quarta-feira, 5 de julho de 2017

Pedro Nercessian celebra papel em 'A Força do Querer': 
"Amadureci como ator” 
 Por Bete Antunes 
 Nascido em Jacarepaguá, subúrbio do Rio, Pedro Nercessian passou a infância e a adolescência pedalando pelo bairro. 
“Era uma roça. Hoje, só tem prédio no lugar de casa”, relembra o ator, de 31 anos, que interpreta o personagem Amaro, melhor amigo de Ruy (Fiuk), em A Força do Querer.
 Morando há cinco anos em Botafogo, na Zona Sul carioca, a mudança de endereço não o fez largar o hobby. 
Pelo contrário, cada vez mais ele opta em deixar o carro na garagem e ir de bicicleta para todos os cantos da cidade. 
“Praticamente, só dirijo quando preciso ir ao trabalho. 
Com isso, contribuo para que o ar fique menos poluído”, diz ele. 
 O uso da bike ajuda o ator a manter seus 70 quilos em 1,78m de altura. 
Quando não está na academia, ele pode ser visto pedalando pela Lagoa Rodrigo de Freitas ou pela Vista Chinesa, outro ponto turístico do Rio.
 “Faço musculação, mas confesso que não curto muito. 
Às vezes, nem termino a minha série de exercícios. 
Prefiro atividades ao ar livre”. 
Durante o passeio de bicicleta, o ator fez questão de defender os ciclistas. 
“Quando estive em Londres e em Berlim, fiz tudo de bike. Aliás, fiquei mal-acostumado. 
Na Europa, somos muito mais respeitados do que no Rio”, aponta. 
 Ele não está solteiro, mas esconde o jogo.
 “Estou namorando. Mas ela não é atriz, não escolheu ser conhecida.” 
Na novela de Gloria Perez, o personagem de Pedro vai formar um triângulo amoroso com Anita (Lua Blanco) e Cibele (Bruna Linzmeyer). 
“Para se vingar de Ruy (Fiuk), que se casou com Ritinha (Isis Valverde), a Cibele vai dar em cima do Amaro”, diz Pedro. 
“Mas a amizade dos dois amigos não ficará abalada”, completa. 
Na vida real, Pedro divide o apartamento com dois amigos. E garante: é organizado. 
“Lavo as minhas roupas e arrumo o meu quarto. Tem que ser assim.”
 Formado pela Escola de Teatro Martins Pena, no Rio, começou a se interessar por interpretação “aos poucos”, como ele frisa. 
Com 13 anos, frequentava as aulas do Tablado (escola de teatro), mas sem grandes expectativas. 
“Meus irmãos (o empresário Lucas e a psicóloga Clarice) fizeram o mesmo curso. 
Assim como praticamos natação, judô... 
Fui me animando mais quando comecei a ganhar um dinheirinho com peças infantis”, diz ele, que é sobrinho de Stepan Nercessian. 
 "Quando era mais jovem, trabalhei com teatro no Retiro dos Artistas (instituição presidida por Stepan, que cuida de artistas idosos sem recursos financeiros)”.
Sua estreia na Globo foi apenas uma ponta em O Clone (2001). 
O primeiro papel surgiu em Malhação (2003). 
Depois do humorístico A Turma do Didi (2006), migrou para a Record e atuou em Os Mutantes (2008) e na série Milagres de Jesus (2015). 
Na mesma emissora, participou do reality Aprendiz - Celebridades (2014). 
De volta à Globo, no ano passado, ganhou destaque como o playboy Téo, da minissérie Justiça. 
O ator tem orgulho também de sua interpretação como um garoto de programa no longa Canastra Suja. 
Com direção de Caio Sóh, o filme tem previsão de ser exibido ainda este ano.
 “A Manuela Dias, autora de Justiça, colaborou com o roteiro. 
Acho que, com Canastra Suja, eu consegui mostrar que amadureci como ator”, diz Pedro.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário