segunda-feira, 12 de junho de 2017

 Luciana Gimenez:
 "Acho uma droga envelhecer, uma porcaria" 
 Por Guilherma Samora 
 Escorpiana, linda, 1,81m e... tímida. 
Sim, Luciana Gimenez, com aquele jeitão que chama atenção por onde passa, garante que passa longe da figura de “mulherão-acontecimento”.
 “Sou tímida, sim. As pessoas não entendem... Se eu estou em um local no qual não conheço ninguém, eu fico bem quietinha, no meu canto. 
Algumas vezes, têm quem fale: ‘Ah, ela é metida’. 
Mas eu não sou! Sou tímida mesmo. 
Agora, se coloco uma maquiagem, arrumo o cabelo, se eu estou ‘armada’ para o trabalho... aí, eu me transformo”.
E foi, justamente, o que aconteceu durante essas fotos. 
QUEM convidou Luciana para posar inspirada em uma outra mulher forte da qual somos fãs: Brigitte Bardot. 
As imagens da diva francesa serviram como ponto de partida para essas belas fotos e conversam perfeitamente com essa entrevista. 
Luciana se despe não como um bibelô, mas como uma mulher que tem total controle de sua vida, de seu corpo e que faz o que quer.
 E a apresentadora se desnuda também nessa conversa. 
“Fiz uma tattoo nova. Vou te mostrar quando for fazer as fotos, você vai gostar”, diz ela.
 “Está escrito ‘Lucas e Lorenzo’”, sorri, ao contar a homenagem que fez aos filhos, Lucas, de 18 anos, do namoro com Mick Jagger, e Lorenzo, de 6, do casamento com Marcelo de Carvalho. 
“A única pretensão que eu tenho na vida é essa: eu quero ser uma grande mãe.”
 Você passa uma impressão de mulher forte, indomável. Você é mandona? 
Eu tenho um pouco de dificuldade com a palavra “mandar”... Sou de escorpião, não gosto de ser mandada. Sabe, sou de fácil acesso se você conversar comigo. Se você chegar e me propor algo, com argumentos, conversar a respeito, eu vou refletir e podemos tentar. Mas se falar: ‘Você tem que fazer assim’, aí, eu não faço! Eu nem penso a respeito. E eu tento passar isso para os meus filhos. Claro que tenho que colocar limites, ainda mais no caso do Lorenzo, que é uma criança. Mas, com o Lucas, eu já falo desse modo: mostro opções para ele. E ele decide os caminhos. Nunca chego mandando.

 Você topou fazer esse ensaio mais ousado logo que fiz a proposta... 
O corpo é meu. Faço o que eu quero. Engraçado, eu era um pouco mais pudica quando era mais jovem. Fiz nu artístico como modelo, mas nunca frontal, essas coisas de peladona, sabe? Eu tinha vergonha, nunca quis que as pessoas olhassem minhas partes (risos). Mesmo hoje, que eu não tenho vergonha de mostrar meu corpo, nunca quis mostrar minha “perereca”. Eu nunca tinha mostrado os seios também, até pouco tempo. 
 O que mudou?
 Um dia, eu e o meu marido estávamos de férias na Sardenha e ele pediu para eu fazer topless no barco. E eu dizia: “Não, não vou fazer”. Ele me encheu tanto o saco que eu fiz. Não tinha ninguém por perto, só um barquinho lá longe. Passaram dois, o Paulo (assessor de Luciana) me ligou e disse que um paparazzo tinha feito fotos... Eu desliguei o telefone e falei ao Marcelo: “Você acabou com as minhas férias. Se as fotos ficarem feias, você está ferrado”. Tudo bem, as fotos ficaram lindas. Acontece que, depois disso, falei para o Marcelo: “Agora, os meus peitos ganharam alforria. Você nunca mais vai poder falar nada se eu quiser botar um decote ou colocar os peitos pra fora”. “Tenho dois filhos e quero estar bem para eles e para os meus netos”

 Você se acha mais bonita, hoje? 
Acho que estou em um momento muito bom. Eu tinha o rostinho bem redondinho quando era mais jovem. Fiquei com cara de mulher. É um momento feliz da minha vida. Não sei o que vem depois, né? Então, vou aproveitar para mostrar agora (risos).

 Como lida com o tempo?
 Vou fazer 47 anos em novembro. Eu nem achava que iria chegar a essa idade. E, vou te falar: eu acho uma droga envelhecer, uma porcaria. Eu sei, a gente tem que aceitar e pronto. Mas, com os anos, se perco uma semana de academia, o negócio desanda. E olha que eu tenho a felicidade de ter encontrado uma profissão que não tem a ver com idade. Para ser apresentadora, dependo do meu talento.
 Mas você se acha bonita, certo?
 Claro, eu me acho bonita. Não dá para falar que sou uma mulher feia. Meu corpo está muito bom. Depois do meu segundo filho, eu me conscientizei na questão da comida. Como de maneira muito mais saudável. Quando a gente tem 20 anos, esquecemos que vamos viver mais 60. E quando a gente vai ficando mais velho, temos dois caminhos: ou continua esquecendo disso ou se vive com saúde. Tenho dois filhos e quero estar bem para eles e para meus netos. Eu acho que é essa a transição: a coisa boa que eu consigo imaginar de envelhecer é ter netos. Aí, nem vou me preocupar em ter bundinha dura. Vou viver para os netos. Curtir outro momento. 

 Como lida com o tempo?
 Vou fazer 47 anos em novembro. Eu nem achava que iria chegar a essa idade. E, vou te falar: eu acho uma droga envelhecer, uma porcaria. Eu sei, a gente tem que aceitar e pronto. Mas, com os anos, se perco uma semana de academia, o negócio desanda. E olha que eu tenho a felicidade de ter encontrado uma profissão que não tem a ver com idade. Para ser apresentadora, dependo do meu talento. 

 No camarote da QUEM, na Sapucaí, esse ano, vi como o Lucas cuida de você, tem orgulho da mãe... 
Ele é de touro, eu de escorpião. É perfeito: terra com água. Ele tem uma coisa muito especial. Nem posso falar muito ou vou acabar chorando (os olhos dela se enchem de lágrimas)... O Lucas tem uma cumplicidade comigo que é impressionante. A gente nunca discute. Ele é um adolescente fácil e eu vejo que ele me admira, ele gosta da mãe que tem, sabe? Ele tem orgulho de mim. Eu sempre quis ter meu dinheiro para nunca precisar depender dos meus filhos no fim da vida. Acho que, no Brasil, temos tantos problemas financeiros, o idoso é tão colocado à margem, que é normal precisar dos filhos para sobreviver... mas quero poder ajudá-los sempre, quero ser o pilar deles até morrer. Quando eu morrer, deixarei dois filhos. Então, ensino os meus meninos a serem boas pessoas. Eles são o que eu estou deixando para o mundo. 
 Lucas completou 18 anos. Você já teve algum ciúme? 
Eu sou muito ciumenta... Ainda não tive nenhuma crise de ciúme, mas eu acho que, provavelmente, vou ter. É que o Lucas me deixa muito tranquila. Por exemplo, se eu estiver em casa sozinha e ele vai sair com os amigos, ele fala que vai cancelar para ficar comigo. Eu que tenho que falar para ir, que não tem problema. Mas o Lucas me dá essa prioridade, desde criança. Eu não invado o espaço dele, mas ele sempre deixa claro que gosta da minha companhia. Então, a gente tem uma relação muito saudável. 

 Você se sente segura como mãe?
 Eu me gosto muito como mãe. Eu sou uma ótima mãe. Eu falo de boca cheia. Lógico, eu erro, como todo mundo. Mas tento fazer o melhor para eles, jamais coloco o meu bem-estar na frente do meus filhos. E os dois são muito diferentes, sabe? 

 Diferentes como? 
O Lorenzo é uma criança deliciosa, inteligentíssimo, sedutor, mas precisa de um limite bem estruturado. O Lucas sempre foi mais tranquilo. O Lorenzo tem muita energia (risos)! Eu tenho a sorte de ter o Marcelo ao meu lado, que é um grande pai. O Lucas é mais pacato. Taurino, né? Mesmo o Mick (Jagger) fala para mim: “A gente tem muita sorte com o Lucas, ele é muito calmo.” Falando nisso, Mick veio para o aniversário do Lucas. O Mick é um pai muito presente, desde o começo, ele me ajudou com tudo. Eu tenho muita sorte: tenho dois pais maravilhosos para meus filhos. O Lucas e o Marcelo também têm um relacionamento muito legal, eles se gostam de verdade, se admiram. É tudo muito bem resolvido na minha vida. O Mick adora o Marcelo. Temos uma família muito legal. Foi difícil entenderem isso. Hoje, as pessoas que falaram mal sabem que Mick é meu amigo, que eu namorei muito mais tempo com ele do que dizem por aí... Não foi um dia só. Foi bonito, foi uma relação legal. Acho que é porque ele é o Mick Jagger, sei lá, será que pensam que ele é um ET (risos)? Ele fica na minha casa, meus filhos ficam na casa dele. Ele veio para o aniversário do nosso filho e está tudo ótimo. Nunca tivemos qualquer problema de dinheiro, ele sempre pagou o que Lucas precisou, a gente nunca brigou por nada. 
 Você está emocionada. A semana passada foi muito importante.
 É um marco um filho fazer 18 anos. E consegui criar um homem muito educado, humano, humilde e inteligente. Tenho muito orgulho! Na festa, vi minha família inteira reunida. O que mais eu poderia querer? Engoli, quieta, uma monte de coisas que falaram de mim por anos. Mas a paz e o amor sempre vencem. É um momento de paz e de gratidão. Ver o sorriso do meu filho no rosto, não tem nada que pague isso. Ter o Mick lá, como um grande amigo e um grande pai; ter meu marido, um grande pai, feliz e maduro com a situação; ver o Lorenzo, feliz da vida por causa do irmão. O que mais posso querer? 

 Deu algum presente para ele?
 Eu dei um vídeo com imagens da vida dele. O Lucas não liga muito para nada material. E eu filmo a vida dele toda, desde o primeiro banho. Então, editamos, colocamos momentos marcantes... E foi muito forte. Ele amou! Quando olho para tudo isso, vejo que o tempo é muito legal nesse caso. Hoje, sinto uma aceitação. 

 Em que sentido?
 As pessoas me param e falam que eu me tornei um mãezona. Eu fico muito feliz e orgulhosa. É o melhor elogio que escuto, muito mais do que falar que estou com corpão. Eu tenho um baita orgulho por ser uma grande mãe! É uma coisa que tenho que pensar diariamente. Tomar atitudes pensadas.

 E o casamento? Como está? 
Olha, eu e o Marcelo temos personalidades muito fortes: ele é de leão, eu de escorpião. Quando a gente está unido é muito bom, porque a gente vence o mundo juntos. Eu admiro muito o Marcelo. Ele é inteligente, o que ele quer, ele consegue. Ele tem essa segurança. Eu queria ser assim e eu não sou. Claro que existem problemas, convivência é difícil para todo mundo. Mas a gente tem uma família feliz e vamos acertando o que precisa no caminho.

 Hoje, assuntos femininos são cada vez mais debatidos. Você já sofreu assédio? 
Eu lembro de sofrer assédio desde os meus 13 anos de idade. Claro que não estou falando de assédio de bater, de agarrar, isso é crime. Me refiro mais a uma cantada, essas coisas... Às vezes, acontece algo mais pesado, e a gente tem que se defender. Não quero ser coitadinha, tenho que me defender.

 Como você lida com isso?
 Olha, eu sofri bastante, tive momentos difíceis. Até de crimes praticados contra mim. Na Alemanha, quando morava lá, na época de modelo, um cara me agarrou no metrô. Foi horrível. Cheguei em casa chorando, não sabia o que fazer. Eu tinha um namorado na época que me encorajou a denunciar. Dei queixa e acharam o cara. Por mais difícil que seja, a gente tem que se posicionar, se defender. Mas as coisas demoram para mudar, machismo vem de criação, de família... quer ver uma coisa que me irrita? Quando alguém vem perguntar para o meu filho de seis anos se ele tem namoradinha! Não! Criança não namora! Odeio quem fala isso para o meu filho. Cada coisa tem seu tempo. Qual o motivo dessa sexualização precoce. Para quê? Deixa a criança se descobrir. 

 Voce é uma mulher feliz?
 Eu sou. Não todo o tempo, ninguém é feliz o tempo todo. Sou um pouco inquieta. Sempre quero fazer mais alguma coisa que não realizei ainda. Tenho muitos sonhos. Sempre quis fazer cinema e não consegui ainda... Me chamaram para apresentar o The View (programa diário na TV americana) e eu não fui, por estar com filho pequeno, por ter meu programa aqui. E hoje, acho que deveria ter feito, sabe? Quem sabe ainda não consigo? Mas, sou feliz. Eu tenho uma sorte: as pessoas gostam de mim. Eu me sinto amada. 
 Esse ensaio foi inspirado em fotos de Brigitte Bardot nos anos 60. A atriz francesa e ativista pelos direitos dos animais, de 82 anos, é um dos maiores ícones da cultura pop mundial.
 “Como a Brigitte, eu também amo demais os animais. Ajudo santuários, protetores que resgatam bichinhos de rua, sou madrinha de animais. 
Outro dia, uma gatinha preta veio perto de mim, miou e não consegui resistir. Levei para casa, ela estava grávida e com muita fome. Nasceram oito gatinhos. 
Aos poucos, fui arrumando adoção para os filhotes. E ela ficou aqui. Minha mãe a chama de Safira e acabou ficando esse nome. Hoje mesmo, ela estava dentro da minha gaveta de lingerie. E ela me dá muita sorte!”, diz Luciana.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário