quarta-feira, 2 de agosto de 2017

 Heslaine Vieira, de 'Malhação': 
"Feliz por representar tantas meninas negras lindas e poderosas" 
Por Carla Neves e Filipe Isensee 
Assim como milhões de brasileiros negros, Heslaine Vieira, a Ellen de Malhação, já precisou lidar com o preconceito em sua vida.
 Da época em que trabalhou em um shopping da Zona Oeste do Rio, a jovem, de 22 anos, guarda um episódio: 
“Uma cliente me disse: ‘Você é tão bonita, pena que tem esse cabelo!’
 Eu falei que adorava meu cabelo, mas ela continuou:
 ‘Se fosse na época do meu pai, você teria que atravessar a rua para ele passar’. 
Respondi: ‘Minha senhora, graças a Deus vivemos num mundo mais evoluído e agora eu vou te atender com todo o respeito’”. 
 Essa força que a mineira de Ipatinga demonstra hoje, no entanto, foi construída aos poucos. 
Na infância e adolescência, Heslaine precisou lutar muito.
 “Fui muito rejeitada. Os meninos não se interessavam por meninas negras, pareciam que não estavam acostumados a enxergar nossa beleza”, diz. 
 O orgulho de Heslaine: “Amo meu cabelo” 
 Heslaine com as outras protagonistas de Malhação: Ana Hikari, Daphne Bozaski, Manoela Aliperti e Gabi Medvedovski. No alto, em cena com Lucas Penteado

 Na construção de sua personalidade, o teatro teve um papel fundamental. 
Aos 10, ela rompeu com a timidez para ser Chapeuzinho Vermelho, seu primeiro papel:
 “Foi o máximo, porque a personagem que via nos livros era branca.
 As meninas do meu bairro adoravam e diziam:
 ‘Meu Deus, existe uma Chapeuzinho negra!’”
 Na montagem, seu irmão, Land Vieira, era o Lobo Mau. 
“Queria ser jogador de futebol, mas, ao fazer teatro ao lado dela, percebi que minha vida tinha que seguir esse rumo”, conta o ator de 25 anos. 
“Ele é meu melhor amigo”, resume Heslaine. 
 Diante da evidente paixão dos filhos pelos palcos, seus pais (Gilmar e Julismar) resolveram fazer as malas em definitivo e levar a família para o Rio de Janeiro. 
“Meu intuito era ver meus filhos conquistarem seus sonhos”, conta Julismar. 
“Hoje, posso dizer que minha felicidade e a do pai deles é vê-los realizados, protagonistas de suas próprias histórias”, destaca.  
 Autor da nova fase de Malhação, Cao Hamburguer já conhecia o talento de Heslaine, com quem trabalhou na série Filhos do Carnaval, da HBO, entre 2006 e 2009.
 “Ela é uma atriz séria, vocacionada. E, agora, comprova que tem estrela e carisma para encarar o grande público”, pontua. 
A atriz se identifica com sua personagem. “Eu tenho a força da Ellen. 
Luto pelo que acredito. Vou até o fim. 
Mas tento conversar, porque precisamos celebrar a diferença. 
Estou feliz por representar tantas meninas negras lindas e poderosas. 
Estamos ganhando o mundo”, comemora a atriz, que tem Taís Araújo e a norte-americana Viola Davis como referências.

FONTE/QUEM

Nenhum comentário:

Postar um comentário