1,67 metro e 56 quilos. Antes de gravar a vinheta, perdi um pouco de gordura, não tenho tanta restrição com alimentação. Ainda mais quando bate a TPM! (risos), aí tenho de comprar um milk-shake... Curto fazer musculação, sinto falta quando não consigo ir à academia. Gosto de me exercitar cinco vezes na semana, tenho um personal trainer maravilhoso, que não me deixa faltar. Quando falto, me liga. De exercício aeróbico, faço corrida e aula de ritmos, perco calorias sem sentir, dançando.” 
 CACHINHOS DOURADOS 
“Faço hidratação a cada 15 dias e não passo tintura sempre. Não seco muito também com secador, para não quebrar o fio. Não sou muito vaidosa. As pessoas brincam que pareço outra mulher quando estou de Globeleza. Gosto de usar menos maquiagem, ficar mais ao natural.”

 CARREIRA ARTÍSTICA
 “Quem não tem vontade de ser atriz? Digo que minha vida é uma novela. Primeiro quero terminar a minha faculdade, mas futuramente, pode ser uma possibilidade.” 

 FORA DO PAÍS
 “Morei na Coreia do Sul por três meses em 2014, fazendo shows brasileiros. Pude absorver a dança pelo lado profissional, amadureci.” A nova vinheta da Globo de 2017 celebra os diferentes ritmos do Carnaval do Brasil

FONTE/CONTIGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário