terça-feira, 27 de junho de 2017

Nuno Leal Maia volta à TV e afirma que adotou novo estilo de vida Ator está prestes a completar 70 anos 
 Por Thayná Rodrigues
— Para quem estava com saudade, Nuno Leal Maia estará de volta à TV em breve.
 O ator badalado das décadas de 80 e 90 vai trabalhar numa produção infantojuvenil como um professor de surfe no seriado "Juacas".
 A obra marca uma coincidência na vida do artista na relação com esportes: 
antes de entrar para a carreira na interpretação, ele foi técnico de futebol e chegou a jogar profissionalmente pelo Santos.
 — Lá trás, eu ficava dentro do campo mas, para interpretar Juacas, tive que ir para junto dos peixes, no meio da água do mar.
 As gravações foram bem difíceis. A gente acordava às 5h da manhã, ficava até o sol se por — conta o ator, que gravou em Itacaré, no Sul da Bahia, durante cinco meses.
 Prestes a completar 70 anos, Nuno usou um dublê (o surfista profissional Picuruta Salazar) para algumas cenas de corpo da série da Disney Channel, e diz estar mais cuidadoso com a saúde. 
Recentemente, o ator foi diagnosticado com uma inflamação grave no nervo ciático: 
 — Meu problema na coluna é sério e me atrapalha bastante. Só descobri agora, depois de velho. 
É nessa fase que a gente percebe que há coisas que tem que administrar. Se tenho um pouco de estresse, a dor já “apita” forte. 
O que me ajuda é a natação, a ioga... Saio do mar outra pessoa. Quero voltar a treinar devagar, fazer atividades aeróbicas...
 Essa idade é marcante, assim como acho que os 80 vão ser, os 90... A energia abaixa um pouco, tenho que fazer coisas lentas, virar tartaruga.
 Mas é gostoso aprender a viver cada momento da vida. No dia a dia, o ator se divide entre Rio de Janeiro e São Paulo, sempre em contato com a natureza. 
No Rio, Nuno passa alguns dias no Leme, na Zona Sul, ou em sua casa em Mangaratiba, na Costa Verde. 
Em São Paulo, é comum vê-lo em praias de Ubatuba. Mas é na área metropolitana que ele encontra a mulher, a funcionária pública Mônica Camillo. 
 — Vamos completar 16 anos juntos esse ano — diz ele, que vai a São Paulo para ver a esposa, é avesso à vida urbana e volta para perto do verde sempre que pode: 
— Tento manter esse contato com a natureza. Se eu pudesse morar no meio do Mato, seria melhor. 
Cidade grande é complicado. Prefiro virar peixe, ficar dentro d'água, cuidar de mim. Durante o tempo em que rodou “A gata comeu”, grande sucesso de sua carreira, o ator rejeitava o rótulo de galã, apesar de ser considerado bonitão pela audiência. 
Atualmente, ele conta como anda sua vaidade: 
 — Na época, eu queria interpretar personagens caricatos, com grandes caracterizações. 
Não queria o negócio de galã. Entendo que a vaidade não está só na beleza, está em realizar um bom trabalho, em gostar da gente, e tentar fazer o melhor para a gente. 
Em relação à imagem, acho que estou bem. Não posso almejar um galã novamente. Posso pegar um papel de 70 anos.

FONTE/OGLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário